Teixeira vai ao MPF contra omissão da AGU sobre Moreira Franco

Deputado Paulo Teixeira (PT-SP) vai protocolar uma representação no Ministério Público Federal para apurar a possibilidade de prevaricação na conduta da chefe da Advocacia Geral da União, ministra Grace Mendonça, ao não informar ao STF que Moreira Franco fora denunciado, em outubro passado, no caso conhecido como farra das passagens

Deputado Paulo Teixeira (PT-SP) vai protocolar uma representação no Ministério Público Federal para apurar a possibilidade de prevaricação na conduta da chefe da Advocacia Geral da União, ministra Grace Mendonça, ao não informar ao STF que Moreira Franco fora denunciado, em outubro passado, no caso conhecido como farra das passagens
Deputado Paulo Teixeira (PT-SP) vai protocolar uma representação no Ministério Público Federal para apurar a possibilidade de prevaricação na conduta da chefe da Advocacia Geral da União, ministra Grace Mendonça, ao não informar ao STF que Moreira Franco fora denunciado, em outubro passado, no caso conhecido como farra das passagens (Foto: Gisele Federicce)

247 – O deputado federal Paulo Teixeira (PT-SP) irá protocolar nos próximos dias uma representação no Ministério Público Federal para apurar a possibilidade de prevaricação por parte da ministra Grace Mendonça, da Advocacia Geral da União. Para ele, a conduta da chefe da AGU foi "grave".

O motivo é a omissão, pela AGU, da informação de que Moreira Franco, que acaba de se tornar ministro da Secretaria-Geral da Presidência, fora denunciado, em outubro do ano passado, pelo uso indevido de dinheiro público na compra de passagens aéreas quando era deputado.

O envio de informações sobre Moreira Franco foi enviado ao Supremo a pedido do ministro Celso de Mello, que julgou essa semana uma ação da Rede contra a nomeação do peemedebista para o status de ministro, uma vez que ele delatado na Lava Jato. A ação aponta que o objetivo da nomeação foi blindar Moreira Franco, dando a ele prerrogativa de foro privilegiado. Celso de Mello decidiu que Moreira Franco pode continuar ministro.

A acusação sobre as passagens foi apresentada ao próprio Supremo, mas a corte ainda não decidiu se aceita ou não. Nela, Moreira é acusado de peculato. Ele foi um dos 440 deputados acusados, entre 2007 e 2009, de usar irregularmente passagens pagas pela Câmara. Moreira Franco nega as acusações.

Nos esclarecimentos enviados ao STF, a AGU do governo Temer informa que Moreira Franco não é investigado. "Não há qualquer investigação em curso contra o ministro", afirma um dos trechos. Noutro, os advogados da AGU escrevem que o ministro "não é sequer investigado em qualquer inquérito ou procedimento".

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247