Após compra de apoio de Temer, CCJ na Câmara fica desfigurada

Por conta do troca-troca de membros da Comissão de Constituição e Justiça da Câmara pelos partidos aliados a Temer a fim de garantir votos contra a denúncia por corrupção do peemedebista, novatos ficarão com a responsabilidade de analisar vários projetos até então relatados por parlamentares experientes, com tradição no colegiado, o mais importante da Casa; além disso, 119 projetos ficaram sem dono e devem voltar para a estaca zero

Por conta do troca-troca de membros da Comissão de Constituição e Justiça da Câmara pelos partidos aliados a Temer a fim de garantir votos contra a denúncia por corrupção do peemedebista, novatos ficarão com a responsabilidade de analisar vários projetos até então relatados por parlamentares experientes, com tradição no colegiado, o mais importante da Casa; além disso, 119 projetos ficaram sem dono e devem voltar para a estaca zero
Por conta do troca-troca de membros da Comissão de Constituição e Justiça da Câmara pelos partidos aliados a Temer a fim de garantir votos contra a denúncia por corrupção do peemedebista, novatos ficarão com a responsabilidade de analisar vários projetos até então relatados por parlamentares experientes, com tradição no colegiado, o mais importante da Casa; além disso, 119 projetos ficaram sem dono e devem voltar para a estaca zero (Foto: Gisele Federicce)

247 - O troca-troca de membros da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados por partidos políticos aliados a Michel Temer, a fim de garantir votos ao peemedebista contra sua denúncia por corrupção desfigurou a formação do colegiado, o mais importante da Casa.

Reportagem da Folha de S.Paulo neste domingo 23 revela que deputados novatos ficarão responsáveis por analisar vários projetos até então relatados por parlamentares experientes, com longa tradição no colegiado.

Além disso, 119 projetos ficaram sem dono e devem voltar para a estaca zero - eles estavam nas mãos de nove parlamentares que deixaram a comissão.

Ao todo, foram feitas 15 movimentações nas últimas semanas na CCJ para salvar Temer, estratégia que deu resultado, uma vez que o relatório do deputado Sergio Zveiter (PMDB-RJ), que pedia a continuidade da denúncia, foi rejeitado.

Temer chegou a gastar R$ 15 bilhões em emendas parlamentares na compra do apoio de deputados. A matéria, porém, ainda será analisa no plenário da Casa no próximo dia 2 de agosto.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247