Nassif: Rangel colocou a Justiça em xeque ao proteger ostensivamente Flávio Bolsonaro

O jornalista Luis Nassif aponta as arbitrariedades do desembargador Paulo Rangel, que beneficiou Flávio Bolsonaro em seu voto e mandou investigação no processo sobre as “rachadinhas” na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj)para segunda instância

Senador Flávio Bolsonaro 16/07/2019
Senador Flávio Bolsonaro 16/07/2019 (Foto: REUTERS/Adriano Machado)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O jornalista Luis Nassif, em xadrez publicado no portal GGN nesta segunda-feira (29), aponta as arbitrariedades do desembargador Paulo Rangel, que beneficiou Flávio Bolsonaro em seu voto e mandou investigação no processo sobre as “rachadinhas” na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) para segunda instância. 

"Com a campanha do impeachment, os ventos passaram a soprar vigorosamente em direção à Lava Jato. E Rangel, ao lado do amigo Marcelo Bretas, tornou-se um lavajatista de primeira hora. Assim como Barroso e Fachin, e outros homens bons", relembrou Nassif. 

O jornalista também destacou que, "a medida que Jair Bolsonaro foi crescendo nas pesquisas, Rangel rapidamente migrou das bandeiras lavajatistas para aquelas típicas do bolsonarismo.  A partir de 2017, já era um bolsonarista-raiz. Matriculou-se em um clube de tiro, ao lado do colega Marcelo Bretas. Passou a vociferar contra criminosos de todas as classes e a defender menos Estado e mais armamento".

"Rangel colocou a Justiça em xeque, ao atropelar uma decisão do Supremo Tribunal Federal e ao proteger ostensivamente Flávio Bolsonaro"< disse Nassif. 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247