Bolsonaro ataca decano do STF e insinua abuso de autoridade

Jair Bolsonaro fez uma publicação no Facebook culpando o ministro do STF Celso de Mello por abuso de autoridade. Em seguida, participou de manifestação fascista na praça dos Três Poderes, sem máscara, decumprindo regras do Distrito Federal

www.brasil247.com - Celso de Mello / Jair Bolsonaro
Celso de Mello / Jair Bolsonaro (Foto: STF | Reuters)


247 - Jair Bolsonaro atacou o ministro do Supremo Tribunal Federal, Celso de Mello, que divulgou o vídeo da reunião ministerial de 22 de abril, em que ele aparece, junto a outros ministros do governo, atacando as instituições e pedindo mudanças na “segurança” do Rio de Janeiro para não “foder” a sua família - parte que Sergio Moro relaciona com a vontade do presidente de interferir na Polícia Federal.

Na manhã deste domingo, 24, Bolsonaro publicou um trecho da lei de abuso de autoridade que ele relaciona ao decano da corte, pois o vídeo foi divulgado por razões do inquérito sobre a possível interferência na PF.

"Art. 28 Divulgar gravação ou trecho de gravação sem relação com a prova que se pretenda produzir, expondo a intimidade ou a vida privada ou ferindo a honra ou a imagem do investiga ou acusado: pena - detenção de 1 (um) a 4 (quatro) anos."

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Em seguida, ele deixou o Palácio da Alvorada de helicóptero e foi à praça dos Três Poderes, em Brasília, onde ocorre manifestação de extrema-direita em defesa do governo federal e contra o Legislativo e o Judiciário. Ele participa da manifestação sem máscara, contrariando regras do Distrito Federal, podendo ser multado em R$ 2.000.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email