Temer deve cancelar “balcão” e ter base menor se Previdência for derrotada

Michel Temer vê a aprovação da reforma da Previdência cada vez mais distante e já desenha um plano para evitar que o governo se torne obsoleto já no fim de fevereiro; se a principal agenda for mesmo derrotada, Temer deverá mudar o padrão de sua relação com o Congresso, requalificando a base e admitindo-a menor, para dar seguimento a pauta menos audaciosa e dependente do Legislativo, mas pragmática

Presidente Michel Temer durante cerimônia no Palácio do Planalto, em Brasília 12/07/2017 REUTERS/Adriano Machado
Presidente Michel Temer durante cerimônia no Palácio do Planalto, em Brasília 12/07/2017 REUTERS/Adriano Machado (Foto: Aquiles Lins)

247 - Michel Temer vê a aprovação da reforma da Previdência cada vez mais distante e já desenha um plano para evitar que o governo se torne obsoleto já no fim de fevereiro.

Segundo a coluna Painel, da Folha de S. Paulo, se a principal agenda for mesmo derrotada, Temer deverá mudar o padrão de sua relação com o Congresso, requalificando a base e admitindo-a menor, para dar seguimento a pauta menos audaciosa e dependente do Legislativo, mas pragmática.

"Numa leitura bastante otimista, esses aliados afirmam que o emedebista pode usar a derrota para firmar um novo marco, uma relação 'mais leve' com o Congresso, cancelando compromissos firmados em função da votação da reforma e redirecionando cargos e verbas aos mais fiéis", diz a coluna. 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247