Doze ciclistas morreram no trânsito do DF em 2015

O levantamento da ONG foi feito com base em notícias publicadas pela imprensa este ano, pois o Detran ainda não divulgou os dados oficiais; o órgão informou que deve publicar nos próximos dias um balanço com os números do primeiro trimestre; no ano passado, de acordo com os números Detran-DF, foram 22 casos

O levantamento da ONG foi feito com base em notícias publicadas pela imprensa este ano, pois o Detran ainda não divulgou os dados oficiais; o órgão informou que deve publicar nos próximos dias um balanço com os números do primeiro trimestre; no ano passado, de acordo com os números Detran-DF, foram 22 casos
O levantamento da ONG foi feito com base em notícias publicadas pela imprensa este ano, pois o Detran ainda não divulgou os dados oficiais; o órgão informou que deve publicar nos próximos dias um balanço com os números do primeiro trimestre; no ano passado, de acordo com os números Detran-DF, foram 22 casos (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Da Agência Brasil

O levantamento da ONG foi feito com base em notícias publicadas pela imprensa este ano, pois o Detran ainda não divulgou os dados oficiais. O órgão informou que deve publicar nos próximos dias um balanço com os números do primeiro trimestre. No ano passado, de acordo com os números Departamento de Trânsito (Detran) do DF, foram 22 casos.

“A gente não pode aceitar que isso seja corriqueiro. A sociedade precisa se alarmar com estatísticas como essa. Cobrar respeito com o ciclista. O medo dos motoristas não pode ser o de pagar multas, mas o de destruir a vida de uma pessoa”, disse a secretária Institucional da ONG, Renata Florentino.

O vigilante Fabrício Torres da Costa, de 35 anos, pedalava para o trabalho, na manhã de sexta-feira (3), quando passava pela L4 Norte, via de Brasília, e foi atingido por um carro dirigido por um motorista embriagado, segundo o Departamento de Estrada de Rodagem (DER).

Para homenagear Fabrício e pedir paz no trânsito, ciclistas da cidade fizeram hoje uma manifestação. “Este ato foi chamado por amigos do Fabrício, mas serve para mostrar nossa indignação com todos os casos. Uma pessoa não pode dirigir bêbada e ficar impune”, disse Renata. O ciclista chegou a ser socorrido, mas não resistiu.

O motorista chegou a ser preso, mas foi colocado em liberdade provisória, conforme informou a Polícia Civil. Além da embriaguez ao volante, ele responde por homicídio culposo, quando não há intenção de matar. A existência de dolo, segundo a polícia, só poderá ser verificada no decorrer da investigação.

O teste do bafômetro no motorista indicou concentração de 0,79 miligrama (mm) de álcool por litro de ar expelido, de acordo com o DER. É considerado crime de embriaguez ao volante índice igual ou superior a 0,33 mm.

“Nós precisamos de mais campanhas educativas. Mostrar que quem anda bêbado põe em risco sua vida e a de outras pessoas. Os ciclistas, os pedestres não podem serem vistos como concorrentes pelos motoristas. Nós fazemos parte do trânsito e merecemos respeito”, cobrou Renata.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247