Coaf constata que Ricardo Barros tem movimentação bancária "incompatível com o patrimônio e a capacidade financeira”

De acordo com o órgão do Banco Central, entre 1 de março de 2021 até 31 de março de 2021, as transferências do líder do governo na Câmara dos Deputados, Ricardo Barros, somaram R$ 418 mil, o equivalente a 94% do que o parlamentar disse ter como patrimônio líquido declarado: R$ 446 mil

www.brasil247.com - Deputado Ricardo Barros, líder do governo na Câmara
Deputado Ricardo Barros, líder do governo na Câmara (Foto: Jefferson Rudy - Agência Senado)


247 - O Conselho de Controle de Atividades Financeiras (COAF) apontou em relatório enviado à CPI da Covid que o líder do governo na Câmara dos Deputados, Ricardo Barros (PP-PR), teve "movimentação financeira incompatível com o patrimônio, a atividade econômica ou a ocupação profissional e a capacidade financeira". De acordo com o órgão do Banco Central, entre primeiro de março de 2021 até 31 de março de 2021, as transferências dele somaram R$ 418 mil, valor que representou 94% do que o parlamentar disse ter como patrimônio líquido declarado: R$ 446 mil. O teor do relatório foi publicado pelo jornal O Globo

O parlamentar movimentou dinheiro com familiares ou "estreitos colaboradores" sem que fossem justificados por eventos econômicos, apontou o documento. "Movimentação por meio de saques, os quais dificultam identificar os beneficiários finais dos recursos", complementou o Coaf no texto. 

Nas transferências estão pessoas físicas e jurídicas das quais Barros é sócio. O Coaf analisou 13 pessoas físicas e 24 pessoas jurídicas. Uma mulher apontada como administradora das contas correntes do grupo econômico disse que parte da movimentação foi consequência da venda de imóveis, que foram destinadas a pagamentos de empréstimos contratados entre as empresas do grupo.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

No documento, o Coaf destacou que Barros é investigado por corrupção passiva, crime eleitoral, lavagem de dinheiro, crimes contra a administração pública, sonegação fiscal, formação de quadrilha, fraude e lavagem eleitoral.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

"É investigado pelo MP-PR, por supostamente aproveitar-se de sua influência política para adquirir metade de um lote de R$ 56 milhões em Marialva (PR), após ter declarado à Justiça Eleitoral um patrimônio total de apenas R$ 1,8 mil. Barros, que também responde por sonegação fiscal, foi citado na lista dos políticos com 'fichas sujas'", disse.

O deputado negou irregularidade e disse que suas operações estão "dentro da normalidade". "Reforço que todas as movimentações financeiras pessoais ou referentes às minhas empresas são compatíveis com a minha renda e são operações dentro da normalidade. Não há relação entre movimentação financeira e patrimônio declarado. São coisas incomparáveis. A Receita Federal inclusive já acatou a minha defesa em processo administrativo que questionava essas movimentações. Não há nada de irregular", afirmou.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CPI da Covid

O deputado virou alvo da CPI da Covid após o deputado federal Luis Miranda (DEM-DF) ter levado à Comissão Parlamentar de Inquérito suspeitas de corrupção na aquisição da vacina indiana Covaxin. Em outra ocasião, Jair Bolsonaro teria dito se tratar de um “rolo” de Ricardo Barros.

Após a suspeita de corrupção vir à tona, o Ministério da Saúde decidiu suspender o contrato de R$ 1,6 bilhão com a fabricante do imunizante, a indiana Bharat Biotech.

Antes convocada apenas para prestar depoimento, o parlamentar passou à condição de investigado pela CPI da Covid, conforme anunciou o relator da comissão, Renan Calheiros (MDB-AL), no dia 18 de agosto.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Inscreva-se no canal de cortes da TV 247 e saiba mais:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email