Barbosa deve autorizar trabalho de Dirceu

Sem provas sobre suposto uso de celular na Papuda e com parecer favorável do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, presidente do Supremo Tribunal Federal se vê obrigado a analisar o pedido de trabalho externo de José Dirceu; ex-ministro é o único dos condenados da AP 470 mantido desde novembro do ano passado ilegalmente em regime fechado; ele aguarda autorização para atuar em escritório de advocacia, com salário de R$ 2,1 mil

Sem provas sobre suposto uso de celular na Papuda e com parecer favorável do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, presidente do Supremo Tribunal Federal se vê obrigado a analisar o pedido de trabalho externo de José Dirceu; ex-ministro é o único dos condenados da AP 470 mantido desde novembro do ano passado ilegalmente em regime fechado; ele aguarda autorização para atuar em escritório de advocacia, com salário de R$ 2,1 mil
Sem provas sobre suposto uso de celular na Papuda e com parecer favorável do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, presidente do Supremo Tribunal Federal se vê obrigado a analisar o pedido de trabalho externo de José Dirceu; ex-ministro é o único dos condenados da AP 470 mantido desde novembro do ano passado ilegalmente em regime fechado; ele aguarda autorização para atuar em escritório de advocacia, com salário de R$ 2,1 mil (Foto: Roberta Namour)

247 – Sem conseguir até agora justificar a perseguição ao ex-ministro José Dirceu, o presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Joaquim Barbosa, sinaliza que deverá autorizar seu pedido de trabalho externo.

Dirceu é mantido desde novembro do ano passado ilegalmente em regime fechado e é o único dos condenados da AP 470 que ainda não teve seu pedido de trabalho analisado pela Justiça.

Ele batalha para trabalhar como auxiliar no escritório de advocacia de José Gerardo Grossi, em Brasília, com um salário de R$ 2,1 mil mensais.

No entanto, tem sido prejudicado pelo juiz Bruno Ribeiro, braço-direito das incoerências de Barbosa no caso, sob alegações infundadas de supostos benefícios dentro da Papuda como o uso de celular.

Até o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, concluiu não ser possível provar as denúncias, e portanto, diz que o trabalho externo deveria ser assegurado.

Se a autorização finalmente sair, Dirceu será transferido para uma o chamado CPP (Centro de Progressão Penitenciária) onde já estão o ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares e os ex-deputados Valdemar Costa Neto (PR-SP) e João Paulo Cunha (PT-SP). Segundo a lei, ele deixará a prisão durante o dia para trabalhar e terá de voltar por volta das 18h.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247