Deltan na mira de inquérito do STF

Ministros do STF indicaram nesta quinta-feira (1) que Deltan Dallagnol, chefe da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba, pode ser investigado no inquérito que apura ameaças aos magistrados do Supremo e seus familiares

(Foto: Marcelo Camargo - ABR)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Segundo informação do repórter Severino Motta, do BuzzFeed News, publicada nesta quinta-feira (1), ministros do STF indicaram que Deltan Dallagnol, chefe da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba, pode ser investigado no inquérito que apura ameaças aos magistrados do Supremo e seus familiares.

"A ideia é apurar se Deltan efetivamente deu algum comando à Receita Federal para analisar finanças do presidente do STF, Dias Toffoli, de sua mulher, Roberta Gurgel, e do ministro Gilmar Mendes e de sua esposa, Guiomar", conta Motta. 

Após as revelações da Vaza Jato desta quinta-feira (1), o ministro do STF Alexandre de Moraes determinou a suspensão dos procedimentos de investigação abertos pela Receita contra ministros da Corte alegando a existência de “graves indícios de ilegalidade no direcionamento das apurações em andamento”. 

Além da suspensão das investigações, Moraes também determinou o afastamento de dois servidores da Receita por quebra indevida de sigilo apurada por meio de um procedimento administrativo disciplinar.

"Entre os ministros ouvidos pelo BuzzFeed News, há um grande interesse em ter informações sobre todas as pessoas que participaram da ação que levou à investigação sobre a mulher de Toffoli e a de Gilmar Mendes, Guiomar. Em conversas reservadas, o nome mais falado é do atual presidente do Coaf, Roberto Leonel, que deve ser o próximo alvo das apurações do Supremo", conta Severino Motta.

Segundo o jornalista, Leonel "é considerado por alguns dos ministros como a ponte entre a Lava Jato e ações do Coaf que, ainda na visão desses ministros, ultrapassam suas atribuições e entram no campo de investigações que necessitariam de autorizações judiciais".

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247