Ministro da Justiça de Temer diz que brasileiro é imoral

Ao comentar a situação do País, Osmar Serraglio, recém-empossado como ministro da Justiça, afirmou que há uma corrupção generalizada no país, que seria uma "moral nacional"; o peemedebista defendeu ainda Michel Temer, afirmando que ele só pode ser atingido por investigações se houver prova objetiva de "que ele sabia que estavam recebendo dinheiro indevido"

Plenário do Congresso durante sessão solene destinada a comemorar o Dia Internacional do Cooperativismo e os 45 anos da Organização das Cooperativas Brasileiras. Em discurso, deputado federal Osmar Serraglio (PMDB-PR). Foto: Geraldo Magela/Agência Senado
Plenário do Congresso durante sessão solene destinada a comemorar o Dia Internacional do Cooperativismo e os 45 anos da Organização das Cooperativas Brasileiras. Em discurso, deputado federal Osmar Serraglio (PMDB-PR). Foto: Geraldo Magela/Agência Senado (Foto: Giuliana Miranda)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O novo ministro da Justiça, Osmar Serraglio (PMDB-PR), considera haver uma corrupção generalizada no país, incluindo todos os partidos e a população. "Não sei como vai corrigir isso. É uma moral nacional." O ministro defendeu uma tese polêmica, a de que "bandido de menor gravidade" não deve ser preso. Serragulio afirma ainda que Michel Temer só pode ser atingido por investigações se houver prova objetiva de "que ele sabia que estavam recebendo dinheiro indevido". 

As informações são de reportagem de Ranier Bragon e Camila Mattoso na Folha de S.Paulo

"Quando eu fiz o mensalão [ele relatou a principal CPI sobre o caso na Câmara] você vê o cidadão perdendo o mandato, vai para a cadeia, execração pública, você pensa: "O pessoal vai ter medo". Mas piorou. Vou dar um exemplo: eu fui o relator da reforma tributária que o Lula mandou, que era uma boa estrutura. Por que que não passou? Porque tinham dois líderes de partidos que eram de Estados que apoiavam a guerra fiscal. Cada um, quando é para si, está tudo bem. Se eu puder sonegar, eu sonego. Se eu puder não pagar multa, eu não pago. É assim o pensamento. Não sei como vai corrigir isso. É uma moral nacional. Vocês leram Rui Barbosa? De tanto ver crescer as injustiças, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver agigantar-se o poder nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar-se da virtude, a rir-se da honra e a ter vergonha de ser honesto. Essa é a moral que ele chorou há 100 anos atrás."

 

 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247