Paulinho da Força se cala em depoimento sobre compra de apoio pelo PSDB

O presidente nacional do Solidariedade, deputado federal Paulo Pereira da Silva, o Paulinho da Força, ficou em silêncio durante seu depoimento à Polícia Federal no inquérito que investiga a suspeita de compra de apoio de partidos políticos à campanha presidencial do senador Aécio Neves (PSDB), em 2014; de acordo com os investigadores da Operação Ross, o Solidariedade teria vendido seu apoio à Aécio por R$ 15 milhões

Paulinho da Força se cala em depoimento sobre compra de apoio pelo PSDB
Paulinho da Força se cala em depoimento sobre compra de apoio pelo PSDB (Foto: Gilmar Felix)

247 - O presidente nacional do Solidariedade, deputado federal Paulo Pereira da Silva, o Paulinho da Força, ficou em silêncio durante seu depoimento à Polícia Federal no inquérito que investiga a suspeita de compra de apoio de partidos políticos à campanha presidencial do senador Aécio Neves (PSDB), em 2014.

O parlamentar prestou depoimento no âmbito da Operação Ross nesta segunda-feira (17), que apura o uso de recursos do grupo J&F no esquema de compara de apoio político. De acordo com os investigadores, o Solidariedade teria vendido seu apoio à Aécio por R$ 15 milhões.

Os recursos teriam sido repassados por meio de doações legais e, também, com a emissão de notas frias. A Operação Ross foi feita com base nas delações premiadas de executivos do grupo J&F.

Segundo o jornal O Globo, Paulinho da Força disse se manteve em silêncio durante o seu depoimento por não ter tido acesso à integra do processo.

"Ainda não tivemos acesso a tudo, por isso não dá pra eu saber o que falar no momento. Mas a JBS nos deu R$ 11 milhões para as eleições de 2014, tudo oficial, e desse valor R$ 81 mil foram para a minha conta de campanha. O Solidariedade já nasceu como oposição ao governo, a gente já tinha aliança com o Aécio muito antes desses pagamentos", disse o parlamentar.

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247