Distritais vão explicar farra da gasolina à Justiça

Os deputados distritais terão de explicar à Justiça como e onde gastaram R$ 586.8 mil com combustíveis e lubrificantes no DF, a menor unidade da federação; segundo o Ministério Público, essa despesas é muito alta, ainda mais realizado sem processo licitatório; levando em conta o preço da gasolina atualmente, bem mais cara do que há dois anos, o aporte seria suficiente para comprar 165 mil litros e percorrer 1,6 milhão de quilômetros em um ano meses, o equivalente a 41 voltas na circunferência da Terra

Os deputados distritais terão de explicar à Justiça como e onde gastaram R$ 586.8 mil com combustíveis e lubrificantes no DF, a menor unidade da federação; segundo o Ministério Público, essa despesas é muito alta, ainda mais realizado sem processo licitatório; levando em conta o preço da gasolina atualmente, bem mais cara do que há dois anos, o aporte seria suficiente para comprar 165 mil litros e percorrer 1,6 milhão de quilômetros em um ano meses, o equivalente a 41 voltas na circunferência da Terra
Os deputados distritais terão de explicar à Justiça como e onde gastaram R$ 586.8 mil com combustíveis e lubrificantes no DF, a menor unidade da federação; segundo o Ministério Público, essa despesas é muito alta, ainda mais realizado sem processo licitatório; levando em conta o preço da gasolina atualmente, bem mais cara do que há dois anos, o aporte seria suficiente para comprar 165 mil litros e percorrer 1,6 milhão de quilômetros em um ano meses, o equivalente a 41 voltas na circunferência da Terra (Foto: Leonardo Lucena)

Brasília 247 - Os deputados distritais terão de explicar à Justiça como e onde gastaram R$ 586.876,32 com combustíveis e lubrificantes no DF, a menor unidade da federação. De acordo com o Ministério Público do Distrito Federal e Territórios, essa despesas é muito alta, ainda mais realizado sem processo licitatório.

Levando em conta o preço da gasolina atualmente, bem mais cara do que há dois anos, o aporte seria suficiente para comprar 165 mil litros e percorrer 1,6 milhão de quilômetros em um ano meses, o equivalente a 41 voltas na circunferência da Terra.

Hoje, os deputados podem escolher em qual posto de gasolina gastar ou simplesmente pegar a nota fiscal para justificar o ressarcimento da despesa.

Segundo o Correio, o promotor de Justiça Ali Taleb Fares pede que o Judiciário impeça a Câmara Legislativa de encher o tanque dos carros dos parlamentares. Caso a ação seja julgada procedente, os deputados perderão o privilégio de gastar com combustíveis.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247