Prestes a ser defenestrado, Maranhão demite secretário da Câmara

Presidente interino da Câmara, Waldir Maranhão (PP-MA) firmou a data da eleição para a presidência da Câmara para o dia 14, próxima quinta-feira, e exonerou o Secretário Geral da Mesa da Casa, Silvio Avelino, que participou de uma reunião com os parlamentares para tratar do assunto; "Ele é o presidente. Só me resta acatar a decisão e esperar uma lotação na Casa", comentou Avelino

Presidente interino da Câmara, Waldir Maranhão (PP-MA) firmou a data da eleição para a presidência da Câmara para o dia 14, próxima quinta-feira, e exonerou o Secretário Geral da Mesa da Casa, Silvio Avelino, que participou de uma reunião com os parlamentares para tratar do assunto; "Ele é o presidente. Só me resta acatar a decisão e esperar uma lotação na Casa", comentou Avelino
Presidente interino da Câmara, Waldir Maranhão (PP-MA) firmou a data da eleição para a presidência da Câmara para o dia 14, próxima quinta-feira, e exonerou o Secretário Geral da Mesa da Casa, Silvio Avelino, que participou de uma reunião com os parlamentares para tratar do assunto; "Ele é o presidente. Só me resta acatar a decisão e esperar uma lotação na Casa", comentou Avelino (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Carolina Gonçalves, repórter da Agência Brasil - A data da escolha do novo presidente da Câmara dos Deputados voltou a ser 14 de julho, diferentemente do que foi anunciado pelo Colégio de Líderes no fim do dia de ontem. A quinta-feira (14) foi a escolha do presidente interino da Câmara, Waldir Maranhão (PP-MA), no início da tarde, antes das lideranças se reunirem e pouco tempo depois que Eduardo Cunha (PMDB-RJ) anunciou que estava deixando o cargo. "Já tinha tomado a decisão de fazer na quinta e assim será", reiterou hoje, ao entrar em seu gabinete.

A decisão dos líderes criou impasse sobre a data, mas também acabou provocando a exoneração do Secretário Geral da Mesa (SGM) da Câmara, Silvio Avelino, que participou da conversa entre os parlamentares. Funcionário da Casa, Avelino que já comandou por 15 anos o Departamento de Comissões da Câmara, chegou à SGM com a eleição de Cunha. Maranhão não respondeu se já tem um novo nome. Avelino explicou que foi chamado no começo da manhã na sala do presidente para ouvir a decisão.

Argumentação

"Ele é o presidente. Só me resta acatar a decisão e esperar uma lotação na Casa", disse. Na conversa, Maranhão declarou desconforto com a permanência de Silvio Avelino na secretaria e explicou que a Câmara passa por um momento mais político do que técnico. A respeito da reunião, Avelino afirmou que o Colégio de Líderes é um órgão regimental que "fez o que deveria ter feito. Convocou uma sessão extraordinária que é de sua competência, independente do presidente", disse.

A falta de consenso provocou um movimento atípico nas sextas-feiras na Câmara, quando os corredores e salões ficam esvaziados. Hoje, vários parlamentares se revezavam dando declarações sobre o impasse e sobre o futuro. Com a chegada de Maranhão, alguns deputados – entre eles, Júlio Delgado, Alessandro Molon, Rodrigo Maia, Pauderney Avelino e Heráclito Fortes – entraram na sala da presidência para tentar um acordo em torno dos próximos passos.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247