Tijolaço: Temer gastou R$ 32 bilhões para perder 18 votos

"Temer só não acabou porque ainda tem o que vender. Mas Maia, logo depois da votação, já apresentava seu 'programa econômico': reforma da previdência com idade mínima e fim da lei de partilha e volta do sistema de concessões dos campos de petróleo", diz Fernando Brito, editor do Tijolaço

michel temer
michel temer (Foto: Leonardo Attuch)

Por Fernando Brito, editor do Tijolaço

Primeira denúncia, votação: 263 votos contra o afastamento de Temer, 227 contrários. Diferença de 36 votos em favor do usurpador.

Segunda denuncia, votação:  251 votos por Temer, 233 contra Temer. Diferença de 18 votos.

A conta, bem simples: se Michel Temer gastou 32 bilhões comprando votos para não ser investigado. logo, gastou R$ 32 bilhões  para perder  18 votos.

Não fez, sequer, os 257 votos necessários para ter maioria simples.

O cálculo renal de Temer, doloroso que fosse, doeu menos que o cálculo eleitoral.

Não tem condições de propor nada à Câmara.

Mesmo alguns de seus eleitores  declararam votos contrários à reforma da Previdência, que precisa “só” de 308 votos.

Ou seja, não tem isso, nem em sonho.

Como disse Pirro, o Rei de Épiro, na Grécia, “mais uma vitória como esta, estaremos destruídos”.

Temer só não acabou porque ainda tem o que vender.

Mas Maia, logo depois da votação, já apresentava seu “programa econômico”: reforma da previdência com idade mínima e fim da lei de partilha e volta do sistema de concessões dos campos de petróleo.

Não é à toa que tanta gente da direita queria a queda de Temer, para colocar o demônio no lugar do “coisa-ruim”.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247