Mourão: Sou um assessor privilegiado e não posso ser desescalado

Eleito vice-presidente, o general Hamilton Mourão (PRTB) ficou conhecido pelas polêmicas que causou em suas declarações; chegou, inclusive, a receber a determinação de ficar em silêncio; passado o pleito, ele agora diz que é um “assessor privilegiado” do novo governo: “Sou um assessor eleito. É diferente dos ministros, que podem ser escalados e ‘desescalados’ a qualquer momento. Eu não posso ser ‘desescalado’”

Mourão: Sou um assessor privilegiado e não posso ser desescalado
Mourão: Sou um assessor privilegiado e não posso ser desescalado
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – O general Hamilton Mourão (PRTB), eleito vice-presidente na chapa de Jair Bolsonaro (PSL), ficou muito mais conhecido na eleição pelas polêmicas que causou em suas declarações. Depois disso, a ele foi determinado que ficasse em silêncio durante boa parte do pleito. Passada a disputa, eis que o general volta a falar e aí...

Ao Estado de São Paulo, Mourão afirmou que se considera um “assessor privilegiado” do novo governo. “Sou um assessor eleito. É diferente dos ministros, que podem ser escalados e ‘desescalados’ a qualquer momento. Eu não posso ser ‘desescalado”.

Sobre o presidente eleito Jair Bolsonaro, disse que “Nós somos irmãos siameses, eu e ele (Bolsonaro). Estamos juntos mesmo. E ele já tinha sinalizado que me colocaria em outras tarefas. O que vejo mais é auxiliá-lo na tomada de decisões, cooperando em trabalhos interministeriais. Não precisa ser função oficial, mas de pequenos conselhos.”

 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247