Sem centrão, Ciro se volta ao PT e diz que Brasil não terá paz com Lula preso

O presidenciável Ciro Gomes, do PDT, que vinha negociando uma aliança com partidos do centrão e até de direita, decidiu dar meia volta em direção às esquerdas – em especial ao PT;  "O Brasil nunca será um país em paz enquanto o companheiro Luiz Inácio Lula da Silva não restaurar a sua liberdade. Eu luto por isso", disse Ciro, que também reconheceu seus erros; a questão, agora, é: o PT, que antes dizia que Ciro não seria aceito "nem com reza brava", aceitará essa aliança?

Sem centrão, Ciro se volta ao PT e diz que Brasil não terá paz com Lula preso
Sem centrão, Ciro se volta ao PT e diz que Brasil não terá paz com Lula preso
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - No mesmo dia em que o centrão anunciou que vai apoiar a candidatura do tucano Geraldo Alckmin, o pré-candidato do PDT, Ciro Gomes, com medo do isolamento na disputa presidencial, fez um discurso que representa um aceno claro a partidos de esquerda, como PCdoB e PSB.

Ciro vinha conversando com lideranças de DEM, PP e PR, mas nesta quinta, o bloco, além do PTB, fechou com o tucano. O anúncio deve ser feito nos próximos dias, dando a Alckmin mais tempo de campanha e praticamente isolando Ciro Gomes.

Ele defendeu a liberdade do ex-presidente Lula e criticou o Judiciário. "O Brasil nunca será um país em paz enquanto o companheiro Luiz Inácio Lula da Silva não restaurar a sua liberdade. Eu luto por isso", disse, durante encontro com dirigentes sindicais.

O presidenciável ainda admitiu cometer erros. "Eu não sou o dono da verdade, não sou poupado do erro, eu cometo erros. Eu cometo erros e não me custa nada reconhecer erros. Mas nenhum deles foi por deserção do que me trouxe à vida pública de volta, que é compromisso e o amor a essa terra e esse povo", disse.

A questão, agora, é: o PT, que antes dizia que Ciro não seria aceito "nem com reza brava", aceitará de volta?

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247