Pesquisa mostra “centro” esvaziado em 2022 e Moro como candidato da direita alternativo a Bolsonaro

Candidatos da chamada “centro direita” estão sem força para as eleições presidenciais de 2022. É o caso do governador de São Paulo, João Doria (PSDB), de Luciano Huck, do ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta (DEM) e do empresário João Amoêdo (Novo). Apenas Sergio Moro aparece com bons resultados

(Foto: Andre Coelho/REUTERS)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Candidatos da chamada “centro direita” estão sem força para as eleições presidenciais de 2022, de acordo com pesquisa do Instituto Paraná Pesquisas encomendada pela Veja. É o caso do governador de São Paulo, João Doria (PSDB), de Luciano Huck, do ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta (DEM) e do empresário João Amoêdo (Novo).

O governador paulista teria apenas entre 3,8% a 4,6% das intenções de voto, nos três cenários montados pela pesquisa. Se confirmado, o PSDB teria novamente uma votação pífia das eleições de 2018, quando Geraldo Alckmin obteve 4,76%, ficando em quarto lugar e registrando o pior resultado do partido na história. Apesar de Jair Bolsonaro ter 48% de desaprovação, ele ganharia com 51,7% no confronto contra o tucano.

Amoêdo, que participou das primeiras eleições em 2018, teria entre 3,4% a 4% em 2022. Huck, por sua vez, tem 6,5% a 8,3% no primeiro turno e, se for para o segundo contra Bolsonaro, ele perde contra 50,8% do fascista. Por sua vez, o ex-ministro Mandetta tem o melhor resultado dentre eles, com 5,7% - o que continua a ser pouco.

O único, na direita, que aparece com resultados acima de dois dígitos é o ex-ministro Sergio Moro, responsável pela prisão ilegal de Lula. O chefe da Lava Jato aparece com as intenções de voto entre 16,8% e 17,1%. 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247