Engevix vende fatia nos aeroportos de Brasília e Natal

Em meio às dificuldades financeiras causadas pelas investigações da Operação Lava Jato, empreiteira vendeu à holding argentina Corporación América sua participação nos aeroportos de Brasília e Natal; a OAS também já avisou que está nos estágios finais para a venda de sua participação na Invepar, principal sócia no grupo que administra a concessão do aeroporto de Guarulhos (SP)

Em meio às dificuldades financeiras causadas pelas investigações da Operação Lava Jato, empreiteira vendeu à holding argentina Corporación América sua participação nos aeroportos de Brasília e Natal; a OAS também já avisou que está nos estágios finais para a venda de sua participação na Invepar, principal sócia no grupo que administra a concessão do aeroporto de Guarulhos (SP)
Em meio às dificuldades financeiras causadas pelas investigações da Operação Lava Jato, empreiteira vendeu à holding argentina Corporación América sua participação nos aeroportos de Brasília e Natal; a OAS também já avisou que está nos estágios finais para a venda de sua participação na Invepar, principal sócia no grupo que administra a concessão do aeroporto de Guarulhos (SP) (Foto: Roberta Namour)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

SÃO PAULO (Reuters) - A Engevix informou nesta quarta-feira que vendeu à holding argentina Corporación América sua participação nos aeroportos de Brasília e Natal, em meio às dificuldades financeiras do grupo brasileiro citado nas investigações da Operação Lava Jato.

Como o contrato de venda ainda deve passar pela revisão e aprovação da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), os detalhes da transação estão sujeitas a cláusula de confidencialidade, informou a companhia em comunicado.

A Engevix é uma das empresas citadas na Operação Lava Jato, que investiga denúncias de sobrepreço em contratos da Petrobras com grandes empreiteiras do país. Os grupos Schahin, OAS, Galvão Engenharia e Alumini pediram recuperação judicial.

Em 13 de fevereiro, o sócio do grupo Engevix José Antunes Sobrinho havia afirmado à Reuters que a empresa estava aberta a estudar a venda da participação na Inframérica.

Além da Engevix, a OAS já avisou que está nos estágios finais para a venda de sua participação na Invepar, principal sócia no grupo que administra a concessão do aeroporto de Guarulhos (SP).

Dada a crise que se instalou nas áreas de óleo e gás e de construção civil, várias grandes empreiteiras estão tomando medidas drásticas para equacionar a situação financeira.

Engevix e Corporación América fazem parte do Consórcio Inframérica, que tem 100 por cento do aeroporto de Natal e 51 por cento de Brasília (neste, os restantes 49 por cento restantes são da Infraero).

Com uma proposta de 170 milhões de reais, o consórcio venceu em agosto de 2011 o leilão que concedeu ao grupo o direito de construir, manter e explorar o aeroporto de São Gonçalo do Amarante (Natal), no Rio Grande do Norte. O mesmo grupo venceu o leilão para o aeroporto de Brasília, em fevereiro de 2012, com lance de 4,5 bilhões de reais.

(Por Aluisio Alves)

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247