Zanin contesta indiciamento de Lula pela PF de Moro: mais um capítulo do lawfare

"À época das doações Lula sequer era agente público e o beneficiário foi o Instituto Lula, instituição que tem por objetivo a preservação de objetos que integram o patrimônio cultural brasileiro e que não se confunde com a pessoa física do ex-presidente", disse ainda o advogado Cristiano Zanin Martins

(Foto: Lula Marques | Senado | Ricardo Stuckert)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – O advogado Cristiano Martins, que defende o ex-presidente Lula, disse que o indiciamento do ex-presidente pela Polícia Federal, hoje sob o comando de Sergio Moro, é mais um ataque ao petista que faz parte da guerra entre Lula e a Lava Jato de Curitiba, num processo de lawfare, em que o sistema judicial é usado para perseguir adversários. Confira abaixo a nota:

“O indiciamento é parte do Lawfare promovido pela Lava Jato de Curitiba contra o ex-presidente Lula, e não faz nenhum sentido: as doações ao Instituto Lula foram formais, de origem identificada e sem qualquer contrapartida. À época das doações Lula sequer era agente público e o beneficiário foi o Instituto Lula, instituição que tem por objetivo a preservação de objetos que integram o patrimônio cultural brasileiro e que não se confunde com a pessoa física do ex-presidente”.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247