Randolfe: Ofereço a chance do PMDB virar oposição

Pré-candidato do Psol à Presidência, senador Randolfe Rodrigues (AP) se diz como alternativa à “ofensiva conservadora” que tem ganho terreno sobre o governo: “Essa história de presidencialismo de coalizão é eufemismo para justificar o clientelismo e o fisiologismo"; segundo ele, as três candidaturas já colocadas estão fidelizadas à mesma lógica do mercado: “Para completar, essas três candidaturas são reféns de uma governabilidade atrelada ao PMDB”  

Senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) defende a retirada de suas emendas ao projeto que facilita o pagamento das dívidas de estados e municípios com a União (PLC 99/13)
Senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) defende a retirada de suas emendas ao projeto que facilita o pagamento das dívidas de estados e municípios com a União (PLC 99/13) (Foto: Roberta Namour)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – Candidato do PSOL à Presidência, senador Randolfe Rodrigues (AP) vê o Brasil refém de uma ofensiva conservadora. “Temos uma política econômica conservadora, e as três candidaturas já colocadas estão fidelizadas à mesma lógica do mercado. Para completar, essas três candidaturas são reféns de uma governabilidade atrelada ao PMDB”, diz.

Ele critica o atual cenário de "distribuição de cargos, loteamento de funções públicas, repartimento da coisa pública; Essa história de presidencialismo de coalizão é eufemismo para justificar o clientelismo e o fisiologismo", diz. Segundo ele, o PSOL é a chance de ter o PMDB na oposição, de ter pela primeira vez José Sarney e Paulo Maluf na oposição. 

Randolfe também defende seu partido das suspeitas de envolvimento com manifestações violentas de rua. “Sempre apoiamos manifestações. Está no genótipo do PSOL. Nós surgimos das manifestações sociais, temos relação direta com elas. Temos muito orgulho disso. Mas identidade com esses grupos não temos nenhuma, porque são anárquicos, contra partidos”, diz. O senador também saiu em defesa do deputado Marcelo Freixo.

Leia aqui a entrevista concedida à Folha de S. Paulo.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email