PF pericia suposto repasse da Odebrecht a Eunício e Maia

Polícia Federal vai analisar supostos pagamentos de propina registrados nos bancos de dados da Odebrecht aos presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE); análises abrangerão também outros supostos repasses ao senador Romero Jucá (MDB-RR) e ao deputado Lúcio Vieira Lima (MDB-BA), que são investigados no mesmo inquérito

02/10/2017- Brasília - O presidente do Senado, Eunício Oliveira, e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, após reunião com a presidente do Supremo Tribunal Federal, Cármen Lúcia Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
02/10/2017- Brasília - O presidente do Senado, Eunício Oliveira, e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, após reunião com a presidente do Supremo Tribunal Federal, Cármen Lúcia Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil (Foto: Aquiles Lins)

247 - A Polícia Federal vai analisar supostos pagamentos de propina registrados nos bancos de dados da Odebrecht aos presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE).

A PF enviou ao Supremo Tribunal Federal ofício comunicando a perícia, que acontece no âmbito do inquérito que apura ofertas de vantagens indevidas a eles em troca de benefícios em medidas provisórias no Congresso Nacional.

As análises abrangerão também outros supostos repasses ao senador Romero Jucá (MDB-RR) e ao deputado Lúcio Vieira Lima (MDB-BA), que são investigados no mesmo inquérito. Com isso, a PF busca comprovar se os pagamentos aos quatro políticos foram efetivamente realizados, como relatado na delação dos executivos da Odebrecht.

A delegada frisa em seu pedido que deverão ser analisados pagamentos de R$ 2,1 milhões ao codinome Índio, "provavelmente relacionado à pessoa do senador Eunício Oliveira", e de R$ 100 mil ao "possível codinome Botafogo, provavelmente relacionado à pessoa do deputado federal Rodrigo Maia".

As informações são do jornal O Globo.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247