CPI deve quebrar sigilos de Luciano Hang para investigar se ele financiou fake news sobre a Covid-19

Senadores desconfiam que o dono da Havan, que se tornou patrocinador do Flamengo, teria financiado a propagação de mentiras relacionadas à doença

(Foto: Anderson Riedel/Fotos Públicas)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – O financiamento da propagação de mentiras sobre a Covid-19 entrou no radar da CPI da Pandemia e um dos alvos poderá ser o empresário Luciano Hang, dono da Havan e patrocinador do Flamengo, segundo informa a jornalista Bela Megale, em sua coluna no Globo.

"O maior entusiasta de Bolsonaro entre os empresários, Luciano Hang, dono da Havan, entrou na mira da CPI da Covid. Senadores relataram à coluna que devem pedir a quebra de sigilo bancário e fiscal de Hang. O objetivo é investigar se ele pagou sites e serviços de propagação de fake news ligados à Covid-19. A comissão quer apurar quem bancou a disseminação de remédios como cloroquina e ivermectina para combater a doença, quando a ciência já havia comprovado a sua ineficácia", informa a jornalista.

"Na semana passada, Hang passeou na garupa da moto de Bolsonaro em um evento em Rondônia. Os dois estavam se capacete e sem máscara. O empresário é investigado em dois inquéritos que estão no Supremo Tribunal Federal, um sobre fake news e outro sobre organização e financiamento de atos antidemocráticos", diz ainda Bela Megale.

Saiba como apoiar o documentário "A história secreta da cloroquina", que será produzido por Joaquim de Carvalho, na TV 247.

Inscreva-se no canal de cortes da TV 247 e saiba mais:

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email