Aras tem novo plano para substituir as forças-tarefa da Lava Jato

Procurador-geral da República, Augusto Aras, irá modificar o funcionamento das forças-tarefas da Lava Jato pelo país, criando 27 ofícios em cada uma das capitais. Confira as mudanças:

Augusto Aras
Augusto Aras (Foto: Antonio Augusto/Secom/PGR)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O procurador-geral da República, Augusto Aras, tem um novo plano para as forças-tarefas da Lava Jato. Ele apresentou um novo modelo para substituí-las no Rio de Janeiro e no Paraná, que atingirão seus prazo de funcionamento em dezembro e janeiro, respectivamente.

Segundo o portal O Antagonista, a proposta do procurador é criar 27 ofícios especializados de combate à corrupção, um para cada capital do país. Em seguida, dentro de um ano, transferir os respectivos procuradores para Rio e Curitiba.

No Ministério Público Federal, cada ofício é ocupado por um procurador, que atua perante uma vara da Justiça.

Com a proposta de Aras, os 27 procuradores desses novos ofícios especializados serão divididos entre as duas cidades, substituindo os atuais membros das forças-tarefas, com exceção dos coordenadores carioca e paranaense Eduardo El Hage e Alessandro Vieira.

O portal informa que a ideia de Aras é que, após um ano auxiliando os coordenadores da Lava Jato, eles retornem para suas capitais de origem.

Esses procuradores serão selecionados por um concurso interno dentro do MPF, em que qualquer procurador poderá se candidatar, mas um dos principais critérios para ser selecionado é a antiguidade dentro da carreira.

Geralmente, o procurador que solicita a formação de uma força-tarefa escolhe seus colegas para auxiliá-lo.

A proposta de Aras foi enviada ontem ao subprocurador Alcides Martins, relator de um processo de reestruturação interna do MPF, e o assunto deve ser discutido na próxima sexta-feira, 27, numa reunião administrativa fechada entre os membros do Conselho Superior do Ministério Público Federal.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247