Polícia Federal faz operação para investigar venda de decisões judiciais no Tocantins

A Polícia Federal faz, na manhã desta quarta-feira (15), a operação Toth para investigar suspeita de venda de decisões judiciais; mandados de busca e apreensão estão sendo cumpridos no gabinete e na casa do desembargador Ronaldo Eurípedes, principal alvo; a operação foi autorizada pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ); mais de 50 policiais cumprem 13 mandados de busca e apreensão nos municípios de Palmas, Araguaína, Formoso do Araguaia e Mara Rosa, no Tocantins, e Teresina (PI), além de 39 mandados de intimação

Polícia Federal faz operação para investigar venda de decisões judiciais no Tocantins
Polícia Federal faz operação para investigar venda de decisões judiciais no Tocantins
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A Polícia Federal faz, na manhã desta quarta-feira (15), a operação Toth para investigar suspeita de venda de decisões judiciais. Mandados de busca e apreensão estão sendo cumpridos no gabinete e na casa do desembargador Ronaldo Eurípedes, principal alvo. A operação foi autorizada pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ). Mais de 50 policiais cumprem 13 mandados de busca e apreensão nos municípios de Palmas, Araguaína, Formoso do Araguaia e Mara Rosa, no Tocantins, e Teresina (PI), além de 39 mandados de intimação.

"O ex-procurador de Justiça, Clenan Renault e dois filhos dele também são alvos. Os investigados foram intimados para prestar depoimento na Polícia Federal. Segundo a PF, a investigação teve início por meio de denúncia encaminhada ao STJ para apurar a conduta do desembargador do Tribunal de Justiça. As investigações apontaram um grande crescimento patrimonial após ele tomar posse como desembargador. A PF disse também que foi observada a existência de um fluxo financeiro atípico realizado por familiares e terceiras pessoas envolvidas.

Os investigados podem responder pelos crimes de corrupção ativa, corrupção passiva, concussão, lavagem de dinheiro e associação criminosa. O nome da operação faz alusão ao deus grego Toth, marido da deusa egípcia da justiça Maet. Faz correlação também com a Operação MAET da PF deflagrada em 2010 para desarticular esquema de venda de sentenças e fraudes em cobrança de precatórios."

Leia mais aqui. 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email