Brasil 247: o seu jornal digital 24 horas por dia, 7 dias por semana.

REVISTA Revista Brasil 247

Edição #187

Edição #187
16 de Dezembro de 2017


O professor Fernando Haddad, que foi prefeito de São Paulo e ministro da Educação, vê o Brasil numa encruzilhada, com dois caminhos distintos: a volta ao século 19, com retrocessos que incluem até o trabalho escravo, ou consolidação de uma nação soberana e democrática; "Já tivemos o afastamento de uma presidente sem crime de responsabilidade, há o risco de uma condenação sem provas do ex-presidente Lula e só falta agora o parlamentarismo sem plebiscito. É um golpe em três atos", diz ele; Haddad afirma ainda que Lula está disposto a fazer um terceiro mandato ousado e antecipa algumas das propostas, como a isenção de impostos para a classe média e a federalização do ensino médio; confira a íntegra


Abrir versão online
Edição #186

Edição #186
8 de Dezembro de 2017


Em entrevista à TV 247, a jornalista Renata Mielli, coordenadora do Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação (FNDC) e Secretária Geral do Centro de Estudos da Mídia Alternativa Barão de Itararé, destaca a importância da comunicação pública e avalia que a Globo tem vivido "o pior momento de sua história"; "Os barões midiáticos não falam mais sozinhos. As redes sociais, as mídias alternativas, mesmo a TV pública, iniciaram um processo de construção de uma outra perspectiva jornalística, de discutir os temas da sociedade a partir de um outro olhar", avalia; ela criticou a permanência de Laerte Rimoli à frente da EBC após ter debochado do discurso de Taís Araújo contra o racismo - "um absurdo" - e define como "um erro político gravíssimo" a gestão dos governos do PT na comunicação; assista


Abrir versão online
Edição #185

Edição #185
2 de Dezembro de 2017


Em entrevista à TV 247, o professor, fundador da Uneafro e uma das mais respeitadas lideranças do movimento negro, Douglas Belchior, defende que "não é possível discutir um projeto para o Brasil que não parta do debate racial"; "Todo problema social no Brasil tem origem no racismo", diz; editor do blog Negro Belchior, ele comenta o caso William Waack e afirma que "a Globo, como maior educadora da nação, é o principal motor de massificação da ideologia racista"


Abrir versão online
Edição #184

Edição #184
25 de Novembro de 2017


Em entrevista à TV 247, a diretora de Bicho de Sete Cabeças e Como Nossos Pais, filme mais premiado em Gramado neste ano, destaca o papel da mulher na sociedade e também na indústria do audiovisual, onde apenas 17% ocupam cargos de direção e roteiro; "Metade do planeta se comporta como minoria porque ela se sente como minoria. Mas agora não se sente mais", diz; para Laís, "a forma como a Dilma foi tratada como presidenta foi desigual"; a cineasta paulistana critica os "retrocessos" da gestão João Doria e acredita que Lula irá vencer em 2018; "O Lula é um líder que não sei quando vai nascer outro igual. O que ele fez durante esses governos do PT é muito difícil tirar", declara


Abrir versão online
Edição #183

Edição #183
20 de Novembro de 2017


Presidente do PT do Distrito Federal, a deputada Erika Kokay (PT-DF), concedeu entrevista à TV 247, e afirmou que a agenda fundamentalista do Congresso, que ela tem combatido de forma corajosa, é uma consequência lógica do golpe de 2016; "O golpe tem um DNA fundamentalista. Esse processo tem três eixos: a retirada de direitos, a entrega de riquezas nacionais e a proteção aos políticos corruptos", diz ela; na entrevista, ela fala da importância dos bancos públicos e da necessidade de se proteger o patrimônio nacional, diante da agenda neoliberal que vem sendo coloca em marcha por Michel Temer; "Vender as usinas do sistema Eletrobrás afronta totalmente a segurança nacional. E acabar com os bancos públicos retira qualquer perspectiva de retomada do desenvolvimento"


Abrir versão online
Edição #181

Edição #181
11 de Novembro de 2017


Professor de ética e política da Universidade de Campinas (Unicamp), Roberto Romano discutiu em entrevista a TV 247 o que pode acontecer na sociedade brasileira caso Lula seja impedido de disputar a presidência. "Significa que você está colocando o fósforo muito perto do barril," diz ele; na sua visão, uma atitude drástica contra o presidente pode eliminar atenuantes políticos e colchões sociais que contribuem para a preservação das instituições brasileiras e produzir "uma explosão sem que você saiba quais são os riscos"; na entrevista, o professor diz que a Lava Jato emprega "métodos de investigação conhecidíssimos no Brasil: os métodos autoritários". Afirma que se ignora a presunção da inocência dos acusados, transferindo para eles a "coleta de provas


Abrir versão online
Edição #180

Edição #180
3 de Novembro de 2017


Em entrevista exclusiva à TV 247, a presidente deposta pelo golpe, Dilma Rousseff, lembra que "o padrão de corrupção em que se compra votos para aprovar um impeachment ou para aprovar a impunidade é um padrão do Temer"; "E esse era de fato o padrão do Eduardo Cunha na formação da maioria parlamentar que ele construiu na Câmara", destaca; para ela, "a Justiça tem que se pronunciar, tem de analisar" o pedido de anulação do impeachment apresentado ao STF por seu advogado no processo, o ex-ministro José Eduardo Cardozo; "Eu reconheço a importância que faça Justiça, não só pelo mandato, mas sobretudo em respeito à democracia e às instituições desse País"


Abrir versão online
Edição #179

Edição #179
28 de Outubro de 2017


Em entrevista à TV 247, o professor de direito da USP e especialista na legislação que regula o setor de petróleo no Brasil, Gilberto Bercovici, disse que venda de campos do pré-sal feito à multinacionais pelo governo Michel Temer a preços irrisórios fere a soberania do País; "Ele consuma o processo de entrega das reservas petrolíferas do Brasil", disse Bercovici aos jornalistas Leonardo Attuch e Paulo Moreira Leite; ele lembra que o leilão do pré-sal já sem o regime de partilha, pelo qual a Petrobras deixa de ser a operadora única dos campos, quebra uma tradição de mais de 70 anos em relação à soberania brasileira sobre o petróleo; "É um fato inédito no mundo um país abrir da exploração de suas próprias reservas"


Abrir versão online
Edição #178

Edição #178
29 de Outubro de 2017


“Não estamos no fundo do poço porque o poço do Temer não tem fundo”, avalia o ex-ministro Aloizio Mercadante em entrevista à TV 247; ele também diz que qualquer saída para a crise brasileira “passa por Lula” e afirma que será cada vez mais difícil para a direita brasileira excluí-lo da disputa eleitoral; ele também revelou bastidores da conspiração golpista e falou sobre o que vem sendo discutido pelos economistas que têm trabalhado num novo plano de governo para o ex-presidente Lula; convencido de que não haverá equilíbrio nas contas do governo sem que os mais ricos sejam obrigados a pagar mais impostos, ele defende a taxação das grandes fortunas e a criação de um imposto sobre herança


Abrir versão online
Edição #177

Edição #177
21 de Outubro de 2017


Um dos principais executivos da TV brasileira, com cargos de direção nas grandes emissoras do país, o jornalista Gabriel Priolli diz em entrevista à TV 247 que “a mídia brasileira é um oligopólio econômico e um cartel político”, que produz um “jornalismo de campanha”, que “deixou de informar para se dedicar à “orientação do eleitorado”; com mais de 40 anos de experiência no setor de rádio e TV, Priolli diz que a mídia comercial vive hoje sob um “pensamento único radical” e afirma que os governos populares erraram ao não levar a sério a questão da comunicação


Abrir versão online
Edição #176

Edição #176
15 de Outubro de 2017


Jornalista do primeiro time, autor de "Confesso que perdi", que já ocupa o quarto lugar na lista de best-sellers, Juca Kfouri acumula mais de 100 processos na Justiça de cartolas como Carlos Artur Nuzman, a quem sempre perguntou do que vivia. “Aí, um belo dia ele me disse que tinha um escritório de advocacia. E que vivia disso... Eu fui procurar...Ele não tinha nenhum caso”. Ele não concordou, no entanto, com a forma com que a prisão de Nuzman foi efetuada: “É claro que estamos vivendo um momento no país em que se prende absolutamente desordenadamente e dane-se o direito de defesa”. Filho de Promotor de Justiça, Juca ouviu dele: “Meu filho, passe longe do fórum, até evite ser testemunha, porque eu sei como é a Justiça no Brasil”


Abrir versão online
Edição #175

Edição #175
12 de Outubro de 2017


Em entrevista exclusiva à TV 247, o embaixador Celso Amorim, que já foi apontado pela revista Foreign Policy como "o melhor chanceler do mundo", relembra os bons tempos da política externa brasileira, quando o País era respeitado pelos vizinhos e pelas grandes potências; hoje, ao contrário, depois de trilhar um caminho se submissão a Washington, o Brasil praticamente desapareceu do mapa; "Ao contrário do que alguns imaginam, o que ganha a confiança não é a submissão, é a independência”; ex-ministro da Defesa do governo da presidente Dilma Rousseff, ele também falou sobre a crise recente no setor;  “Tendo a ser otimista e acreditar que os militares irão respeitar a Constituição. Tenho certeza de que vamos atravessar essa coisa”; na entrevista, ele também fala sobre a possível candidatura ao governo do Rio de Janeiro


Abrir versão online
Edição #174

Edição #174
7 de Outubro de 2017


Em entrevista à TV 247, um dos mais respeitados constitucionalistas do país, Pedro Serrano, afirma que hoje as medidas de exceção já comprometem várias áreas da vida brasileira, muito além da investigação sobre políticos e denúncias de corrupção; "O problema central não é o Lula", diz ele; "O central é que há uma produção de uma jurisprudência de exceção"; neste ambiente em que a Justiça se torna um espetáculo, muitos servidores – onde ele inclui membros do Ministério Público e até juízes – se sentem intimidados, avalia


Abrir versão online
Edição #173

Edição #173
3 de Outubro de 2017


Em entrevista exclusiva à TV 247, o deputado Jean Wyllys (Psol-RJ) falou sobre os enormes retrocessos do Brasil pós-golpe, como a proposta de "cura gay"e o novo macartismo cultural, que tem atingido exposições artísticas pelo Brasil afora; "A Organização Mundial de Saúde retirou de vez a homossexualidade do código de doenças em 1990. Ou seja: desde então, ela é considerada uma expressão da sexualidade humana, como a heterossexualidade ou a bissexualidade. O que temos que discutir é a cura para a homofobia", afirma


Abrir versão online
Edição #171

Edição #171
23 de Setembro de 2017


Ministra responsável pelo combate à pobreza no governo da presidente Dilma Rousseff, Tereza Campelo faz um alerta: "o Brasil corre o risco de voltar para o mapa da fome"; isso porque, desde o golpe de 2016, a questão social saiu da prioridade do orçamento federal; Tereza critica o fim da política de valorização do salário mínimo, as ameaças de cortes nas aposentadorias rurais, o fim dos programas de agricultura familiar e a flexibilização dos direitos trabalhistas; ela afirma ainda que a elite brasileira atirou contra o próprio pé, ao apoiar a deposição de Dilma: "os empresários sabotaram seu próprio mercado interno", afirma


Abrir versão online
Edição #170

Edição #170
22 de Setembro de 2017


Em entrevista à TV 247, o líder do PT Carlos Zarattini afirma que, desta vez, a Câmara poderá afastar Michel Temer do cargo. “Se nós tivermos um movimento de mobilização, uma revolta, o governo não resiste” diz. “Na primeira votação o governo fez muitas promessas, que não foram cumpridas. Tem um déficit aí. Ao mesmo tempo, é um governo sem nenhuma popularidade”


Abrir versão online
Edição #169

Edição #169
18 de Setembro de 2017


Em entrevista à TV 247 o jornalista Florestan Fernandes Jr. é enfático quanto ao que aconteceu no Brasil há um ano: “Eu acho que o que aconteceu no Brasil foi um golpe mesmo. E um golpe que começou a ser armado talvez antes ainda da primeira eleição da Dilma”. “Havia um interesse violento dos bancos de tirar a Dilma e colocar alguém atrelado aos interesses deles”, explica. “O que surpreendeu muito foi a utilização da Justiça para se fazer esse trabalho que no passado foi feito pelos militares”, diz ele; Florestan também denuncia o nítido interesse internacional na tomada do pré-sal


Abrir versão online
Edição #168

Edição #168
17 de Setembro de 2017


“Nós temos um consenso na sociedade brasileira contra o governo Temer. Ele conseguiu realizar a profecia de unir o Brasil. Contra ele. Temer não tem condições políticas de terminar esse governo”, diz Guilherme Boulos, militante do MTST e da Frente Povo sem Medo; em entrevista exclusiva ao 247, Boulos também defende o direito de Lula se candidatar a presidente em 2018; “O ataque judicial ao Lula, no meu entendimento, é parte do mesmo processo que resultou no golpe no país”; ele lembra ainda que, contra Temer há provas e mais provas, enquanto, no caso Lula, existem apenas convicções


Abrir versão online
Edição #167

Edição #167
10 de Setembro de 2017


Em entrevista exclusiva à TV 247, o governador do Maranhão, Flávio Dino, do PCdoB, apontou a única saída para o caos institucional brasileiro; "Só as urnas salvam, em eleições legítimas. Eleições legítimas são aquelas em que todos podem concorrer, nas mesmas condições. Se você elimina artificialmente um personagem que esteve presente em todas as eleições e que lidera todas as pesquisas, você tira a legitimidade desse processo", afirma


Abrir versão online
Edição #166

Edição #166
7 de Setembro de 2017


"A única coisa que eu tenho a oferecer ao povo brasileiro é a minha inocência. Se eu tivesse alguma culpa, eu não teria a coragem de olhar nos olhos do povo brasileiro e de uma velhinha de 90 anos que vem de longe me ver", disse o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, na entrevista concedida aos jornalistas Leonardo Attuch, Paulo Moreira Leite e Leonardo Stoppa. Sobre o depoimento judicial, que vem logo depois uma avalanche de carinho do povo brasileiro, Lula soltou uma ironia. "Espero que o Moro me abrace", afirmou


Abrir versão online
Edição #165

Edição #165
6 de Setembro de 2017


O atual vice-diretor do Instituto de Energia e Ambiente da USP, ex-diretor de Gás e Energia da Petrobrás e um dos maiores especialistas em energia do país, professor Ildo Sauer, discorda em gênero, número e grau da anunciada pretensão do governo Temer de privatizar a Eletrobrás; "Trata-se de uma proposta indecente, pra dizer o mínimo, de um governo ilegítimo que não tem autoridade nenhuma para fazer esse tipo de coisa", afirma, em entrevista à TV 247; o engenheiro lembra de um dispositivo constitucional que impede esse tipo de transação: "A população brasileira é a dona real dos recursos hídricos segundo o artigo 20 da constituição"; Sauer é categórico em desmentir o ministro das Minas e Energia, Fernando Bezerra Filho, sobre o fato de que haverá queda nas tarifas: "É impossível!"


Abrir versão online
Edição #164

Edição #164
5 de Setembro de 2017


Uma das vozes mais atuantes da bancada do PT no Congresso em defesa da anulação do golpe parlamentar, o deputado federal Paulo Teixeira (PT-SP) defendeu, em entrevista à TV 247, que seja feita uma pressão por parte da sociedade não apenas pela queda de Michel Temer, mas também pela anulação do processo que tirou Dilma Rousseff da presidência; "Fazer pressão junto ao Supremo é exigir um compromisso da Corte com a democracia", diz ele; para o parlamentar, "uma quadrilha está hoje saqueando o Brasil"; "Eu acredito que essas privatizações são um pacote de contrapartida ao mercado para sustentação do Temer", avalia; ele define a denúncia do advogado Rodrigo Tacla Duran contra o amigo do juiz Sergio Moro como "gravíssima"


Abrir versão online
Edição #163

Edição #163
3 de Setembro de 2017


Um dos principais nomes da imprensa brasileira, o jornalista Luis Nassif avalia que a mídia brasileira é diretamente responsável pelo golpe de 2016; "a chamada grande mídia foi a principal propagadora de fake news e também incitou esse ambiente irracional de ódio no País", afirma; segundo ele, o "jornalismo de esgoto", criado pela revista Veja para destruir reputações e atacar os governos do ex-presidente Lula, se tornou um padrão no País e contribui para a destruição da democracia brasileira; em artigos recentes, Nassif tem feito chamados aos empresários e aos setores nacionalistas da sociedade para que reajam em relação ao desmonte do País que vem sendo promovido por Michel Temer


Abrir versão online
Edição #162

Edição #162
1 de Setembro de 2017


O jornalista e escritor Fernando Morais, editor do Nocaute e um dos principais nomes da literatura brasileira, diz que Michel Temer conseguiu um prodígio: o de reunir a maior coleção de batedores de carteira num único governo; "se ele ficar até o fim, não restará um figo podre nas mãos do estado brasileiro", afirma; atualmente, além do Nocaute, Morais se dedica a escrever uma biografia do ex-presidente Lula e diz que ele será lembrado pela História como um nome ainda maior do que Getúlio Vargas; em relação ao golpe, ele diz estar convencido da participação dos Estados Unidos na deposição da presidente Dilma Rousseff


Abrir versão online
Edição #161

Edição #161
27 de Agosto de 2017


Em entrevista exclusiva ao 247, o cantor e compositor Alceu Valença definiu Michel Temer como uma figura "temerosa" e disse não descartar que ele tenha firmado um pacto mefistofélico para chegar ao poder; neste depoimento, ele também falou sobre geopolítica, tema que o fascina, e comentou a questão da Venezuela; "Tudo bem criticarem o Maduro. Mas por que não fazem o mesmo com o Kuwait e a Arábia Saudita, que são ditaduras?", questiona; sobre sua trajetória política, Alceu disse ter votado em FHC, Lula e Dilma apenas uma vez – em 2014, seu candidato era Eduardo Campos e, com sua morte, ele não votou em nenhum candidato; no fim da entrevista, ele também cantou, a capela, algumas de suas canções mais conhecidas


Abrir versão online
Edição #160

Edição #160
24 de Agosto de 2017


Um dos mais lendários financistas do País, Luiz Cezar Fernandes falou ao 247 e disse que o Brasil poderá viver uma das maiores crises da sua história, com o colapso da dívida interna; "se for mantida a trajetória atual, um calote da dívida é inevitável", afirmou; "a dívida brasileira não é suportável com esses níveis de taxas de juros"; uma reestruturação da dívida, diz ele, seria ainda mais grave do que o confisco da poupança, no governo Collor, com aplicações financeiras sendo congeladas e tendo seus rendimentos diminuídos; ele critica o rentismo da economia brasileira, que criou uma sociedade de "juristas" – de pessoas que vivem de juros, e não não da produção; ele diz ainda que a situação fiscal brasileira é mais grave do que a da Grécia; assista a íntegra


Abrir versão online
Edição #159

Edição #159
18 de Agosto de 2017


Um dos mais ativos criminalistas do país, Antonio Carlos de Almeida Castro, o 'Kakay', tem uma visão dura sobre a sentença de 9 anos e meio do juiz Sérgio Moro contra Lula; em entrevista a TV 247, ele afirma que o interrogatório do ex-presidente em Curitiba mostra que o juiz assumiu "claramente uma postura não parcial" em relação ao réu e diz que Moro, ao admitir que o triplex no Guarujá "não tinha nenhuma relação com a Petrobras", "tornou o processo nulo"; Kakay admite que a Lava Jato realiza uma investigação necessária contra a corrupção no país, mas denuncia seus excessos


Abrir versão online
Edição #158

Edição #158
16 de Agosto de 2017


Herdeira de um fundo milionário do banco Credit Suisse administrado por seus familiares, a mineira Roberta Luchsinger decidiu dar uma resposta ao juiz Sérgio Moro que bloqueou todas as contas do ex-presidente Lula; ela começou doando a mesada que recebia de seu avô e uma coleção de objetos de luxo que totalizam R$ 500 mil; "É uma doação simbólica", disse à TV 247; "Estava todo mundo só batendo no único homem que pegou e fez alguma coisa pelo Brasil", declarou; ela também fez críticas ao governo Temer, admitiu 'adorar pão com mortadela' e descreveu desta forma a classe social a que pertence: "A elite brasileira, em sua maioria, é mesquinha"; assista à íntegra


Abrir versão online
Edição #157

Edição #157
10 de Agosto de 2017


Professor de Relações Internacionais da UFABC passa a limpo a mitologia política construída pela grande mídia em torno da crise na Venezuela; Igor Fuser afirma que o governo de Nicolás Maduro não tomou nenhuma medida fora da Constituição venezuelana; "Se existe algum país que merece ser suspenso por romper com a democracia é o Brasil. Porque no Brasil houve golpe", afirma; "Os Estados Unidos não vão desistir enquanto não derrubarem o governo bolivariano", acrescenta; Fuser prevê um conflito "longo e duro pela frente" no país vizinho


Abrir versão online
Edição #156

Edição #156
8 de Agosto de 2017


Autora de um vídeo com mais de 2 milhões de visualizações em que afirma que o prefeito de São Paulo é "a maior mentira que já te contaram", a suplente de vereadora Isa Penna (PSOL-SP) afirma que João Doria (PSDB) "está um pouco confuso... ele quer virar um monarca"; Isa defende candidatura própria do PSOL a presidente da República em 2018 e diz que discutir nomes é menos importante que debater programas; em sua opinião, não tratar juízes como políticos é um erro: "O Gilmar Mendes, por exemplo, a gente fala menos do que deveria falar"; para ela, Sergio Moro "é um juizinho de primeira instância e quinta categoria"


Abrir versão online
Edição #155

Edição #155
2 de Agosto de 2017


“Alguns setores no Brasil conseguiram o que nem Pablo Escobar sonhou na Colômbia. Todo mundo sabe quem é dono da cocaína do avião, mas a grande mídia silencia. Enquanto isso, um advogado ligado a uma facção criminosa vira secretário de Estado e depois Ministro do Supremo”, disse o cantor e compositor Chico César, em entrevista exclusiva à TV 247; no depoimento, ele também se disse perplexo com as pessoas comemorarem tanques no Rio de Janeiro; “Eles querem que o pobre não desça para praia, que fique no morro. Sempre houve, desde a época da escravidão, um desprezo pelo pobre, pelo trabalhador braçal", afirma; na entrevista, ele também cantou belas canções, como "Reis do Agronegócio" e "Estado de Poesia"; confira a íntegra


Abrir versão online
Edição #154

Edição #154
22 de Julho de 2017


Em entrevista exclusiva ao jornalistas Leonardo Attuch e Paulo Moreira Leite, o ex-senador Saturnino Braga diz estar convencido de que o golpe de 2016 teve participação direta dos Estados Unidos e começou a ser planejado com a espionagem da NSA, a Agência Nacional de Segurança, sobre a Petrobras. "A Dilma avançou no modelo de partilha da Petrobras, na construção dos BRICs e na política externa independente", afirma. Na sua visão, a Operação Lava Jato teve apoio externo e tinha como objetivo inicial influenciar na disputa eleitoral de 2014, para que o senador Aécio Neves (PSDB-MG) fosse eleito. "Se não ganhassem as eleições, teriam que dar o golpe, como efetivamente deram"; Segundo ele, o papel do Brasil na geopolítica internacional seria o de "potência da paz" – tema ao qual ele tem se dedicado a escrever ensaios


Abrir versão online
Edição #153

Edição #153
14 de Julho de 2017


Jornalista que entrou para a história do Brasil ao ajudar a derrubar a ditadura militar de 64, Audálio Dantas diz que “o que estão fazendo com Lula desde o começo não tem outra palavra para classificar senão sacanagem”; “Defendo o direito dele de se candidatar e não sofrer as safadezas que armam contra ele”, afirma; ele não entende como Temer ainda não caiu: “Eu nunca vi um presidente da República com tantas evidências, claríssimas evidências de comportamento ruim, não só do ponto de vista da corrupção. Isso está claro”; sua avaliação do Congresso Nacional é categórica: “Eu não tenho dúvida, eu já fui congressista. Esse é o pior congresso da história desse país”


Abrir versão online
Edição #152

Edição #152
8 de Julho de 2017


Em entrevista aos jornalistas Paulo Moreira Leite e Alex Solnik, o cantor e compositor Otto Maximiliano Pereira de Cordeiro Ferreira, ou simplesmente Otto, desabafa: "Como se pode fazer isso com um país"?; "Acho que estamos vivendo a maior tortura como povo... são quatro, cinco anos... ninguém aguenta mais", diz; Otto não tem dúvida acerca do caminho a seguir: "Uma coisa eu sei: o palco de quem pede Diretas é o verdadeiro"


Abrir versão online
Edição #151

Edição #151
30 de Junho de 2017


Declaração é do cientista político e pesquisador do Instituto de Estudos Sociais e Políticos da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (IESP-UERJ) Fabiano Santos, e comprova, segundo ele, que o impeachment que tirou Dilma Rousseff do poder "quebrou as regras do jogo"; O complicado no processo e que o caracteriza ilegitimidade foi o fato de o argumento de crime de responsabilidade da Dilma ter sido articulado depois da decisão de derrubá-la. A decisão de derrubar a Dilma Rousseff estava tomada, e foi-se atrás de um argumento qualquer para se buscar o crime de responsabilidade", disse, em entrevista ao 247; ele destacou também o enfraquecimento do centro político brasileiro e o que isso implica para as próximas eleições presidências; assista à íntegra


Abrir versão online
Edição #150

Edição #150
24 de Junho de 2017


Embora sejam ambos próximos ao PSOL, a escritora e professora de Filosofia Márcia Tiburi, filiada ao partido e o ator Wagner Moura, simpatizante, divergem a respeito de quem deve entrar no lugar quando Temer cair; nessa entrevista exclusiva à TV 247, realizada por Leonardo Attuch e Alex Solnik, ela defendeu a candidatura Lula: “O povo gosta dele”; “Ele é a cara do povo”; “O Lula é muito melhor do que qualquer outro que possa aparecer”. Para Wagner “a esquerda precisa de um projeto novo e esse projeto não é representado por Lula”. “Meu sonho é uma chapa Haddad-Freixo” diz Wagner; confira a íntegra


Abrir versão online
Edição #149

Edição #149
18 de Junho de 2017


"A direita brasileira, se fosse democrática, deveria ter decidido esperar mais quatro anos, porque o modelo de desenvolvimento do governo da presidente Dilma Rousseff já dava sinais de esgotamento. Mas a direita nem sempre é inteligente. Ela foi burra. A impaciência produziu esse estrago e a classe dominante está a se devorar. Um exemplo é o choque entre a Globo e o Temer", diz o sociólogo Boaventura Sousa Santos, um dos maiores intelectuais europeus; em entrevista aos jornalistas Paulo Moreira Leite e Leonardo Attuch, ele afirma que há um quadro de impotência no Brasil; "Nem a classe dominante consegue governar, nem as classes populares conseguiram oferecer uma alternativa"; ele enfatiza ainda que Dilma, a presidente mais honesta da América Latina, foi deposta pelos políticos mais corruptos da região


Abrir versão online
Edição #148

Edição #148
9 de Junho de 2017


Dono de um canal no Youtube onde seus vídeos de política e economia atingem até 10 milhões de visualizações, Leonardo Stoppa diz que o Brasil vive um momento de guerra de dossiês: "Cunha tem um dossiê extraordinário e pessoas igual ao Joesley têm uma espécie de material informativo guardado capaz de derrubar qualquer um"; nascido em Minas Gerais, Stoppa acredita que Temer esteja na lama, mas seja só um bode expiatório; "Joesley realmente forneceu informações que poderiam levar ao Temer como chefe do esquema de corrupção...mas, ao meu ver, tem algo acima do Temer"; ele não prevê dias melhores caso Temer deixe o Planalto; "A queda do Temer vai trazer uma eleição indireta e essa eleição indireta vai trazer o presidente da Globo"; mas sua opinião mais surpreendente é sempre a próxima: "Eu não acho que o Aécio está acabado"


Abrir versão online
Edição #146

Edição #146
30 de Maio de 2017


Em entrevista à TV 247, o vereador de São Paulo revelou que pergunta faria ao presidente Michel Temer se fosse Edson Fachin, o ministro relator da Lava Jato no STF, a respeito da gravação feita pelo empresário Joesley Batista; o petista discorda de Temer, que já declarou que não renuncia para não assumir culpa no episódio; amigo de Fernando Henrique Cardoso, recusou-se a opinar se o PSDB está certo ou errado em continuar apoiando Temer depois do episódio da fita, mas acha que o ex-presidente tucano e o ex-presidente Lula são as pessoas que deveriam dialogar em busca da pacificação do país; sobre a ação do prefeito João Doria na Cracolândia, avalia que "foi uma forma um tanto drástica, violenta" de enfrentar a situação


Abrir versão online
Edição #145

Edição #145
28 de Maio de 2017


Em entrevista ao 247, o ex-ministro José Eduardo Cardozo diz que Michel Temer perdeu as condições de governabilidade e que a melhor saída seria a renúncia, mas explica por que isso não ocorrerá; "ele perderia não só o foro privilegiado, como também a imunidade em relação aos crimes anteriores ao mandato, já delatados pela Odebrecht"; Cardozo disse ainda que a prova fornecida pela JBS não pode ser descontituída, uma vez que os áudios comprovam, no mínimo, o crime de prevaricação; Cardozo comentou também as declarações do senador afastado Aécio Neves, que disse que entrou com as ações no TSE "para encher o saco"; segundo Cardozo, todos aqueles que feriram a democracia hoje pagam um preço alto; "há uma maldição democrática", afirma; confira a íntegra


Abrir versão online
Edição #144

Edição #144
22 de Maio de 2017


Jurista e doutor em Direito Penal afirma, em entrevista à TV 247, que Michel Temer "tem que renunciar imediatamente" por conta do áudio divulgado pelo empresário Joesley Batista, da JBS, no qual cometeu pelo menos três crimes; "Eu vejo esse áudio como o encontro do máfia, que não se encontra visivelmente. Eles escolheram o porão do Palácio do Jaburu às 23h. Isso é coisa de máfia", opinou; para ele, nossa situação está hoje "igualzinha" à da Guatemala, onde o ex-presidente Otto Pérez Molina teve prisão decretada sob a acusação de liderar uma rede de corrupção, ou da Coreia do Sul, onde a presidente, também acusada de corrupção, também já está na cadeia; Luiz Flávio Gomes explica por que o crime do senador Aécio Neves (PSDB-MG) não pode ser considerado flagrante e critica ainda os excessos da Lava Jato


Abrir versão online
Edição #142

Edição #142
5 de Maio de 2017


Autor de reportagens memoráveis e do livro "O Príncipe da Privataria", escrito em parceria com Mylton Severiano da Silva, o jornalista Palmério Dória afirma, nessa entrevista exclusiva ao 247, que "Temer está por um fio" e só não caiu até agora porque a Globo não quis; mas que "não tem como ele resistir até 2018"; Palmério também responsabiliza "as quatro grandes irmãs da mídia" pelo golpe que levou Temer ao poder; denuncia a era do pensamento único na Globo: "Eles limaram todas as vozes destoantes"; para ele, "a Globo News é criminosa"; a respeito do juiz Sergio Moro, cunhou uma frase lapidar: "Não tem nada pior que Moro"


Abrir versão online
Edição #141

Edição #141
28 de Abril de 2017


Em entrevista concedida à TV 247 antes da aprovação da reforma trabalhista, o deputado Carlos Zarattini, líder do PT na Câmara, fala sobre a crise do país e faz um balanço do Partido dos Trabalhadores; diz que o partido está organizado para combater a reforma da Previdência e que vai atuar junto aos eleitores dos parlamentares da base do governo, para cobrar "em cada lugar, em cada canto", que eles votem de acordo com o interesse da população; para ele, políticos como Rodrigo Maia, Eunício Oliveira e Romero Jucá "só irão sustentar este governo enquanto tiverem apoio da elite que sustentou o golpe"; na avaliação do petista, em qualquer das áreas que atua, Temer favorece os interesses do capital estrangeiro e compromete a soberania do país


Abrir versão online
Edição #139

Edição #139
14 de Abril de 2017


Indignado com as bombásticas revelações da lista de Fachin, o deputado federal Chico Alencar (PSOL-RJ) afirma, nessa entrevista exclusiva ao 247 que as reformas em curso subiram no telhado: “O relator da reforma da Previdência e o relator da reforma política, como o relator da recuperação fiscal dos estados estão todos sob investigação! Como é que eles podem querer mexer em direitos dos trabalhadores”!? Ele prega renúncia ampla, geral e irrestrita: “O correto mesmo era todos renunciarem aos mandatos, encurtá-los, assim como presidente da República, governadores e deputados estaduais e a gente partir para eleições gerais no país”


Abrir versão online
Edição #138

Edição #138
7 de Abril de 2017


Em entrevista exclusiva à TV 247, o ex-governador do Rio Anthony Garotinho confirma que a delação do também ex-governador Sergio Cabral está no forno; "O Cabral hoje fez a pré-delação, onde ele cita 97 casos... não são 97 pessoas, são 97 casos... seria impossível acontecer isso tudo no estado se ninguém do Judiciário e do Tribunal de Contas não soubesse, se o Ministério Público não soubesse", diz; ele também denuncia Pezão, outro ex-aliado seu: "No primeiro governo inteiro do Cabral o secretário de Obras que tocou essa máquina corrupta foi o Pezão"; ao falar sobre o governo Temer, diz não aceitar a reforma da Previdência: "Imagina se o Temer fosse um candidato e dissesse 'Você vai ganhar pelas horas que trabalhar. Não vai ter férias, nem décimo-terceiro'. Você acha que ele ia ganhar? Como é que um cara que não foi votado para isto pode fazer isto? O que eu questiono é o seguinte: ele tá descendo ladeira abaixo e vai descer mais"


Abrir versão online
Edição #137

Edição #137
31 de Março de 2017


"O nome da crise é golpe", afirma Aloizio Mercadante em entrevista à TV 247. Lembrando a rejeição ao governo Michel Temer, o economista que foi ministro da Casa Civil e da Educação no governo Dilma Rousseff define a política econômica de Henrique Meirelles como "austericídio"; para ele, "houve uma inflexão no 15 de março, quando se expressou a resistência popular" e milhões de pessoas foram às ruas; "A tendência é crescer o movimento popular e a luta social"; sobre a perseguição a Lula, diz que "é que nem massa de pão: quanto mais bate, mais cresce"; Mercadante adverte ainda que o governo Temer nasceu pré-condenado ao fracasso, com um incurável defeito de origem: "Quem nasce da traição, quem traiu o voto, não tem como dar certo"


Abrir versão online
Edição #136

Edição #136
24 de Março de 2017


Em entrevista exclusiva à TV 247, o ministro mais forte do regime militar e um dos mais influentes conselheiros dos governos Lula e Dilma, além de interlocutor frequente do governo atual, Delfim Netto disse que a crise da carne vai acabar quando o Brasil der um desconto aos importadores; “Eles vão continuar comprando. É uma questão de preço”; Delfim conta por que Dilma caiu e por que se afastou dela: “A Dilma fez em 2011 um excelente governo. No começo de 2012 teve uma mudança na sua forma de pensar e começou a cometer erros dramáticos”; Não economiza elogios a Lula: “O Lula é um gênio! O Lula é um diamante bruto! É ilusão pensar que o Lula é um falecido”; para ele, Moro deu um “tiro mortal” na nomeação de Lula na Casa Civil, “que teria mudado a história do Brasil”; e agiu como censor no caso do blogueiro Eduardo Guimarães: “É evidente que ele exerceu censura. Você ser obrigado a dizer qual é a sua fonte”


Abrir versão online
Edição #135

Edição #135
17 de Março de 2017


Presidente da CUT diz que, apesar do estrondoso sucesso dos protestos realizados dia 15 último, em ao menos 18 estados e principais cidades brasileiras, contra as reformas de Temer, este foi apenas o primeiro de muitos atos previstos para os próximos meses em todo o país; "Hoje a gente começou a derrotar as propostas de reforma do Temer", afirmou; "Acumulamos forças para uma greve geral"; "Temer é um impostor", disse Vagner, justificando sua recusa em abrir negociações; "A CUT não negocia com o governo Temer por ser de direita, mas por ser ilegítimo"; para ele, impedir a candidatura de Lula em 2018 "seria a pá de cal no golpe"; "Se eles fizerem essa atrocidade de impedir a candidatura Lula, eles vão provocar uma convulsão social no Brasil que não interessa a ninguém"


Abrir versão online
Edição #134

Edição #134
11 de Março de 2017


Em entrevista exclusiva ao 247, o ex-ministro da Educação do governo Dilma e professor de Ética e de Filosofia da Universidade de São Paulo, Renato Janine Ribeiro lembra que Lula foi o primeiro presidente brasileiro a colocar o combate à fome e a inclusão social na agenda nacional; “Essa agenda sem inclusão social do governo Temer” diz ele “só é possível para um governo não eleito”; para ele, o PSDB cometeu um erro ao embarcar no impeachment; na sua avaliação, o processo atual favoreceu o ex-presidente Lula que, se conseguir ser candidato, estará no segundo turno; Janine disse ainda que as acusações assacada contra Lula pelo Ministério Público são frágeis; confira a íntegra


Abrir versão online
Edição #133

Edição #133
4 de Março de 2017


Ministra da Secretaria de Políticas para as Mulheres no governo da presidente eleita Dilma Rousseff, Eleonora Menicucci concedeu entrevista exclusiva ao 247, em que falou sobre as atividades previstas para o 8 de Março, Dia Internacional da Mulher; segundo ela, as mulheres vão parar em defesa de três pautas – o fim da violência, a garantia dos direitos sexuais e a igualdade salarial – mas também contra o golpe de 2016, que, segundo ela, teve um caráter misógino; "O patriarcado não aguentava mais ser governado por uma mulher", diz Eleonora; "Queriam que nós voltássemos para o tanque"


Abrir versão online
Edição #132

Edição #132
24 de Fevereiro de 2017


Em entrevista a Alex Solnik, do 247, o jornalista Juca Kfouri ironiza os escândalos diários do governo Temer, como o mais recente, em que Eliseu Padilha saiu para fazer uma cirurgia da próstata após ser delatado por José Yunes; "O governo não está bem de saúde. Veja, essa coisa do Yunes não tem pé nem cabeça, né. A versão dele. É um documento... um documento um pouco mais espesso que o cara disse que era 1 milhão de reais...", diz; para ele, "não é mais Ali Babá e os 40...é o Temer e os 140"; para o jornalista, "Temer tem mais medo de Cunha que Cunha de Temer"


Abrir versão online
Edição #131

Edição #131
18 de Fevereiro de 2017


Líder do Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST), que está promovendo um acampamento em plena Avenida Paulista em defesa da habitação popular, Guilherme Boulos afirma que o governo Temer praticamente matou os programas de moradia para os mais pobres; segundo ele, o Minha Casa, Minha Vida reduziu drasticamente os recursos para a faixa 1, que concentra mais de 80% do déficit habitacional, e ganhou uma nova face; "o que era programa social se converteu em crédito imobiliário", diz ele; Boulos também fala sobre os impasses gerados pelo golpe parlamentar de 2016 e diz que a única saída para o Brasil é a luta popular; "O que está em jogo é um programa de destruição completa do País, não só das conquistas do lulismo, mas também da Constituição de 1988 e do getulismo"


Abrir versão online
Edição #130

Edição #130
10 de Fevereiro de 2017


Uma das mais carismáticas apresentadoras do "Fantástico", Doris Giesse revela ao jornalista Alex Solnik como a Globo manipula a opinião pública para impor ao país ou destruir pessoas e ideias que a família Marinho deseja, como ocorreu no episódio do impeachment de Dilma; ela afirma que Aécio Neves, com quem conviveu em 1985, é a pessoa errada no lugar errado e não mudou nada de lá para cá: "O talento dele é o blábláblá e não ser o herdeiro de Tancredo. Ele é o playboyzinho do Brasil, um papagaio de pirata"; Doris também conta como foi usada para ajudar a eleger o Collor e a diferença de tratamento entre os dois candidatos que disputaram o segundo turno em 1989; para ela, "o Brasil continua sendo uma colônia"; "A gente não é guiado por nada que é genuinamente nacional. Isso está na cara. Só não vê quem não quer"


Abrir versão online
Edição #129

Edição #129
3 de Fevereiro de 2017


Um dos mais destacados membros da diplomacia da Rússia atual, Konstantin Kamenev, está em sua terceira missão no Brasil e sexta no mundo, com passagens, entre outros países, por Jamaica e Cuba; cônsul-geral em São Paulo, ele relata que "a Rússia sempre provocou sentimentos negativos de inveja, devido a seus recursos naturais", o que se acentuou, paradoxalmente, depois do fim da União Soviética, em 1992: "Agora que desmantelamos as barreiras ideológicas e somos capitalistas, nossos correligionários capitalistas nos odeiam ainda mais", lamenta ele, o que chama de "russofobia"; por esse motivo, admite que "pairam nuvens negras sobre a Copa do Mundo de 2018"; "Não descarto a possibilidade de boicote por parte das grandes potências futebolísticas do Ocidente, tal como ocorreu na Olimpíada de Moscou de 1980"


Abrir versão online
Edição #128

Edição #128
27 de Janeiro de 2017


Secretário municipal da Cultura de São Paulo, André Sturm, assegura que o prefeito João Doria (PSDB), que mandou apagar os grafites dos muros da Avenida 23 de Maio, “não é contra o grafite, claro que não é”; mas tudo tem limites, afirma: “Pichação é vandalismo. É outra história”; sobre o grafite, é categórico: “Eu acho que grafite é arte, claro”


Abrir versão online
Edição #127

Edição #127
20 de Janeiro de 2017


Um dos políticos mais importantes e com atuação decisiva na vida nacional em defesa da democracia, há mais de 60 anos, Almino Afonso critica a figura do impeachment, não só no caso de Dilma, mas também de Collor: "Eu acho que o impeachment não é a solução melhorar para superar crises políticas". Dos atuais ministros, faz restrições a Alexandre de Moraes: "Não sou um entusiasta dele". Embora não ataque Temer explicitamente, acha que "está nos faltando uma voz que diga ao país: o caminho é esse". "Eu acho que o Fernando Henrique poderia ser essa voz", diz. Mas Lula, não: "O Lula está com o nome altamente discutível". Nenhum dos postulantes à sucessão de Temer se enquadra nesse perfil: "Ainda não vejo candidato a presidente da República que o país precise"


Abrir versão online
Edição #126

Edição #126
13 de Janeiro de 2017


Ameaçado de processo pelo ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, seu antecessor, Eugênio Aragão, responde: "ele não vai me calar". "Tem que pensar três vezes antes de me intimidar", completou. Último ministro da Justiça do governo Dilma, Aragão continua a desferir suas críticas tanto ao ministro quanto ao governo Temer. "Alexandre de Moraes não deu uma dentro. Eu não sei o que esse homem tem. Mas deve ter alguma carta na manga que ninguém mexe com ele". Aragão não acredita em eleições ainda este ano: "No fundo, é muito mais vantajoso deixar esse projeto de golpe se esgotar. Porque eles vão quebrar a cara, não vão deixar pedra sobre pedra e aí as chances para quem foi governo durante 13 anos voltar são muito maiores"


Abrir versão online
Edição #125

Edição #125
6 de Janeiro de 2017


Para Frei Betto, escritor best-seller, as cadeias brasileiras "são meros depósitos de seres humanos" e "a morte deles é encarada com indiferença pelas autoridades". "Há que investigar fundo, em Manaus, a tal empresa Umanizzare que administra a penitenciária do massacre", recomenda. A atuação de Temer no episódio, diz ele, foi "indigna de um chefe de Estado". Em sua opinião, a turbulência política vai continuar no país até as eleições de 2018. O escolhido dos brasileiros, se as eleições para presidente fossem hoje, segundo ele, seria Lula, que até pode vir a ser seu candidato "desde que o PT faça uma autocrítica e se comprometa com uma agenda tendo por horizonte o socialismo"


Abrir versão online
Edição #124

Edição #124
31 de Dezembro de 2016


Aluna do segundo ano do ensino médio, a estudante Ana Júlia, de Curitiba, que foi símbolo das ocupações, é a Brasileira do Ano de 2016; em entrevista exclusiva ao 247, ela afirmou que já não bastam eleições diretas para restaurar a democracia; "Precisamos de eleições gerais", diz ela; "Se a gente colocar alguém que eles não querem, vão tentar tirar de novo, com outro golpe, como fizeram com a Dilma"; embora preveja o "golpe dentro do golpe" em 2017, ela afirma que será um ano de muita luta dos estudantes contra Temer e "seu governo ilegítimo"; reveja ainda seu discurso emocionante diante dos deputados


Abrir versão online
Edição #123

Edição #123
23 de Dezembro de 2016


Utilizando estratégia inédita na advocacia brasileira e que no jargão futebolístico se traduz em "a melhor defesa é o ataque", o advogado Cristiano Zanin Martins já denunciou à ONU as violações e atos ilícitos de que seu cliente, o ex-presidente Lula tem sido vítima, que se enquadram no fenômeno denominado "lawfare" por cientistas políticos da Universidade de Harvard e entrou com processo de abuso de autoridade contra o juiz Sérgio Moro, que preside o processo; "Ele fez pré-julgamento de Lula", diz; o advogado destaca que "se a ONU entender que houve violações grotescas poderá haver sanções, uma delas é a reparação dos danos causados à vítima, e até um pedido público de desculpas por parte dos ofensores"


Abrir versão online
Edição #122

Edição #122
16 de Dezembro de 2016


Em entrevista à TV247, o economista, ex-ministro de FHC e um dos fundadores do PSDB, Luiz Carlos Bresser Pereira, defende que "o Brasil precisa da renúncia de Temer e das diretas já", porque "o Brasil é uma democracia e o que está aí não é uma democracia"; um dos maiores críticos ao golpe que afastou Dilma Rousseff da presidência, Bresser Pereira comenta do papel assumido atualmente pelo Judiciário, com as crises no Executivo e no Legislativo; "Ganhou força, virou o poder perfeito", ironiza, "mas também tem suas corrupções"; para ele, "vazamentos fazem parte do jogo da Lava Jato" e o juiz Sérgio Moro "está imbuído de uma visão robesperriana, radical, que vai restabelecer a moram em um dia"


Abrir versão online
Edição #121

Edição #121
9 de Dezembro de 2016


Em sua entrevista exclusiva ao 247, o presidenciável Ciro Gomes afirmou que o Brasil hoje é governado por uma quadrilha; "vão cair um por um", disse ele, referindo-se a Michel Temer e a toda sua entourage, como os ministros Eliseu Padilha e Moreira Franco; Ciro também falou sobre suas propostas para a economia e disse que o grande desafio brasileiro é se libertar da lógica do rentismo; em relação à governabilidade, ele afirmou que seu modelo seria o de Itamar Franco, que, mesmo sem maioria no Congresso, conseguiu domar os parlamentares; Ciro disse ainda que o maior erro da presidente Dilma Rousseff foi ceder a Eduardo Cunha no episódio que levou à demissão de seu irmão Cid Gomes, que havia se referido a Cunha como "achacador" – segundo Ciro, a história mostrou quem tinha razão


Abrir versão online
Edição #120

Edição #120
4 de Dezembro de 2016


Em entrevista exclusiva ao 247, transmitida ao vivo pelo Facebook, o ex-ministro José Eduardo Cardozo, que advoga para a presidente deposta Dilma Rousseff, afirma que houve abusos na Lava Jato e destaca, por exemplo, o vazamento das conversas entre Dilma e o ex-presidente Lula; "aquele fato contribuiu decisivamente para o impeachment"; Cardozo cita Montesquieu e diz que até a virtude precisa ser contida; ele também comentou o escândalo Geddel Vieira Lima e afirma que o caso pode abrir espaço para o afastamento de Michel Temer; "me parece evidente que houve ilícito criminal e também a hipótese de crime de responsabilidade"; ao falar sobre a crise política atual, Cardozo defende um entendimento entre todas as forças políticas em torno de eleições diretas; "só o voto terá o o poder de restaurar a democracia brasileira"


Abrir versão online
Edição #119

Edição #119
25 de Novembro de 2016


Ex-simpatizante dos movimentos que convocaram e comandaram a campanha do impeachment de Dilma, tais como MBL, VempraRua, Revoltados OnLine e NasRuas, Dani Schwery, 35, foi várias vezes à avenida Paulista de verde e amarelo e bateu muita panela para ajudar a derrubar a presidente, no quintal de casa e na internet, onde tem uma legião de seguidores. Nessa entrevista exclusiva ao 247, ela se diz decepcionada tanto com o governo Temer quanto com os movimentos de direita. "Temer é ridículo", diz. Ela acusa todos os supostos líderes pró-impeachment de traição, por terem aderido a "um governo de ladrões" e de terem "se vendido ao PMDB"


Abrir versão online
Edição #118

Edição #118
18 de Novembro de 2016


Em reunião com dirigentes do PT no Ceará, o deputado José Guimarães (PT-CE) falou com o 247 e fez uma previsão dura sobre o futuro do governo de Michel Temer; "A situação política do País é grave. Não tem centro político. Não tem uma liderança em Brasília. O governo Temer acabou. Não reúne mais nenhuma condição política", avaliou; ele destacou ainda que a promessa de melhoria na economia após o golpe não se concretizou, pelo contrário; "A economia do País está derretendo. Tiraram a Dilma dizendo que a estabilidade política estaria sinalizada. Em seis meses, piorou. Qualquer analista político vai observar. O Brasil está pior"; em sua avaliação, o PT precisa debater profundamente a atual conjuntura


Abrir versão online
Edição #116

Edição #116
4 de Novembro de 2016


Seu ex-sócio e o brasileiro que melhor conhece Donald Trump, a quem foi apresentado por John Casablancas, há 14 anos, o carioca Ricardo Bellino, hoje residente em Miami, garante que "de louco ele não tem nada"; nessa entrevista exclusiva ao 247, Bellino repele a "lenda" criada pela imprensa sensacionalista americana de que Trump seria trapaceiro; "Eu nunca soube que o Donald Trump tenha feito alguma pirâmide financeira! Que tenha roubado alguém"; para Bellino, "ele no mínimo deveria estar no conselho do FED, para dar opinião para os banqueiros safados, sem-vergonhas que, porra, corrompem o sistema todo"; Trump e João Dória, a quem também conhece, têm, em comum, para ele, "uma relação quase patológica com o trabalho"


Abrir versão online
Edição #115

Edição #115
28 de Outubro de 2016


Coordenador nacional do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), que congrega 40 mil famílias em 11 estados, Guilherme Boulos prevê um 2017 de conflitos no Brasil, mas sobretudo na maior cidade do país; "São Paulo vai virar uma praça de guerra", diz, antevendo que o novo prefeito irá usar a força para reprimir a luta pela moradia; para Boulos, Sergio Moro "não é uma referência de Justiça" e " tem mentalidade de justiceiro"; "Para ele vale qualquer coisa, até passar por cima da constituição, para que ele possa pegar quem ele quer pegar", opina; questionado se o MTST irá às ruas se Lula for preso, ele diz: "Uma prisão arbitrária do Lula não é um ataque apenas ao Lula. É uma declaração de guerra. Evidente que vai gerar reações"


Abrir versão online
Edição #114

Edição #114
21 de Outubro de 2016


Dona de uma das vozes mais cristalinas e afinadas da música popular brasileira, Fernanda Takai revela que suas opiniões políticas são mais contundentes; sobre Temer, não se omite: "Acho que o tempo todo ele era meio que um agente duplo. A impressão que a gente tem às vezes é que ele está ali, mas tem outras pessoas puxando as cordinhas das mãos dele. Não dá pra confiar nele". Nem sobre Sérgio Moro: "Eu acho que a Lava Jato acabou virando um símbolo de perseguição a algumas figuras o tempo todo, a Lava Jato deveria agir de forma menos política". Ela também entende que o Fora Temer vai continuar: "o Fora Temer não vai sair da gente enquanto ele estiver aí. Ele tem que saber que não é uma figura que foi eleita por nós, tem que saber que fez um papelão, foi indigno, traidor, traidor a olhos vistos"


Abrir versão online
Edição #113

Edição #113
15 de Outubro de 2016


"Na primeira entrevista, ainda um ilustre desconhecido, perguntaram a Dylan se quando ficasse rico e famoso continuaria usando chapéu. 'Eu nunca vou ficar rico e famoso' respondeu. Cinco anos depois já tinha um avião particular", diz Alex Solnik, ao comentar a trajetória de Bob Dylan, o novo Nobel de Literatura; "Viramos hippies por causa de Bob Dylan. Ele era o cara que nunca sorria, o cara sério, tinha aquele olhar de quem sabia o que virá daqui a um século. Um visionário"


Abrir versão online
Edição #112

Edição #112
7 de Outubro de 2016


Homem de TV, de teatro e de cinema, nessa entrevista exclusiva ao 247 Dan Stulbach se define politicamente: "Eu acho que sempre estive mais na esquerda". Sobre a Lava Jato, ele diz: "Claro, eu acho que prender uma pessoa no hospital na operação da mulher me parece um exagero". O ator acredita que o impeachment não melhorou o clima do país: "Eu acho que há uma enorme tristeza, um enorme bode no ar que mesmo com o impeachment não se dissipou. A solução não está nessa pessoa ou naquela. Naquele que entrou, naquele que saiu. Há uma coisa maior. Eu acho que há falta de diálogo como um todo, eu acho que a sociedade está doente". Para ele, o governo atual "é de centro-direita", "Temer é desprovido de carisma" e "tem perfil de mordomo de filme de terror"


Abrir versão online
Edição #111

Edição #111
30 de Setembro de 2016


"O tempo da Justiça é o tempo da Justiça. E você não pode, para querer vencer nas urnas, acelerar um processo judicial. Isso seria o pior dos mundos", diz o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), em entrevista exclusiva ao 247; segundo Maia, o governo Michel Temer não tem qualquer interesse em acelerar o relógio da Justiça para que o ex-presidente Lula se torne inelegível, antes de 2018; nesta entrevista, ele também falou sobre a agenda econômica, defendendo a abertura do pré-sal, a repatriação de recursos e a fixação de um teto para os gastos públicos; "Se a PEC passar, será a primeira vez que o ajuste será feito sem passar a conta para a sociedade, na forma de novos impostos"


Abrir versão online
Edição #110

Edição #110
23 de Setembro de 2016


A posição oficial de Moscou acerca dos últimos acontecimentos no Brasil é que continua no poder o governo eleito em 2014, agora comandado por quem foi vice. No entendimento de Putin, nada mudou, não houve ruptura, razão pela qual em nenhum instante ele sequer cogitou ponderar se a Rússia iria reconhecer ou não o novo governo. É o que revela, nessa entrevista exclusiva ao 247, o cônsul-geral da Rússia, Konstantin Kamenev


Abrir versão online
Edição #109

Edição #109
16 de Setembro de 2016


Ao jornalista Alex Solnik, o deputado afirma que, ao contrário do que se supõe, Eduardo Cunha continua sendo protegido pelo Planalto, a fim de ser evitada a sua delação: "Há um movimento político em curso de proteção a Cunha"; Jean Wyllys (PSOL-RJ) também comenta a ação movida por Jair Bolsonaro contra ele no Conselho de Ética: "se eles vierem com suspensão eu peço a cassação! Me cassem! Eu quero ver se eles têm culhão para cassar o meu mandato!"; para ele, "os procuradores da Lava Jato são analfabetos políticos"; "Sergio Moro é messiânico... aliás, toda essa turma é messiânica, tem ligações com o movimento pentecostal, essas pessoas não precisam de provas, mas de convicções, o que é típico da fé"


Abrir versão online
Edição #108

Edição #108
9 de Setembro de 2016


Para o jornalista norte-americano, o impeachment de Dilma Rousseff “foi um atentado contra a democracia”; se houve ou não interferência americana não se sabe por enquanto, mas essa “é uma questão em aberto”; “O que eu posso falar com certeza é que o governo dos Estados Unidos está feliz com o resultado”, diz ele, em entrevista a Alex Solnik; Glenn Greenwald acredita que o estilo de Temer denuncia que “ele não respeita a democracia” porque “a atitude dele é ‘eu vou fazer exatamente as medidas que eu quero, independente do que a população pensa’”; a imagem do país no exterior sofre com isso: “Poucos países estão olhando o governo Temer com legitimidade”


Abrir versão online
Edição #107

Edição #107
3 de Setembro de 2016


Inconformado com a decisão do então presidente da Câmara Eduardo Cunha, que, em janeiro de 2016, mandou arquivar o pedido de impeachment de Michel Temer que ele encaminhou, o advogado criminalista Mariel Marley Marra recorreu ao STF; o relator, Marco Aurélio Mello determinou a instalação da comissão especial para iniciar o processo, o que até hoje não fui cumprido; "Um exemplo claro de desrespeito ao Judiciário", diz ele; para Marra, Temer tem que receber a mesma pena de Dilma: "Ele também incorreu em crime de responsabilidade e da mesma forma que Dilma, ele também tem que responder o processo político-jurídico de impeachment"


Abrir versão online
Edição #106

Edição #106
27 de Agosto de 2016


Em entrevista exclusiva a Alex Solnik, Eduardo Suplicy afirma que Michel Temer “faltou com a lealdade com a presidenta” ao apoiar o impeachment e, por ser “corresponsável pelo governo”, também deveria ser processado, tal qual a presidente, embora não veja motivo que o justifique: “Eu acho muito triste que um grande número de senadores esteja votando para que ela perca o seu mandato”. “É lamentável que alguns senadores estejam colocando o seu voto em benefício de favores” pondera ele; leia a íntegra


Abrir versão online
Edição #105

Edição #105
19 de Agosto de 2016


Apesar de ter todos os motivos para não gostar do PT nem de Lula, pois teve que deixar o partido, do qual era o líder na Câmara quando, em 1985, resolveu votar em Tancredo Neves no Colégio Eleitoral, o que o PT não admitia, o advogado Airton Soares não guarda rancor e, nessa entrevista exclusiva ao 247, afirma que não há provas concretas que justifiquem a prisão de Lula, apontado como beneficiário de reformas num sítio, num apartamento e de palestras e doações ao seu instituto: “Existe uma sede em tirar o Lula de circulação”. Ele questionou a Lava Jato e as delações premiadas: “É diferente da tortura?”. “O impeachment é totalmente político”, afirma, e poderia ter sido evitado se Dilma tivesse aceito nomear Henrique Meirelles na Fazenda. Líder do PMDB durante o governo Sarney, garantiu que na campanha de FHC “houve caixa 2, 3, 4 e 5”


Abrir versão online
Edição #104

Edição #104
13 de Agosto de 2016


Luiza Erundina entra na corrida a prefeita de São Paulo sem se abalar pelo fato de ter direito a exíguos segundos no horário eleitoral e não poder entrar nos debates televisivos. "Vamos montar palanque nas portas das emissoras", avisa, nessa entrevista exclusiva ao 247. Convencida de que o impeachment vai passar, afirma que Michel Temer "vai ser um presidente fraco", "uma pessoa diminuída" que "vai ter dificuldade de se apresentar em público": "a marca de traidor, de conspirador, de usurpador da soberania popular vai estar lá na testa dele". Não acredita em Aécio 2018: "Ele está combalido, assim como Temer". Para ela, a cassação de Eduardo Cunha só será votada depois das eleições graças ao atual presidente da Câmara, Rodrigo Maia, "faz o jogo do Cunha o tempo todo"


Abrir versão online
Edição #103

Edição #103
5 de Agosto de 2016


Em entrevista exclusiva ao 247, a atriz conta, em detalhes, tudo o que aconteceu no último dia, quando foi alvo de um linchamento moral em Curitiba, por manifestantes favoráveis ao impeachment; “Isso não é possível, isso não é sustentável, um apartheid... não é sustentável um país assim, esse nível de intolerância não é suportável”, diz; “Eu acho que esse impeachment de alguma maneira é um golpe também por isso... ele não tem o intuito de melhorar a situação do nosso país, pelo que estou vendo ele acirra mais essa exclusão dos mais pobres, ele acirra as desigualdades”, analisa Letícia; para ela, “esse governo não é legítimo. Ele é traidor. É um governo que traiu a pátria com a mudança total do projeto do governo que foi eleito. Que não quer combater a corrupção, ao contrário... tem corruptos ali... e inelegíveis... acho que é uma hipocrisia”


Abrir versão online
Edição #102

Edição #102
29 de Julho de 2016


Artista plástica, professora de filosofia e escritora, Marcia Tiburi faz uma análise profunda e corajosa do golpe brasileiro em entrevista exclusiva ao 247; ela afirma que "Temer é um invotável", e o define "entre o abnóxio... ou seja, o insosso, o invotável e o horroroso" e também como "mordomo de velório"; "Tudo o que aconteceu no Brasil, aliás, tem a ver com enredo de filme de terror", diz ela; "Serra é um vampiro assim como ele", continua; e "seu ministério foi catado na máfia da política"; Marcia vaticina, no entanto, que apesar de já estarmos numa "nova ditadura", "dias piores virão"; ela teme que "um canalha como Eduardo Cunha vire presidente do Brasil numa eleição indireta"


Abrir versão online
Edição #101

Edição #101
22 de Julho de 2016


Ex-ministro dos governos Sarney e FHC, Luis Carlos Bresser-Pereira afirma que tanto pedaladas fiscais quanto a antecipação do Plano Safra não justificam o impeachment da presidente Dilma: “Isso tudo é bobagem! É farsa!”; ele o atribui a Aécio Neves, à chantagem de Eduardo Cunha, a Temer e a Hélio Bicudo, “que perdeu a cabeça”; “O impeachment é uma irresponsabilidade de alguns pseudo juristas”, diz; “É absolutamente ilegal”; o economista e cientista político concorda com a definição de que é um golpe parlamentar e antidemocrático, porém, cujo objetivo não é instalar uma “ditadura de vinte anos”, mas um governo de direita que vai adotar políticas neoliberais, que nenhum outro país adota mais, o que é “patético” e não vai trazer de volta o crescimento econômico, e sim provocar um arranhão na democracia “que vai ficar mais instável”


Abrir versão online
Edição #100

Edição #100
15 de Julho de 2016


A revista 24/7 começa a publicar, nesta sexta-feira, o livro "O julgamento de Dilma", escrito por Raimundo Rodrigues Pereira, um dos mais premiados jornalistas brasileiros, que fundou publicações como Opinião e Movimento; "O impeachment é também um processo jurídico e o afastamento definitivo de Dilma Rousseff da presidência exige prova legal de que ela cometeu efetivamente os tais crimes de responsabilidade. E a pergunta que cabe, visto que a fase de testemunhas e provas já passou, é clara: foi ou não provado que os crimes existiram?", questiona Raimundo Pereira; ao final da série, todas as reportagens serão reunidas num e-book


Abrir versão online
Edição #99

Edição #99
8 de Julho de 2016


Apesar da longa, aplaudida e consistente carreira como autor e diretor de teatro, tendo recebido todos os prêmios possíveis, no Brasil e no exterior, inclusive o “Faz Diferença”, da Globo, Aderbal Freire-Filho não conseguiu escapar da sanha dos que o rotularam de “marido da Marieta Severo”, de captar milhões na Lei Rouanet e de viver “de uma boquinha do PT”; “Nunca fui tão execrado publicamente”, exclama; nessa entrevista ao 247, ele diz que “Cunha é um bandido. Mas os bandidos são muitos mais! Os cúmplices dele, o Temer, são bandidos”!; e que “caiu o chefe, mas o seu principal cúmplice, que faz tudo pra salvá-lo, é o presidente da República. E continua na marginalidade comprando votos para virar de interino permanente”


Abrir versão online
Edição #98

Edição #98
1 de Julho de 2016


Em entrevista ao 247, o publicitário conta ter testemunhado durante o exílio na Europa, durante a ditadura militar, tenebrosas transações protagonizadas por Miguel Arraes, que se envolveu em um confronto com seu assessor no governo de Pernambuco, Silvio Lins, por causa de 1 milhão de dólares oriundos de negócios de petróleo do governo argelino com o Brasil; ele também conviveu com o senador Aloysio Nunes, que era representante de Marighella na Europa; o autor da biografia "Minha vida de terrorista" afirma que Temer "é uma figura transitória... ainda mais fazendo essas bobagens", como as nomeações de ministros como Alexandre de Moraes, e critica o lema "Ordem e Progresso": "Pior que 'Pátria educadora'"; após a perícia do Senado, diz ele, "o impeachment não existe mais " e "é capaz de ela voltar"


Abrir versão online
Edição #97

Edição #97
24 de Junho de 2016


Publicitário número 1 do Brasil, Washington Olivetto descreve os dois últimos anos como de "desotimismo geral"; "Eu acho que a relação clima político e recessão lembra a campanha da Tostines: tem recessão por causa do clima político e tem clima político por causa da recessão", diz, em entrevista exclusiva ao 247; para ele, a escolha não é entre Temer e Dilma, "duas pessoas que têm problemas de expressão": "Todo mundo torce para acontecer 'alguma coisa'. O que não pode é não acontecer nada"; em sua opinião, o que aconteceu com Dilma não foi bem um impeachment, nem bem um golpe: "Você tem, de um lado, uma característica que levaria ao impeachment, não tão comprovado, e tem uma característica de intervenção que, quem quiser enxergar como golpe, gosta de enxergar"


Abrir versão online
Edição #96

Edição #96
17 de Junho de 2016


Em entrevista exclusiva ao 247, o maior colunista de esportes do País diz considerar o golpe versão 2016 "pior que o de 64"; "Era óbvio que, na primeira crise que surgisse, as elites dariam um piparote no Lula e seus aliados", afirma; Juca Kfouri define Temer como "um oportunista como sempre foi" e arrisca um palpite: "Isso não dura"; diz que "Cunha será preso nas próximas horas" e que "esse Jucá presta um desserviço há anos ao futebol brasileiro"; para ele, a Olimpíada não será a mesma, pois vai ocorrer na época da votação no Senado; sobre Temer na abertura do evento, prevê: "Ele certamente será vaiado"


Abrir versão online
Edição # 95

Edição # 95
11 de Junho de 2016


Em entrevista exclusiva ao 247, a presidente eleita Dilma Rousseff bateu duro no presidente da Petrobras, que, em seu primeiro dia, disse que a empresa é favorável à abertura do pré-sal a empresas estrangeiras; "ele não serve aos interesses nacionais"; Dilma também se emocionou ao falar sobre a Rio 2016: "é o meu trabalho e eu vou estar lá na abertura"; ela também afirmou que a população brasileira deveria prestar homenagens ao ex-presidente Lula, por ter sido o grande responsável pela conquista do direito de sediar os Jogos Olímpicos; Dilma também disse não ter se arrependido de chamá-lo para a Casa Civil; "erro não foi permitir que se viesse para ajudar o nosso governo"


Abrir versão online
Edição #94

Edição #94
3 de Junho de 2016


Depois de criticar, no ar, a produção de um programa da ESPN que convidou Danilo Gentili para uma participação especial, o jornalista José Trajano foi bombardeado nas redes sociais; nessa entrevista ao 247, ele explica por que resolveu desabafar naquele dia e como ficou sua situação na emissora, mas pondera que está mais preocupado com a situação do país; para ele, a gravação de Romero Jucá "prova que o impeachment foi golpe" e que seu afastamento do ministério (de mentirinha) ainda é pouco: "tem que ser preso"; se Dilma voltar, ela tem que assumir vários compromissos com a nação, diz afirma Trajano, que não se diz defensor dela, e sim da democracia


Abrir versão online
Edição #93

Edição #93
31 de Maio de 2016


O cientista mais importante do Brasil, Miguel Nicolelis, avalia, em entrevista exclusiva ao jornalista Alex Solnik, que o presidente interino Michel Temer é um fantoche nas mãos de dois grupos: "a ala de gângsters que quer escapar da Lava Lato" e ainda "o grupo que pretende destruir a soberania nacional"; ele diz que a ciência brasileira está ameaçada e critica duramente as medidas que estão sendo tomadas por um governo provisório, que vão na direção contrária ao que a população escolheu nas urnas; “um governo que era para ser interino, num período de transição, não poderia estar tomando a magnitude das decisões que está tomando sem ter uma legitimidade eleitoral”


Abrir versão online
Edição #92

Edição #92
20 de Maio de 2016


Embora tenham as mesmas feições, corpos, vozes, profissões e ideias artísticas, os irmãos Caruso nem sempre concordam em tudo quando o assunto é política; nessa entrevista ao jornalista Alex Solnik, do 247, Chico Caruso, que mora no Rio, trabalha no Globo há 32 anos e que em 2014 votou em Aécio, acredita que o que está acontecendo hoje é resultado da "lambança do PT" e chama o presidente provisório de "personagem sinistro"; "Não quer pôr um ministro mulher? Põe o Laerte", provoca; já Paulo Caruso, que mora em São Paulo e trabalha no Roda Viva, da TV Cultura, votou em Dilma e diz que o "impeachment foi conduzido para afastar o PT"; ele afirma que "o Brasil não é mais o país da democracia"


Abrir versão online
Edição #91

Edição #91
16 de Maio de 2016


Filha do ex-ministro da Fazenda mais longevo dos governos Lula e Dilma, Marina Mantega diz, em entrevista ao 247, que a condução coercitiva de seu pai "foi um show-off sem necessidade", que o deixou "perplexo", porque sempre que foi convocado ele compareceu para esclarecer espontaneamente; para ela, o ministério Temer prova que houve golpe; e comentou alguns indicados; "Temos um ministro da Igreja Universal (dá arrepio só de pensar) que vai comandar o Ministério do Desenvolvimento"; cerca do novo ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, foi sucinta: "Eu tirei ele do sério quando foi entrevistado no "Pânico". Ele me odeia!"


Abrir versão online
Edição #90

Edição #90
6 de Maio de 2016


Criadora dos mais fortes e elogiados personagens femininos do cinema nacional, a atriz e também diretora Helena Ignês lembra, em entrevista ao 247, da época da ditadura, quando ficou exilada "dentro e fora do Brasil"; "Foi um momento horroroso que as pessoas esqueceram", diz; ela não mede palavras para classificar os que defendem a deposição da presidente Dilma: "São uns miseráveis essas pessoas do golpe... todos! Esses golpistas são uns miseráveis! Essa Câmara... coisa escrota!"; para ela, Michel Temer "é misterioso, tem aquela cara que não diz nada... E ele é traidor, né, querido? Ninguém ama traidor! Ele é um desastre"; Aécio Neves "é outro vexame total! Uma coisa pequena!"; suas opiniões mais escatológicas, porém, ela reserva a um ex-presidente da República: "O Fernando Henrique, a expressão é que ele se cagou! Não tem outra! Se cagou por inteiro"!


Abrir versão online
Edição #89

Edição #89
29 de Abril de 2016


“Se Temer não aumentar impostos, diminuir o tamanho do estado e apertar o gasganete dos trabalhadores, perde a blindagem", diz o escritor Fernando Morais, em entrevista exclusiva ao jornalista Alex Solnik, afirmando que Michel Temer terá que pagar a conta aos patrocinadores do golpe; no entanto, ele diz que, se o vice-presidente cumprir a missão, "ele põe fogo no País"; Morais disse ainda não ter se surpreendido com o papel do Supremo Tribunal Federal, que se omitiu diante do golpe; "A gente fica enchendo a boca para falar do STF, mas foi o STF que avalizou a deportação da Olga, judia, grávida, comunista, esperando um bebê de um brasileiro – a constituição brasileira é claríssima – quem avalizou a sacanagem do Getúlio e do Filinto para mandar a Olga pros nazistas, foi o Supremo! E, em 64, quem avaliza o golpe militar também e quem legitima o golpe militar é o Supremo"


Abrir versão online
Edição #88

Edição #88
21 de Abril de 2016


Filho do último presidente deposto no Brasil, em 1964, João Vicente Goulart conta, nessa entrevista exclusiva ao 247, como foram os últimos dias de seu pai em território brasileiro, entre 31 de março e 4 de abril, quando, finalmente chegou ao Uruguai. 


Abrir versão online
Edição #87

Edição #87
15 de Abril de 2016


Ex-ministro da Educação do governo Dilma, Renato Janine Ribeiro avalia em entrevista ao 247 que "a crescente mobilização nas ruas ajuda a preservação do mandato de Dilma, mas é claro que há um risco"; o intelectual prevê como os deputados indecisos vão se comportar na votação do impeachment, no domingo próximo – "se houver sinais de que o impeachment vai perder, eles preferirão manter-se ausentes" –, afirma que a sua maior preocupação em relação à democracia diz respeito à disseminação do ódio e da intolerância nas ruas e entende que, mesmo que o impeachment seja arquivado, a oposição vai querer continuar a derrubar a presidente: "Vai querer, mas Lula terá algum fôlego - se não for preso - para dialogar com os atores sociais e dar ao País uma perspectiva de futuro. Se a tivermos, adeus impeachment"


Abrir versão online
Edição #86

Edição #86
9 de Abril de 2016


Ministro da Comunicação Social mostra confiança de que o processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff, definido por ele diversas vezes como "ilegal" e "um golpe", será derrotado na Câmara e que "nós vamos sair desse processo com a democracia fortalecida, e não golpeada"; sobre o cenário pós-impeachment, Edinho Silva defende o diálogo para "reunificar o Brasil, hoje dividido devido à intolerância política"; "Então nós temos que derrotar a intolerância e recuperar a nossa cultura. A cultura brasileira é a cultura de convivência na diversidade", afirma, em entrevista ao 247; ele também lembra da importância do diálogo com todas as forças políticas diante da proximidade das Olimpíadas; "A presidenta não deixou de trabalhar a agenda das Olimpíadas um dia sequer"


Abrir versão online
Edição #85

Edição #85
1 de Abril de 2016


Líder do Detonautas, o compositor e vocalista Tico Santa Cruz diz, em entrevista ao 247, que a banda tem sido boicotada desde que ele tornou clara sua posição contra o impeachment da presidente Dilma, mas que isso não o intimida; também minimiza o fato de a maioria pedir o impeachment: "A maioria também já foi a favor do nazismo"; formado em Ciências Sociais, ele demonstra preocupação com a possibilidade de convulsão social caso Dilma seja afastada, mas diz acreditar que o impeachment não vai passar, mesmo com o desembarque do PMDB - "tem gente ali que é séria e vai segurar a debandada" - nem vai acontecer com Dilma o que aconteceu com Getúlio "porque na época não havia internet que é, hoje, o quinto poder"


Abrir versão online
Edição #84

Edição #84
24 de Março de 2016


À frente do Sindicato dos Jornalistas de São Paulo, Audálio Dantas capitaneou, em 1975, um movimento que culminou com a denúncia do assassinato de Vlado Herzog nos porões do DOI-Codi e que acelerou o fim da ditadura militar cinco anos depois; nessa entrevista exclusiva ao 247, ele manifesta sua preocupação com a continuidade da democracia; "A gente pode discordar de quem ocupe o cargo, mas a presidência da República não pode ficar sujeita a um juiz A ou B, da primeira, da segunda, sei lá de que instância", disse; para o jornalista, fica cada vez mais claro que está em andamento uma tentativa de deposição da presidente com participação, inclusive, de pessoas que lutaram contra a ditadura, mas adverte: "Eu acredito que a fatura não será liquidada tão facilmente quantos eles imaginam, acho que haverá uma reação popular em algum momento"


Abrir versão online
Edição #83

Edição #83
18 de Março de 2016


Guru do "Pasquim", da contracultura e do movimento hippie e factótum na TV Globo durante 20 anos, escritor, jornalista e roteirista Luiz Carlos Maciel disse ao 247 que estamos vivendo em "um estado democrático de direita, onde tudo é possível", no qual quem manda mesmo é o PMDB, apesar de o PT estar na presidência da República; "Cunha vai dançar", previu; "Porque ficou muito caro para a direita"; e Temer, segundo ele, desistiu do golpe "porque tomar o poder agora não ajuda 2018"; Brizolista de quatro costados, espera que o STF corrija "anomalias jurídicas" da Lava Jato mais à frente e não tem dúvida de que o juiz Sergio Moro "é um boy do PSDB"


Abrir versão online
Edição. #82

Edição. #82
12 de Março de 2016


Premiado no Brasil e no exterior por filmes como "Gamal", "O homem que virou suco" e "Doramundo" e comunista de carteirinha desde 1960, o cineasta João Batista de Andrade ficou 12 anos sem filmar depois do Plano Collor; em entrevista ao 247, ele afirma que o atual racha entre PT e PSDB é consequência de outro, de 1966, entre Prestes e Marighela, entre a luta democrática e a luta armada; a turma da luta armada, diz ele, que não era a dele, engrossou as fileiras do PT; diz também que o PMDB é um partido "gigantão" que quer se manter no poder nacional para se proteger da Lava Jato; "Então, qual é a defesa deles? Tomar o Congresso!"


Abrir versão online
Edição #81

Edição #81
4 de Março de 2016


Fora da Globonews desde novembro do ano passado, depois de questionar, em seu site particular a tendenciosa cobertura política anti-Dilma da imprensa brasileira, o ex-âncora Sidney Rezende foi vítima do flaflu que tomou conta da política e da imprensa mormente desde o ano passado; em entrevista ao 247, ele falou sobre Eduardo Cunha ter virado réu: "Sua permanência na presidência da Câmara é uma provocação a toda a nação"; sobre as marchas pró e contra o impeachment: "Eu quero uma mídia que seja isenta, que faça uma cobertura de fato, real"; sobre os vazamentos da Lava Jato: "O que é grave é as pessoas exporem o país a esse risco de desarranjo institucional porque o que acontece? Você gera o desemprego, a falta de investimento"


Abrir versão online
Edição #80

Edição #80
26 de Fevereiro de 2016


Em entrevista à jornalista Tereza Cruvinel, do 247, o  ministro da Reforma e Desenvolvimento Agrário, Patrus Ananias, aponta os excessos e distorções da Operação Lava Jato e fala de sua preocupação com o conjunto de ameaças reais ao Estado Democrático de Direito que vêm se ampliando; “Tem faltado respeito ao devido processo legal, ao direito ao contraditório, à ampla defesa, à presunção da inocência até prova em contrário”, cita; ele critica ainda que “um criminoso que faz delação premiada acaba conquistando o papel de juiz”; na pasta que ocupa desde o ano passado, ele busca avançar na reforma agrária e fortalecer a agricultura familiar; leia a íntegra


Abrir versão online
Edição #79

Edição #79
19 de Fevereiro de 2016


Sobrevivente de duas ditaduras, a atriz Eva Wilma empenhou-se com a mesma competência, honestidade e coragem às personagens do palco e na resistência às cenas de terror perpetradas pelo regime militar depois de 68 contra muitas "cabeças pensantes"; nessa entrevista exclusiva ao 247, ela diz que as pessoas que pregam a volta da ditadura são "doentes e ignorantes", que o que está acontecendo é uma luta entre PMDB e PT e que o impeachment "é uma coisa quase pessoal" com a qual não concorda; Eva também repudia a campanha da imprensa contra Lula, que chama de "caça às bruxas" e "inquisição"


Abrir versão online
Edição #78

Edição #78
12 de Fevereiro de 2016


Em entrevista ao 247, o deputado Wadih Damous (PT-RJ) admite que não enxerga má fé na conduta de Sérgio Moro nem da força tarefa do ministério público ("eles têm certeza de que os investigados são culpados e montam o processo de modo a provar sua tese"), mas diz que a Lava Jato está consagrando um país onde há uma categoria de pessoas "investigáveis" no PT e os "ininvestigáveis" no PSDB. "Numa operação anunciada como redentora, não consigo entender que se ignore as menções a Aécio Neves". Damous também recorda o tratamento recebido por Fernando Henrique: "Lula é perseguido por causa de um sítio com pedalinho, que nunca foi dele. Fernando Henrique teve uma fazenda de gado, comprada em sociedade com o tesoureiro do PSDB, e ninguém achou errado"


Abrir versão online
Edição #77

Edição #77
5 de Fevereiro de 2016


Poucas pessoas conheceram tão bem e tão de perto Dilma Vana Rousseff quanto Antônio Roberto Espinosa; além de ser seu chefe na VAR-Palmares, era o melhor amigo de seu namorado e dirigente nacional da organização clandestina, Carlos Araújo; ao 247, o hoje professor na Unifesp conta que a imagem que a mídia tenta fazer da presidente, de que seria burra, não condiz com a realidade, já que na VAR ela era considerada intelectual demais, inclusive por Lamarca, que se referia a ela como "teoricista"; ele também conta que Dilma sempre foi correta com dinheiro e afirma que o golpe não deu certo porque seria necessário encontrar alguma culpa direta da presidente, que até agora não foi e não será encontrada "porque ela não é néscia para entrar em esquemas e não precisa disso"


Abrir versão online
Edição #76

Edição #76
29 de Janeiro de 2016


Ex-chanceler Celso Amorim chefiou a missão da OEA que acompanhou e supervisionou as eleições gerais no Haiti, um passo importante para a consolidação da democracia no país do Caribe, fato praticamente ignorado pela mídia do Brasil; Amorim, que foi ministro dos governos Lula e Dilma, prefere atribuir o gesto ao fato de existir "muita ignorância, muito desconhecimento dos meios de comunicação sobre política internacional"; em entrevista à jornalista Tereza Cruvinel, do 247, ele comenta a Operação Lava Jato – "As investigações precisam continuar, mas não podem partir de presunções" – e afirma não se lembrar "de uma crise prolongada como esta"; mas defende que "o que não se pode é buscar encurtar o mandato da presidente para chegar ao poder por atalhos"


Abrir versão online
Edição #75

Edição #75
22 de Janeiro de 2016


Em entrevista ao jornalista Alex Solnik, do 247, Soninhaconta que chegou a ir em uma marcha contra a presidente Dilma na Avenida Paulista, mas chegando lá se deu conta de que estava no lugar errado: não podia marchar ao lado de Bolsonaro; segundo ela, também "cansa ir para a rua toda hora se você não tem algo que te recompense, que te mostre que valeu a pena ir para a rua"; para Soninha, a onda de impeachment já passou e tudo indica que "Cunha cai e Dilma fica"; ela anuncia que irá se candidatar para vereadora pelo PPS esse ano


Abrir versão online
Edição. #74

Edição. #74
15 de Janeiro de 2016


Em entrevista exclusiva ao jornalista Alex Solnik, em seu escritório, o último sobrevivente dos governos militares, Delfim Netto, em ótima forma, por sinal, afirma que o impeachment não faz sentido; "Dilma é absolutamente honesta", diz; exalta Lula – "uma inteligência absolutamente brilhante"; e avalia que Hélio Bicudo redigiu o processo de impeachment "movido por paixões cegas"; a respeito dos "Diários" de Fernando Henrique, foi categórico: "O livro é melhor que o governo"


Abrir versão online
Edição #73

Edição #73
8 de Janeiro de 2016


Ministro da Justiça passou a ser um trunfo do governo Dilma na batalha contra o golpe; “o combate à corrupção será um dos grandes legados da presidente Dilma”, disse Cardoso ao 247, em entrevista exclusiva; ele também afirma que o impeachment, “contaminado pelo pecado original Eduardo Cunha”, será rapidamente superado, assim como a ação no TSE que pede a cassação da chapa presidencial; José Eduardo Cardozo também defende o movimento de autocrítica dentro do PT


Abrir versão online
Edição #72

Edição #72
1 de Janeiro de 2016


"O Congresso é uma piada", opina o músico e ator, em entrevista exclusiva ao 247; o compositor de "Clara Crocodilo" e "O homem dos crocodilos" revela toda a sua indignação com o desempenho dos deputados federais em 2015, mas também com os tucanos "que votaram coisas absurdas" e com o impeachment "que estão tentando inventar"; surpreendente foi, para ele, o comportamento de Renan Calheiros, leal à presidente; natural de Londrina, torce para que na volta do recesso, em fevereiro, o Supremo "faça o que tem que fazer": "Esperamos que Cunha vá para Curitiba"; Arrigo também revela que um de seus hobbies, além de nadar, é montar presépios, o que não tem nada a ver com ser ou não ateu


Abrir versão online
Edição #71

Edição #71
25 de Dezembro de 2015


Às vésperas de completar 100 anos, em 2017, junto com a Revolução Russa, o escritor e tradutor ucraniano Boris Schnaiderman concedeu entrevista ao jornalista Alex Solnik e falou sobre a situação política brasileira; afirmou que, se pudesse, votaria novamente na presidente Dilma Rousseff e defendeu que o calendário eleitoral seja cumprido; ou seja: nada de impeachment; autor de um clássico da Segunda Guerra Mundial, o livro "Guerra em surdina", ganhador do Prêmio Jabuti de 1983, Schnaiderman disse ter esperanças no futuro; "2016 ainda será muito difícil, mas depois a tendência é melhorar"


Abrir versão online
Edição #70

Edição #70
18 de Dezembro de 2015


Cartunista lendário que ficou nacionalmente conhecido ao retratar Carlos Lacerda como "O Corvo", em 1954, o ítalo-argentino-uruguaio-brasileiro Lan diz em entrevista exclusiva ao jornalista Alex Solnik, do 247, que o atual presidente da Câmara "é muito mais corvo que o Lacerda"; socialista ou anarquista de centro, como se auto define, ele conviveu com algumas celebridades mundiais, tais como Che Guevara e Evita Perón, e foi um dos fundadores da agência de notícias "Prensa Latina", de Cuba; ele tem críticas à presidente Dilma, mas não quer ruptura: "Não sou a favor de impeachment. Ela tem que carregar o fardo até 2018"


Abrir versão online
Edição #69

Edição #69
11 de Dezembro de 2015


Em entrevista ao 247, o cineasta Bruno Barreto fala sobre "Inventores do Brasil", série de 13 programas ancorados pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso que está finalizando para o Canal Brasil, e a respeito de outros assuntos momentosos, como a queda de braço entre PT e PSDB que, de acordo com ele, foi insuflada pela campanha do "nós contra eles" comandada por Lula, que recusa convites para dialogar emitidos por Fernando Henrique, seu vizinho de rua e mais recente amigo; diretor do thriller político "O que é isso, companheiro"? - "que Zé Dirceu adora e Franklin Martins detesta" - ele também afirmou que "não faria o filme do Lula" que seu irmão dirigiu e foi produzido por seu pai, Luiz Carlos Barreto, porque o enredo deixa a desejar: "Dirceu daria um filme muito melhor"


Abrir versão online
Edição #68

Edição #68
4 de Dezembro de 2015


Em entrevista ao jornalista Alex Solnik, o escritor best-seller Frei Betto afirma que, com a decisão de aceitar o pedido de impeachment, "Eduardo Cunha tentou chantagear o PT e quebrou a cara"; para ele, o processo de impedimento da presidente Dilma "não tem futuro"; apesar de tecer críticas aos governos petistas, de um dos quais participou diretamente, o religioso acredita que na mesa da Santa Ceia, "Lula é o Messias", "Dilma é a discípula que deveria ouvir mais o Mestre" e "Cunha é o Judas"; Frei Betto também disse que, apesar de o impeachment ser uma página virada, enquanto Cunha não for afastado da presidência da Câmara "a turbulência não cessará"


Abrir versão online
Edição #67

Edição #67
27 de Novembro de 2015


Considerado um dos quinze advogados criminais mais poderosos do país, José Luís Oliveira Lima, Juca para os íntimos, tem uma lista de clientes invejável para um profissional da sua idade, que vai do ex-ministro José Dirceu a executivos da Galvão Engenharia acusados na Operação Lava Jato; em entrevista ao 247, ele sustenta que, apesar de ter bom relacionamento com o juiz Sérgio Moro, "algumas decisões da Lava Jato fugiram do bom direito", mas diz confiar que "o STF, no tempo adequado, vai colocar as coisas nos trilhos"; Juca entende que "a presidente da República está juridicamente protegida", "não praticou nenhum ilícito" e que "com toda essa conjuntura desfavorável, se houvesse um fato concreto ela já estaria sendo processada"


Abrir versão online
Edição #66

Edição #66
20 de Novembro de 2015


O ator Antonio Fagundes, um dos nomes mais importantes do teatro brasileiro, concedeu entrevista exclusiva ao jornalista Alex Solnik, em que se disse estarrecido com o atual quadro político; em relação a eventual impeachment, ele pregou cautela; "Eu tenho um pouco de medo. O impeachment é uma figura de Direito que está na constituição, mas é uma coisa muito forte. Eu acho que a gente não deveria vulgarizar essa figura", disse ele; sobre Eduardo Cunha, ele o comparou a Ricardo III, pela falta absoluta de grandiosidade; “Você vê de repente a oposição namorando com esse cara! O governo namorando com esse cara! E quem está pedalando agora é ele”; segundo ele, "a m... toda começou com o PMDB"


Abrir versão online
Edição #65

Edição #65
13 de Novembro de 2015


Guru de Ayrton Senna e de outros astros e estrelas que já passaram e passam por seu consultório, Jacob Pinheiro Goldberg avalia, em entrevista ao jornalista Alex Solnik, que "existe uma tendência iconoclasta em toda sociedade imatura que é a revolta dos filhos contra o pai"; declaração foi uma tentativa de explicar a obsessão do brasileiro por derrubar a presidente da República a toda hora. "Por outro lado, todo estado que assume o papel de pai tende a ser devorado pelos filhos", disse, citando modelo em que se encaixam tanto Getúlio Vargas, quanto Lula e Dilma. Na oposição exacerbada a Dilma enxerga o velho traço machista da sociedade brasileira: "Ninguém quer o impeachment. O que eles querem é tirar a Dilma da sala de jantar e jogá-la na cozinha"


Abrir versão online
Edição #64

Edição #64
6 de Novembro de 2015


O maestro João Carlos Martins foi incitado pelo jornalista Alex Solnik a organizar um Concerto pela Paz, em plena Praça dos Três Poderes, com lideranças do PT, PSDB, PMDB presentes. O pianista respondeu que Villa Lobos tinha tido exatamente a mesma ideia no tempo de Getúlio, mas não conseguiu realizar. "Se eu tiver forças vou levantar essa bandeira", disse; em entrevista exclusiva ao 247, ele se posicionou contra o impeachment e a favor da presidente: "Tenho certeza que ela não colocou um tostão no bolso. Eu torço por ela, acho que está na hora de todo mundo se compor e pensar no Brasil"


Abrir versão online
Edição #63

Edição #63
30 de Outubro de 2015


Há quem ache que o nosso maior poeta vivo virou à direita porque tem sido um crítico dos governos do PT. Nessa entrevista exclusiva a 247, Ferreira Gullar mostra que não. Poucos brasileiros acompanharam os acontecimentos políticos centrais de tão perto, de forma tão crua, tão visceral e tão lírica quanto ele que nasceu no mesmo ano do Estado Novo. E cresceu acompanhando a ascensão e a decadência de Getúlio Vargas. Hoje, apesar de fazer críticas pontuais a Lula, a Dilma e ao PT, Gullar é contra o impeachment, acha inócuo pedir renúncia à presidente e acredita que o cenário menos ruim para o país é ela levar o mandato até 2018, como diz a Constituição


Abrir versão online
Edição #62

Edição #62
23 de Outubro de 2015


Há 35 anos na ponte aérea Portugal-Brasil, Eugénia Melo e Castro, que por pouco escapou de ser viscondessa, já perdeu a conta de quantas vezes cruzou o Atlântico, desde a primeira vez, em 1981, para saciar a sua fome de música popular brasileira; ela conversou em São Paulo, onde prepara um novo espetáculo, com o jornalista Alex Solnik, do 247; entre outros assuntos, falou a respeito de uma operação em Portugal semelhante à Lava Jato, que colocou na cadeia um ex-primeiro ministro e o maior banqueiro do país e arranha a imagem do ex-presidente Lula


Abrir versão online
Edição #61

Edição #61
16 de Outubro de 2015


“Esses caras que estão querendo o impeachment não têm força para pedir porra nenhuma”, diz Paulinho Boca de Cantor, uma das vozes mais conhecidas dos Novos Baianos, em entrevista a Alex Solnik; Paulinho também afirma que o país está dividido meio a meio entre os que defendem e os que atacam o governo porque os mais pobres – “que sabem quem é Lula, mas não sabem quem é Temer” - realmente melhoraram de vida, como ele mesmo constatou em sua cidade natal, no interior da Bahia, onde, depois do Bolsa Família até pizza entrou no cardápio; ele conta que ainda recebe muitos pedidos de fãs para que a banda volte a se reunir depois de 36 anos de separação, apoia a volta dos Novos Baianos e acredita que isso pode acontecer “quando todo mundo tiver vontade”


Abrir versão online
Edição #60

Edição #60
9 de Outubro de 2015


Cineasta responsável por clássicos como “Pixote”, “Lúcio Flávio”, “O Beijo da Mulher Aranha” e “Carandiru”, Hector Babenco ganhou lugar no olimpo dos cineastas de todo o mundo; “Estou entre os vinte melhores, já estive entre os dez” disse ele, em entrevista ao jornalista Alex Solnik, colunista do 247; às vésperas de estrear “Meu amigo hindu”, que abre, no próximo dia 21 de outubro a Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, ele recebeu 247 em sua fantástica casa decorada pelo brilhante arquiteto Isay Weinfeld que ele hipotecou para financiar a produção; Babenco disse ter votado no PT nas últimas eleições, mas hoje afirma "sentir ódio" da legenda


Abrir versão online
Edição #59

Edição #59
2 de Outubro de 2015


Depois de passar, nos anos 60, mais tempo jogando coquetéis molotov do telhado do que frequentando aulas na Escola de Belas Artes do Rio de Janeiro e de fugir para a Bolívia, onde foi saudado nas ruas como um suposto sucessor de Che Guevara, Ivald Granato construiu uma sólida carreira nas artes plásticas, com inúmeros prêmios no exterior e aquisições por museus e colecionadores nacionais e internacionais; em entrevista ao jornalista Alex Solnik, ele se disse perplexo com o cenário político e econômico e afirmou, ainda, que desde a eclosão da Lava Jato vigora um clima de paralisia em todo o país, que repercute na sua área; “Muita gente roubando... muita gente ficou rica... a sociedade ficou ladra”


Abrir versão online
Edição #58

Edição #58
25 de Setembro de 2015


Em entrevista ao jornalista Alex Solnik, o músico Jards Macalé afirma que a crise política atual  tem um pé na longa ditadura de 21 anos e no embate entre as forças conservadoras e progressistas; "O conservadorismo está a pleno vapor. E existe um embate com as forças mais libertárias e o conservadorismo que avança", diz ele; sobre impeachment da presidente Dilma Rousseff, ele é radicalmente contra; "Um governo eleito dentro da constituição tem que continuar. O Brasil ainda está engatinhando na democracia"; na entrevista, ele também se disse a favor da descriminalização das drogas e criticou as UPPs do Rio; "A guerra continua. Violentíssima. Entre traficantes com eles mesmos e deles com a polícia. De que adianta pacificar sem dar as condições para que as pessoas não se sintam atraídas pelo tráfico?"


Abrir versão online
Edição #57

Edição #57
17 de Setembro de 2015


Em entrevista ao jornalista Alex Solnik, o ator Juca de Oliveira falou sobre sua nova peça, "O ministro", e também criticou duramente a Lei Rouanet; "O teatro está numa fase ruim e a razão fundamental da fase ruim do teatro, embora ninguém tenha tido a intenção de que isso fosse um desastre é a Lei Rouanet. A Lei Rouanet destruiu o teatro! Porque tudo se tornou absolutamente impossível! Com ela você tem 800 mil, 1 milhão... eu digo isso porque as minhas duas últimas peças foram montadas pela Lei Rouanet. Ocorre que, como existe a Lei Rouanet os preços são totalmente exorbitantes! O aluguel do teatro se multiplicou, o cenário se multiplicou, a direção se multiplicou, a roupa se multiplicou. Os jornais... Para você lançar uma peça hoje com possibilidade de alguma frequência você precisa ter, no mínimo, 300 mil reais! Quando na verdade nós sempre fizemos teatro e não tínhamos dinheiro para divulgação"


Abrir versão online
Edição #56

Edição #56
12 de Setembro de 2015


Três anos depois de sair do ministério da Cultura, a cantora Ana de Hollanda e sua equipe de assessores próximos continuam se reunindo, debatendo e elaborando propostas para a cultura brasileira. Nessa entrevista exclusiva, a caçula do clã Buarque de Hollanda revela a 247 episódios inéditos de sua juventude, quando chegou a guardar embaixo de sua cama, e de sua meteórica passagem pelo ministério, onde trombou com correligionários de seu antecessor e atual ministro, Juca Ferreira. Fora do ministério, Ana não consegue emplacar projetos de shows, turnês ou gravações em editais de cultura em que antes era contemplada, o que atribui ao fato de ter sido o que foi por 20 meses: "O pessoal me olha como ex-ministra, não como cantora"; ela também afirma que as alianças do PT não são "nada santas" e explicam a crise política atual


Abrir versão online
Edição #55

Edição #55
4 de Setembro de 2015


O ator Paulo Cesar Pereio, um dos mais polêmicos do País, traçou o cenário do que ocorreria em eventual ruptura do processo democrático no Brasil, com um golpe contra a presidente Dilma; "Vai ser um quebra-quebra poderoso! Não vai ser um simples quebra-quebra...Vai ser um estoura-estoura. Detona-detona. Com as pessoas se comunicando pela internet?! Com receita de bomba?! Com bomba sendo vendida em casa de fogos Caramuru?! O que matou aquele cinegrafista no Rio? Foi fogos Caramuru, cara! Foi rojão que se vende para criança no interior do Brasil", disse ele, em entrevista ao jornalista Alex Solnik


Abrir versão online
Edição #54

Edição #54
28 de Agosto de 2015


"Todo mundo se transforma com o passar do tempo. Mas ninguém que eu conheço se transformou tanto quanto o cartunista Laerte. Está mais mulher que na última vez que nos vimos, há dois anos", diz o jornalista Alex Solnik, ao anunciar a entrevista com a personalidade mais polêmica do cartunismo nacional; na entrevista, Laerte falou de política e disse que a campanha de FHC pela descriminalização da maconha "é a única coisa interessante que ele fez na vida"; no mais "é muito antiético"; Laerte afirmou ainda que os ataques a Dilma visam inviabilizar o retorno de Lula em 2018 e criticou Aécio Neves por ter sido "surpreendido dirigindo bêbado"; em relação à sua identidade sexual, ele também se manifestou: "eu sinto que sou mais eu"


Abrir versão online
Edição #53

Edição #53
21 de Agosto de 2015


O delirante enredo de sua existência não só não impediu como talvez tenha ajudado a forjar o totalmente incomum, irreverente e desbocado Gerald Thomas, que concede uma entrevista a Alex Solnik; dos Estados Unidos, onde mora, ele compara as políticas brasileira e americana – "Aqui se cobra de seus representantes no Congresso, aqui a coisa é séria, quem é criminoso aqui paga" – e diz que "a corrupção é um órgão a mais que o brasileiro tem dentro do corpo"; sobre Aécio Neves, afirma: "Eu não sei nada do Aécio... não sei se ele é bom, se é ruim. Sei que é da família Tancredo Neves, mas também não boto a minha mão no fogo por isso"


Abrir versão online
Edição #52

Edição #52
14 de Agosto de 2015


O escritor, jornalista e dramaturgo Mário Prata criou uma imagem de impacto para resumir a crise política atual; segundo ele, o clima de ódio só será superado se e quando o ex-presidente Lula aparecer preso e algemado, numa capa da revista Veja; "O que vai acontecer? A situação atual é a seguinte: não tem crise política, não tem crise econômica, tem crise do ódio. Vai acabar no dia em que sair a foto na capa da Veja do Lula algemado entrando no camburão. Na segunda-feira, no dia seguinte, todos os empregados que foram demitidos vão ser readmitidos, o dólar vai cair, o mundo inteiro vai investir no Brasil, o Brasil vai voltar a jogar futebol bem, vai acabar tudo. Pode marcar com a Alemanha lá na Alemanha. Vamos dar de sete neles" ironiza Prata, em entrevista ao jornalista Alex Solnik; leia a íntegra


Abrir versão online
Edição #51

Edição #51
8 de Agosto de 2015


Acostumado a fazer prognósticos futebolísticos nos 20 boletins diários que apresenta em cinco rádios, o que lhe valeu o apelido de “Pitonisa”, Milton Neves arrisca palpites na política com exclusividade para o 247: "Dilma não vai cair, José Genoino será inocentado no futuro, Fernando Haddad não será reeleito"; ele também cutuca José Datena, que se lançou candidato a prefeito de São Paulo, lembrando que há quatro anos ele afirmou numa entrevista não achar correto um apresentador de TV concorrer a cargo público, mas não o condena: “todos podem mudar de ideia, menos o suicida”; Neves também critica a Rede Globo por proibir profissionais de jornalismo de fazerem propaganda e diz que tem o pior defeito que se pode ter no Brasil: “fiquei rico”!; leia o depoimento exclusivo a Alex Solnik


Abrir versão online
Edição #50

Edição #50
31 de Julho de 2015


Em entrevista à jornalista Tereza Cruvinel, o ex-ministro de Lula afirma que "a Lava Jato pode destruir as bases da geração de energia, e com isso inviabilizar o desenvolvimento do país. Coincidência ou não, isso atende aos objetivos de potências estrangeiras que não desejam nossa afirmação como Nação"; para Roberto Amaral, a prisão do almirante Othon Pinheiro Silva, presidente afastado da Eletronuclear, é "um fato grave que exige nossa reflexão"; ex-presidente e um dos principais dirigentes e ideólogos do PSB até o ano passado, Amaral acredita que a atual crise política "não ultrapassará setembro"; e admite um "desconforto notório" dentro de seu partido; leia a íntegra


Abrir versão online
Edição #49

Edição #49
24 de Julho de 2015


Deputado Vicente Cândido (PT-SP), que trabalhou de forma intensa para aprovar as novas regras, diz que a MP do Futebol é "muito significativa" para a recuperação financeira dos clubes e "coloca um novo marco para regrar o futebol brasileiro"; ao mesmo tempo, diz ele, o projeto não pode ser encarado como a "panaceia para o esporte"; "Agora o que falta é o investimento pesado do Estado, e a escola é o caminho para isso, para se descobrir talentos", defende o parlamentar, em entrevista ao 247; "Ou investe ou não dá para esperar que só as entidades vão resolver o problema da falta de se subir nos pódios", acrescentou


Abrir versão online
Edição #48

Edição #48
17 de Julho de 2015


"Mesmo que Cunha tivesse toda a capacidade do mundo para incendiar o País, ninguém sabe ao certo se ele chegará são e salvo ao mês de agosto. Depois de ironizar a Polícia Federal, pedindo que não chegasse antes das 6h à sua casa, e de ameaçar o procurador-geral Rodrigo Janot, ele pode ser implodido antes de mesmo de acionar seus explosivos", diz Leonardo Attuch, editor do 247, em novo artigo publicado em seu blog; apontado como "bola da vez" da Operação Lava Jato, Cunha tenta usar a promessa de impeachment como tábua de salvação para conquistar apoios na opinião pública e se safar dos ameaças que agora o cercam


Abrir versão online
Edição #47

Edição #47
10 de Julho de 2015


Deputado federal e um dos vice-líderes do governo na Câmara, Silvio Costa (PSC-PE) defende que a base aliada da presidente Dilma Rousseff mude de postura, partindo para o enfrentamento, seja aos partidos da oposição ou ao presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), descrito por ele como de um "estilo ditatorial, imperial"; Costa foi o autor de um discurso imperdível, de grande repercussão no País essa semana, no qual fez duras críticas à oposição e ao PSDB de Aécio Neves; "Falar de impeachment é o ápice da irresponsabilidade", ressaltou ele em entrevista ao 247


Abrir versão online
Edição #46

Edição #46
4 de Julho de 2015


Senador Humberto Costa (PT-PE) defende que o governo "anime" e "dialogue" mais com a sociedade, com destaque, principalmente, nas últimas iniciativas apresentadas com o objetivo de incentivar a retomada do crescimento econômico; "Tivemos várias iniciativas políticas importantes no mês de junho que vão no caminho oposto ao do ajuste e o governo continua no discurso do ajuste. Precisamos virar essa página", disse, em entrevista ao 247; líder do PT no Senado, ele negou que haja qualquer "ruído" na relação entre o ex-presidente Lula e o partido ou a presidente Dilma, embora admita que "posição de questionamento" faça parte do processo político; para ele, os vazamentos da Lava Jato têm "um objetivo político"


Abrir versão online
Edição #45

Edição #45
27 de Junho de 2015


Deputado federal por São Paulo defende uma "revisão" no reequilíbrio das contas pelo governo, como a alteração da meta do superávit, a paralisação da elevação da taxa de juros e um amplo programa de proteção do emprego, além da "taxação do andar de cima, como por grandes heranças e grandes fortunas"; segundo ele, "de certa forma, já está havendo uma parte dessa taxação, mas é preciso ampliar"; petista comenta as críticas feitas pelo ex-presidente Lula ao PT e defende que elas possam ser traduzidas em uma "agenda de mudanças" para o partido; Paulo Teixeira define como "inaceitável" a tentativa de "criminalizar o ex-presidente pelo fato de ele ter apoiado as empresas brasileiras no exterior"


Abrir versão online
Edição #44

Edição #44
20 de Junho de 2015


A onda conservadora bateu no teto e a sociedade brasileira já começa a reagir. Quem aposta nisso é o ministro da Cultura, Juca Ferreira. Em entrevista exclusiva ao 247, ele aponta o início de um processo de "tomada de consciência" por parte da elite pensante; "A movimentação não é apenas contra o PT e contra o governo É contra as conquistas que foram afiançadas a todos os brasileiros", diz ele; o ministro afirma, ainda, que as bancadas "da bala, da bola, da bíblia e do boi" não representam a tradição nacional; na entrevista, ele enfrentou temas polêmicos; disse, por exemplo, que Cristo aprovaria o gesto da transexual Viviany Beleboni, que se manifestou numa cruz, na última Parada LGBT; afirmou ainda que irá enfrentar as grandes corporações de tecnologia, como o Google, na luta para preservar os direitos autorais; por fim, disse ainda que a Lei Rouanet, "ovo da serpente do neoliberalismo", tem que acabar


Abrir versão online
Edição #43

Edição #43
12 de Junho de 2015


Governador tucano defendeu o que chamou de “choque de liberalismo”, com pressupostos de eficiência e qualidade na gestão pública; “Roubar não é só o que se desvia de dinheiro público, mas o que se deixa de investir bem”, discursa; para Marconi, os indicadores de Goiás são melhores do que os de outros Estados porque foram adotadas medidas para o enfrentamento da crise ainda no ano passado, antes da posse para seu quarto mandato; Estado tem a estrutura mais enxuta do Brasil, com apenas 10 secretarias; meta do tucano agora é fazer Goiás avançar no protagonismo político e econômico nacional, consolidando-se como a unidade da Federação mais competitiva do País


Abrir versão online
Edição #42

Edição #42
6 de Junho de 2015


Empossado recentemente deputado federal, o advogado e ex-presidente da OAB-RJ Wadih Damous (PT-RJ) deu entrevista exclusiva ao 247, em que teceu duras críticas ao juiz Sérgio Moro, a quem chama de "fanático judicial", e aos procuradores da Operação Lava Jato: "Eles não têm qualquer discernimento quanto à repercussão social de seus atos"; "Em nome do combate à corrupção praticam-se ilegalidades, desrespeitam-se direitos fundamentais", afirma; Damous ainda faz críticas à "contra-reforma política" em curso no Congresso, diz ficar "impressionado" com os parlamentares do PSDB que sobem à tribuna para falar de corrupção e vê Lula eleito em 2018


Abrir versão online
Edição #41

Edição #41
30 de Maio de 2015


Deputado Leonardo Picciani, líder do PMDB na Câmara, nega que houve "derrota" do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e do PMDB com a derrubada do chamado 'distritão' na reforma política essa semana; "O PMDB defendeu sua posição, tentou fazer a reforma política, a mudança do sistema, e a maioria preferiu manter o sistema atual. O PMDB na verdade saiu fortalecido. Quem votou pelo sistema atual é que perde", declarou o líder do partido, em entrevista ao 247; ele defende que a sigla tem "obrigação" de sair com um candidato em 2018, rompendo a aliança com o PT, e desdenha da 'frente de esquerda' liderada pelo ex-governador gaúcho Tarso Genro no Rio, onde um grupo de petistas não quer apoiar o PMDB; "Se você imaginar que alguém que saiu derrotado do Rio Grande do Sul vai conseguir ter alguma influência aqui no Rio... bom, isso me parece de uma pretensão muito grande"


Abrir versão online
Edição #40

Edição #40
24 de Maio de 2015


Em entrevista exclusiva ao 247, o empresário Robson Andrade, presidente da Confederação Nacional da Indústria, critica duramente a proposta do ministro da Fazenda, Joaquim Levy, de acabar com os benefícios da desoneração sobre a folha de pagamento para a indústria; "a intenção original era beneficiar apenas setores afetados pela competição internacional e o custo seria de R$ 4 bilhões"; segundo Andrade, quando falam em custo fiscal de R$ 25 bilhões, isso se deve ao alargamento desncessário da desoneração; ele defende que o governo retome o espírito original da medida; na entrevista, Robson também defendeu a terceirização; "é preciso dar segurança jurídica às empresas e também a 12 milhões de trabalhadores terceirizados no País"


Abrir versão online
Edição #39

Edição #39
16 de Maio de 2015


Um dos tucanos mais ativos no Congresso, deputado Marcus Pestana (MG) afirma, em entrevista ao 247, que o ajuste fiscal só é necessário por conta das "trapalhadas do governo Dilma"; "Não é à toa que a população repudia. O governo cometeu erros profundos, ele é o pivô da situação. O nome da crise, a raiz da crise é Dilma Rousseff. Então não é justo que os trabalhadores paguem por isso", dispara; Pestana defende que "não há nenhuma incoerência" no fato de a bancada do PSDB ter votado integralmente na alteração do fator previdenciário, criado no governo FHC; "O que houve é que o PT, em 12 anos, paralisou a agenda de reformas, entre elas a previdenciária", diz; "Nós estamos unidos. Incoerência é o PT"


Abrir versão online
Edição #38

Edição #38
8 de Maio de 2015


Defensor de uma ampla reforma política, que elimine o financiamento empresarial de campanhas políticas, o deputado Marcelo Freixo, uma das principais lideranças do Psol, concedeu entrevista exclusiva ao 247, em que refletiu sobre os desafios da esquerda no País; segundo ele, o PT paga por seus próprios erros; um deles, ter buscado a governabilidade a qualquer preço; "Nessa lógica de governabilidade, assim como o Fernando Henrique Cardoso teve o ACM, o PT vai buscar o Sarney, e mantém uma estabilidade da inércia, sem romper, fazendo com que essa política da Nova República tivesse sobrevida até os dias de hoje. O PT então perde a sua capacidade de mobilização na sociedade. Ou seja, depois de mais de 12 anos de governo do PT, ele entrega uma sociedade mais conservadora, desmobilizada e que faz com que a direita, inclusive, saia do armário", disse ele; leia a íntegra


Abrir versão online
Edição #37

Edição #37
1 de Maio de 2015


Líder do PCdoB, aliado histórico do Partido dos Trabalhadores, a deputada federal Jandira Feghali acredita que "conseguiram carimbar uma marca de corrupção no PT, o que não é justo no conjunto do partido"; para ela, o interesse da oposição em formalizar um pedido de impeachment contra a presidente Dilma está em interromper a investigação que está em curso e ainda manter os atuais pilares do sistema político; única líder mulher na Câmara, Jandira fala sobre sua proposta para a inclusão de mulheres no Congresso, critica a "obstrução" do ministro Gilmar Mendes no julgamento sobre financiamento de campanhas e ataca a gestão do deputado Eduardo Cunha; ela anuncia a criação de uma frente progressista na Casa, assim como vem sendo criada no Senado; "Não podemos ficar andando atrás de uma agenda conservadora, preconceituosa, que retira direitos, sem uma atitude firme nossa"


Abrir versão online
Edição #36

Edição #36
24 de Abril de 2015


Senador Lindberg Farias, do PT, lidera frente progressista no Senado em defesa do presidente da Casa, Renan Calheiros (PMDB-AL), e contra o que chama de "maré conservadora que estão tentando nos impor", em alusão ao presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ); segundo ele, a frente começou a ser formada esta semana e tem como objetivo barrar a agenda conservadora que estaria sendo impulsionada por Cunha, com projetos como o da terceirização e o da redução da idade penal; a Câmara, disse o petista, sempre foi mais progressista que o Senado, mas neste momento, o Senado, sob a liderança de Renan, é que estaria assumindo posições mais avançadas, especialmente na agenda social


Abrir versão online
Edição #35

Edição #35
18 de Abril de 2015


Deputado federal Alessandro Molon (PT-RJ), autor de emenda que veta a terceirização como atividade-fim, diz em entrevista ao 247 que há uma ação dura no Congresso para tentar amenizar, na próxima semana, os "graves prejuízos" aos trabalhadores do projeto que regulamenta a terceirização; "Vamos ver se é possível, se vamos conseguir aprovar tantos destaques para corrigir o projeto. O principal deles é a proibição da atividade-fim. Se essa emenda não for aprovada, será uma porteira aberta para quem ainda não é terceirizado perder o seu registro CLT", explica; para o deputado, "do jeito que está", o projeto de lei é "o maior atentado e a maior violência contra o trabalhador brasileiro" nos últimos 72 anos


Abrir versão online
Edição #34

Edição #34
10 de Abril de 2015


Em entrevista ao 247, o secretário nacional de Juventude, Gabriel Medina, critica a PEC que reduz de 18 para 16 anos a maioridade penal no Brasil, cuja tramitação foi aprovada pela CCJ da Câmara na última terça-feira 31; para ele, a proposta representa "uma sociedade doente, que não sabe formar seus jovens"; "Se a única saída é o encarceramento, estamos decretando uma falência completa", afirma; Medina acredita que medidas socioeducativas são o melhor caminho para o jovem infrator, que é uma "vítima da violência", e não a punição; "É preciso também colocar limites, mas isso não se faz com porrada, e sim com acolhimento, com afeto, diálogo. A punição definitivamente não é o melhor modelo de ressocialização"


Abrir versão online
Edição #33

Edição #33
3 de Abril de 2015


Em entrevista exclusiva à revista 247, o ministro Miguel Rossetto, da Secretaria-Geral da presidência da República, afirma que o fim do financiamento empresarial de campanha deve ser a peça central de uma reforma política; "Hoje, é muito comum encontrar um bom político que se diz achacado por um mau empresário. E vice-versa: um bom empresário que se diz achacado por um mau político", diz ele; segundo Rossetto, a Operação Lava Jato e o escândalo do metrô de São Paulo criam a oportunidade política para essa transformação; "as nações aprendem a partir das suas experiências mais dramáticas", afirma; "há uma crescente conscientização da população, que começa a entender que a corrupção nasce dessa relação espúria entre a política e o interesse empresarial"


Abrir versão online
Edição #32-2

Edição #32-2
28 de Março de 2015


Respeitado pelo academia, o filósofo Renato Janine Ribeiro, que é mestre pela Sorbonne e professor-doutor da USP, tem discutido temas como a "nova política", a crise de representatividade e o teatro do poder, sob a influência dos meios de comunicação; na educação, ele defende currículos mais abertos, que permitam o desenvolvimento da criatividade; recebido de forma positiva, o novo ministro da Educação poderá, ainda, cumprir um papel importante: reaproximar o governo da presidente Dilma Rousseff dos intelectuais, no momento em que o PT se tornou alvo de uma escalada de ódio político


Abrir versão online
Edição #31

Edição #31
21 de Março de 2015


Mais jovem governador do País, com apenas 35 anos, o economista Renan Filho, de Alagoas, encara os maiores desafios na administração pública. Seu estado aparece em primeiro lugar como o mais violento do País e em último na avaliação do Ideb, que mede os resultados da educação básica. "São duas colocações que nos envergonham e que não serão mais ocupadas por Alagoas no fim do meu mandato", disse Renan Filho, ao 247;nos dois primeiros meses do ano, Alagoas foi o estado cuja arrecadação mais cresceu: 13%; "não cobravam, havia uma associação entre a elite do poder econômico e o poder público"; em sua entrevista, ele falou também sobre o momento nacional; "a decisão tomada na última eleição deve ser respeitada"; leia íntegra


Abrir versão online
Edição #30

Edição #30
14 de Março de 2015


Depois de levar mais de 40 mil pessoas às ruas, apenas em São Paulo, e organizar manifestações em defesa da democracia em várias cidades, o presidente da CUT, Vagner Freitas, afirma que uma das prioridades da central sindical será defender as empresas brasileiras atingidas pela Operação Lava Jato, assim como o setor naval; "Estamos assistindo a um atentado contra a política de conteúdo nacional. Quando você desenvolve um setor como a indústria naval no País, você gera emprego e conhecimento.  Tem coisa mais absurda do que alguém propor, por conta da Operação Lava Jato, a quebra de todo o setor de construção no Brasil? Sabe quem vai pagar o pato? Os trabalhadores, que já estão perdendo o emprego, e não vão estar se empoderando para fazer a disputa social com a burguesia", diz ele


Abrir versão online
Edição #29

Edição #29
6 de Março de 2015


"Lula é odiado porque deveria dar errado e deixar em paz as elites para seguirem governando o Brasil por muito tempo. Um ódio de classe porque ele é nordestino, de origem pobre, operário metalúrgico, de esquerda, líder máximo do PT, que deu mais certo do que qualquer outro como presidente do Brasil. Odeiam nele o pobre, o nordestino, o trabalhador, o esquerdista. Odeiam nele a empatia que ele tem com o povo, sua facilidade de comunicação com o povo, a popularidade insuperável que o Lula tem no Brasil. O prestígio que nenhum outro político brasileiro teve no mundo", diz Emir Sader, em resposta aos que já o apontam como ameaça à democracia, de olho em 2018; "Quem odeia o Lula, odeia o povo brasileiro, odeia o Brasil, odeia a democracia"


Abrir versão online
Edição #28

Edição #28
27 de Fevereiro de 2015


Em entrevista ao 247, o líder do governo na Câmara dos Deputados denuncia a tentativa de criminalização do Partido dos Trabalhadores; "Se tem corrupção, começou lá atrás, nos governos anteriores ao de Lula. As informações reais são de que a corrupção era rotineira. Jamais esse combate a corrupção, que está sendo feito pelos órgãos de competência do governo, pode comprometer a história e o modelo de exploração do pré-sal", diz ele; "A oposição está responsabilizando o governo Dilma e criminalizando o PT. Os ataques feitos ao PT são inaceitáveis. Essas empresas que estão sendo denunciadas nas fraudes da Petrobras têm ligação com todos os partidos, mas só fazem guerra contra o PT, porque o objetivo central é criminalizar o partido. Um dia ainda vão querer pedir a ilegalidade do PT"; confira a íntegra


Abrir versão online
Edição #27

Edição #27
21 de Fevereiro de 2015


No momento em que o Ministério Público age para promover a quebra de seis empresas investigadas na Lava Jato, que empregam dezenas de milhares de trabalhadores, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, faz um chamado à razão; "É preciso separar as pessoas das empresas. As condutas individuais devem ser investigadas e deve haver punição. Outra coisa é tomar decisões contra as empresas, que possam prejudicar a economia do País. É óbvio que deve haver sanções e que as empresas devem ser enquadradas no que prevê a lei. Mas temos que ter o cuidado para não atentar contra a economia, contra o emprego e contra o bem-estar da sociedade", afirma; leia a íntegra da entrevista exclusiva ao 247


Abrir versão online
Edição #26

Edição #26
14 de Fevereiro de 2015


Ministro da Educação de um governo que adotou o lema Pátria Educadora, Cid Gomes concedeu entrevista ao 247 em que falou dos desafios do setor e da polêmica recente sobre o Fies (Fundo de Financiamento Estudantil); "O Fies é um sucesso. Tíinhamos 80 mil alunos em sua fase inicial. Hoje são 700 mil, num crescimento exponencial, mas do que geométrico. Estamos falando de um programa que tem um custo anual em torno de R$ 12 bilhões. Mas esse sucesso de quantidade ainda não tem a qualidade correspondente e queremos debater isso", afirma; ele também promete estudar mecanismos para que o Enem seja feito online no futuro; confira a íntegra


Abrir versão online
Edição #25

Edição #25
7 de Fevereiro de 2015


No mesmo dia em que leu o requerimento da nova CPI da Petrobras, Eduardo Cunha foi recebido pela presidente Dilma Rousseff e pelo vice Michel Temer no Palácio do Planalto. Não estava ali como quem se apresenta para uma eventual cooptação. Ele, que se tornou a terceira pessoa na linha de sucessão da República por mérito próprio, sem dever favores a ninguém, quer também governar, na parte que lhe toca. Pela primeira vez em muito tempo, o Legislativo voltará a legislar. O que significa que o centro de gravidade do poder começa a se deslocar em Brasília


Abrir versão online
Edição #24

Edição #24
31 de Janeiro de 2015


De esperança de ressurreição, ACM Neto pode passar a algoz do DEM; prefeito mais bem avaliado do Brasil, o jovem democrata olha a frente e não vê mais futuro para o antigo PFL que tanto foi defendido por seu avô Antônio Carlos Magalhães; conforme apurou 247 nos bastidores da política baiana, ACM Neto está mesmo prestes a ir para o PDT e selar o fim do DEM no Nordeste, pois levará consigo praticamente todos os deputados (federais e estaduais), prefeitos e vereadores que ainda restam ao partido na Bahia


Abrir versão online
Edição #23

Edição #23
24 de Janeiro de 2015


Ministro das Cidades, presidente do PSD e articulador do PL, Gilberto Kassab está prestes a montar a mais poderosa máquina política do País, com mil prefeitos, 70 deputados, sete senadores e três governadores; aliado de primeira hora da presidente Dilma, assim como será também do ex-presidente Lula caso ele de fato se candidate à presidência da República em 2018, Kassab já assusta o sistema político tradicional, a mídia alinhada à oposição e, sobretudo, o PMDB; hábil articulador, o ex-prefeito de São Paulo virou uma espécie de "bicho-papão", capturando para a base governista políticos insatisfeitos com suas siglas; aonde ele quer chegar? O Palácio dos Bandeirantes é uma boa aposta


Abrir versão online
Edição #22

Edição #22
17 de Janeiro de 2015


Ministra mais criticada pela esquerda na montagem do governo Dilma, Kátia Abreu tem um plano: incluir mais 700 mil produtores na classe média rural nos próximos quatro anos; para isso, ela pretende integrar todos os organismos de assistência técnica espalhados pelo País e criar também uma secretaria de mobilidade social, que se tornaria a mais importante do Ministério da Agricultura; "aqui, não tem ideologia, o foco é colocar mais dinheiro no bolso dos produtores", afirma; Kátia pretende ainda estimular a agricultura urbana, para melhorar a imagem do agronegócio; não se espantem se os canteiros de hortaliças começarem a ser plantados no próprio Ministério


Abrir versão online
Edição #21

Edição #21
10 de Janeiro de 2015


Eleito em primeiro turno com a força de Jaques Wagner, o novo governador da Bahia, Rui Costa (PT), afirma que não há desespero nem crise econômica no Estado, mas admite que não será fácil reverter o déficit previdenciário de R$ 2 bilhões; o petista tem pela frente ainda a missão de tirar a Bahia da incômoda posição de segunda pior educação pública do país e um dos estados mais violentos, com índice de homicídios que saltou de 24,8 por 100 mil habitantes em 2007 para 34,4 em 2013; reportagem de Romulo Faro; edição destaca ainda a chacina de Paris e a discussão sobre liberdade de expressão versus limites do humor


Abrir versão online
Edição #20

Edição #20
2 de Janeiro de 2015


O novo ministro das Comunicações, Ricardo Berzoini, representa a maior expectativa de mudança no segundo governo Dilma; a questão é: ele terá autonomia para levar adiante a proposta de regulação dos meios de comunicação, para enfrentar a propriedade cruzada, a excessiva concentração de poder e a falta de diversidade na mídia brasileira?; em entrevista recente a diversos blogueiros, ele demonstrou ter clareza sobre o tema, que é a capa da nova edição da revista Brasil 24/7; leia o texto de Altamiro Borges e a entrevista de Berzoini; outro destaque da edição é a posse da presidente Dilma e de vários governadores pelo Brasil


Abrir versão online
Edição #19

Edição #19
27 de Dezembro de 2014


Graça Foster, presidente da Petrobras, resistiu a um dos mais intensos bombardeios midiáticos já vistos no País; denúncias de Venina Velosa ecoaram durante horas nos telejornais da Globo, mas não foram suficientes para afastá-la do comando da companhia; Graça teve reafirmada a confiança da presidente Dilma Rousseff, anunciou recorde de produção de petróleo, com mais de 700 mil barris no pré-sal; para completar, ela também anunciou novas medidas para reforçar os controles da estatal; Graça fica e terá uma das missões mais importantes de 2015: recuperar a confiança da sociedade na Petrobras


Abrir versão online
Edição #18

Edição #18
19 de Dezembro de 2014


Presidente, enfim, sabe-se reeleita; fantasmas do impedimento foram superados; retraimento pessoal gerou condições para montagem de novo ministério; economia e política desafiam, mas Dilma Rousseff, a partir de 1º de janeiro, vai poder mostrar porque vai ser mais Dilma até 2018; esta é a reportagem de capa da nova edição da revista Brasil 24/7; confira ainda artigos de Paulo Moreira Leite, Tereza Cruvinel e Breno Altman sobre temas como comissão da verdade, relações entre Estados Unidos e Cuba e a crise política que se avizinha


Abrir versão online
Edição #17

Edição #17
13 de Dezembro de 2014


Com US$ 120 bilhões garantidos para investimentos nos próximos quatro anos, o governador reeleito do Rio de Janeiro oferece apoio incondicional à presidente Dilma Rousseff, evita ruídos políticos e atua no melhor estilo prefeitão de todas as cidades do estado, pilotando o maior canteiro de obras do País; "O importante é melhorar a vida das pessoas", diz Luiz Fernando Pezão; "Esse é o objetivo primeiro e único", diz o governador, na reportagem especial de Marco Damiani; leia ainda artigos de Breno Altman, Paulo Moreira Leite e Tereza Cruvinel sobre a conjuntura política, além de desdobramentos do caso Petrobras


Abrir versão online
Edição #16

Edição #16
6 de Dezembro de 2014


"O senador Renan Calheiros (PMDB-AL) é hoje o principal esteio do governo Dilma no Congresso, onde ela enfrenta divisões no PMDB, vacilações dos outros partidos da base e muchochos frequentes do PT.  A centralidade de seu papel, como presidente do Senado, foi demonstrada esta semana ao longo da batalha parlamentar pela aprovação do projeto que flexibiliza o cálculo do superávit primário", avalia a colunista Tereza Cruvinel; perfil do senador que comanda o Legislativo é a capa da nova edição da revista Brasil 24/7; em outro destaque, um perfil de Kátia Abreu, futura ministra da Agricultura e "rainha da polêmica", escrito po Aquiles Lins


Abrir versão online
Edição #15

Edição #15
29 de Novembro de 2014


"Ministro indicado da Fazenda já conseguiu a proeza de impor três metas de superávit, garantir seguimento dos programas sociais, agradar ao mercado financeiro e arrefecer as críticas a ele que vinha ganhando corpo dentro do PT. Para quem nem assumiu ainda, não é pouca coisa", diz o jornalista Marco Damiani, no perfil que traça de Joaquim Levy, novo ministro da Fazenda, na capa da décima-quinta edição da revista Brasil 24/7; publicação destaca ainda análises de Paulo Moreira Leite, Tereza Cruvinel e Breno Altman sobre a nova equipe econômica; em outro destaque, Anistia Internacional denuncia extemínio de jovens negros no Brasil


Abrir versão online
Edição #14

Edição #14
22 de Novembro de 2014


Reportagem de capa traz entrevista com o líder do MST, João Pedro Stédile; ele afirma que qualquer tentativa de quebra da ordem institucional traria o elemento da violência. "Seria destampada a caixa de pandora da revolta popular", avaliou. Na condição de ser um dos poucos brasileiros que, com uma palavra, pode 'colocar o povo na rua', ele lembrou que "brincar com a democracia é muito perigoso". Em outra entrevista, o sempre polêmico Gilmar Mendes falou sobre a análise que fará sobre as contas de campanha da presidente Dilma Rousseff. "Se tudo tiver sido feito dentro da normalidade, nenhum problema. Agora, se tiver problema, tem problema".


Abrir versão online
Edição #13

Edição #13
15 de Novembro de 2014


Com duas palavras dentro de uma carta de demissão – "resgatar a credibilidade" – senadora Marta Suplicy causa estrondo no PT, irrita núcleo duro do governo e antecipa em dois anos a sucessão na Prefeitura da maior cidade do País. Este é o tema de capa da nova edição da revista Brasil 24/7, que destaca também os desdobramentos da nova fase da Operação Lava Jato, que levou à prisão executivos de grandes empreiteiras. O juiz Sérgio Moro, responsável pelas investigações da Operação Lava jato, disse que as novas prisões determinadas por ele são um "remédio amargo" para coibir a continuidade dos casos de corrupção.


Abrir versão online
Edição #12

Edição #12
7 de Novembro de 2014


A possível escolha de Henrique Meirelles para o Ministério da Fazenda pode libertar a presidente Dilma de um fardo: a condução da economia, num contexto internacional turbulento; já testado e aprovado nos oito anos em que conduziu o Banco Central, no governo Lula, Meirelles neutralizaria críticas internas e externas a Dilma e permitiria que ela se dedicasse, com mais ênfase, ao aprofundamento das políticas de inclusão social e ampliação dos direitos civis; reportagem é o principal destaque da nova edição da revista 24/7, que traz ainda entrevista com o ministro Moreira Franco


Abrir versão online
Edição #11

Edição #11
31 de Outubro de 2014


Principal conselheiro, confidente e amigo da presidente Dilma Rousseff durante os dias mais tensos da corrida eleitoral, Jaques Wagner desponta como um coringa; já foi cotado para os ministérios da Fazenda, da Casa Civil e das Relações Institucionais; agora, a aposta é que ele assumirá a Petrobras, para criar uma agenda positiva para a empresa; conciliador e apto para o diálogo, palavra chave do segundo mandato, Wagner será um dos homens fortes do novo governo Dilma; leia reportagem especial de Romulo Faro, editor do Bahia 247; leia ainda reportagens especiais de Paulo Moreira Leite e Tereza Cruvinel sobre o segundo mandato da presidente Dilma Rousseff


Abrir versão online
Edição #10

Edição #10
24 de Outubro de 2014


Reportagem de capa, do diretor Marco Damiani, aborda o futuro de Lula, após as eleições presidenciais deste domingo; será ele a principal força do novo governo Dilma ou o vetor de reaglutinação do PT caso Aécio Neves vença a disputa? “Só o que eu não posso dizer é que não”, diz Lula, sobre concorrer em 2018; diversos artigos também abordam a tentativa de golpe contra a democracia brasileira perpetrada pela revista Veja, que publicou denúncias sem provas contra a presidente Dilma; segundo Lula, Veja "é a maior fábrica de mentiras do mundo"; tanto a presidente Dilma quanto o presidente do PT, Rui Falcão, anunciaram medidas judiciais contra a revista


Abrir versão online
Edição #9

Edição #9
17 de Outubro de 2014


Reportagem especial, de Marco Damiani, aborda os desafios finais da presidente Dilma Rousseff e do senador Aécio Neves na reta final da disputa presidencial; com o Brasil divido ao meio, guerra será vencida nos detalhes; sobre a sucessão, Tereza Cruvinel aborda o desafio de fisgar indecisos, enquanto Paulo Moreira Leite alerta para uma semana final de vale-tudo; colunista Breno Altman escreve sobre a onda de intolerância que atinge o País e que culminou com os insultos ao ator Gregório Duvivier; no Rio Grande do Sul, Tarso Genro, que tenta superar o rival Ivo Sartori, defende a continuidade do processo de mudanças


Abrir versão online
Edição #8

Edição #8
10 de Outubro de 2014


Reportagem de capa, do diretor de redação Marco Damiani, aborda os planos de José Serra, na sua volta ao Senado; fortalecido por 11,1 milhões de votos, ele promete a Nota Fiscal Brasileira e também atuar em defesa "de uma uma nova lei eleitoral"; em entrevista a Artur Voltolini, editor do Favela 247, o deputado Marcelo Freixo, do Psol, fala do seu apoio à presidente Dilma Rousseff; ao diretor Paulo Moreira Leite, Aloizio Mercadante fala sobre a política econômica de Armínio Fraga; em entrevista a Guido Nejamkis, editor do 247 em espanhol, o embaixador Rubens Barbosa fala do Mercosul num eventual governo Aécio, enquanto Marco Aurélio Garcia defende a aproximação com países sul-americanos


Abrir versão online
Edição #7

Edição #7
3 de Outubro de 2014


Reportagem especial do editor Marco Damiani retrata como o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, vem conseguindo retomar sua popularidade, ao apostar no transporte público e nas ciclofaixas. "Temos um plano aprovado pelos eleitores e não nos afastamos dele. Os resultados estão aparecendo, o retorno está melhorando. Não há segredo nisso: trabalhar para a maioria da população, em lugar de temer nichos e as torcidas organizadas do atraso", diz ele; colunista Tereza Cruvinel revela que a nova lei anticorrupção será usada para punir as empreiteiras da Operação Lava Jato; em entrevista, Wadih Damous, ex-presidente da OAB, avalia os resultados da disputa eleitoral


Abrir versão online
Edição #6

Edição #6
26 de Setembro de 2014


Em entrevista exclusiva, o "comunista" Flávio Dino, que lidera as pesquisas no Maranhão e deve encerrar a era Sarney, símbolo da velha política, promete implantar o verdadeiro capitalismo no estado. "Aqui ninguém usará o poder para fazer negócios". No Rio Grande do Sul, o governador gaúcho Tarso Genro revela, também em entrevista exclusiva, sua estratégia para tentar virar o jogo e superar a candidata Ana Amélia. Outro destaque é o apoio de 7,7 milhões de brasileiros à reforma política. No campo oposicionista, o banqueiro Roberto Setubal, do Itaú, apoia Marina e diz que o Brasil se perdeu. Em artigo, Palmério Dora fala dos riscos assumidos pelo banco.


Abrir versão online
Edição #5

Edição #5
19 de Setembro de 2014


Na reportagem de capa, o jornalista Paulo Moreira Leite entrevista o ministro Aloizio Mercadante, da Casa Civil, que disseca o programa de Marina Silva e aponta fragilidades em temas polêmicos, como a negligência ao pré-sal e a proposta de independência do Banco Central, com redução do espaço dos bancos públicos na economia; Marco Damiani também analisa a resiliência da presidente Dilma Rousseff, enquanto Tereza Cruvinel aborda o anseio popular por uma reforma política; na economia, reportagem especial analisa os danos que engajamento político pode vir a causar à marca do Itaú; artigo de Marcio Pochmann também analisa o cenário eleitoral


Abrir versão online
Edição #4

Edição #4
15 de Setembro de 2014


Reportagem de capa, feita por Paulo Moreira Leite, relata os bastidores da posse de Ricardo Lewandowski, que abre uma nova era à frente do Supremo Tribunal Federal, depois do período turbulento de Joaquim Barbosa. O editor Aquiles Lins também publica uma entrevista exclusiva com Cássio Cunha Lima, que caminha para um terceiro mandato como governador da Paraíba. De Brasília, Tereza Cruvinel explica os motivos da maior rejeição de Marina Silva, apontada nas pesquisas eleitorais. E uma reportagem de Marco Damiani aponta os danos à imagem do Itaú, em razão de seu excessivo engajamento no processo eleitoral de 2014


Abrir versão online
Edição #3

Edição #3
5 de Setembro de 2014


Reportagem de capa destaca entrevista com o governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, feita pelos jornalistas Paulo Moreira Leite e Tereza Cruvinel. "Eu peguei o Distrito Federal em estado caótico, organizei sua administração, sua economia, fiz grandes realizações mas conclui apenas uma parte das grandes mudanças necessárias", diz ele, apontando motivos para sua reeleição; outros destaques da edição são a entrevista com o teólogo Leonardo Boff, que declara seu voto na presidente Dilma Rousseff, e o artigo do deputado Jean Wyllys (Psol-RJ) que contesta o recuo de Marina Silva em relação à homofobia


Abrir versão online
Edição #2

Edição #2
29 de Agosto de 2014


Os jornalistas Paulo Emílio, editor do 247 em Recife, e Paulo Moreira Leite, diretor do 247 em Brasília, entrevistam o senador Armando Monteiro Neto (PTB/PE), que lidera as pesquisas para o governo de Pernambuco e enfrenta o desafio de não ser superado pela comoção em torno da morte de Eduardo Campos. Da Suíça, Alexander Thoele entrevista Galeno Amorim, primeiro marido de Dilma Rousseff, que fala sobre sua visão de mundo ainda socialista. Em diversos artigos, colunistas do 247 apontam as forças e contradições da candidata Marina Silva e os rumos da sucessão presidencial deste ano.


Abrir versão online
Edição #1

Edição #1
22 de Agosto de 2014


Na reportagem de capa, o ex-ministro Fernando Pimentel, que lidera as pesquisas para o governo de Minas Gerais, concede entrevista exclusiva ao jornalista Paulo Moreira Leite, onde contesta a versão do "choque de gestão" no estado. "O que existe, na verdade, é uma completa baderna administrativa", afirma. Em artigo, Luís Pellegrini, editor da revista Oásis, aponta a morte de Eduardo Campos como possível "ponto de mutação" na política. Marco Damiani também investiga por que as Organizações Globo decidiram explicitar sua oposição à reeleição de Dilma na entrevista da presidente ao Jornal Nacional.


Abrir versão online
Fechar