Enio Verri: demissão de Moro mostrará tamanho microscópico de Bolsonaro

O líder do PT na Câmara, Enio Verri, disse que a demissão de Sérgio Moro do comando do Ministério da Justiça é um sinal de que Jair Bolsonaro não governa

(Foto: Adriano Machado/Reuters | Gustavo Bezerra/Agencia Câmara)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O deputado Enio Verri, líder do PT na Câmara, afirmou que a eventual demissão de Sérgio Moro do comando do Ministério da Justiça demonstra que Jair Bolsonaro dá mais uma demonstração de que não governa. 

"Agora, está ameaçado pela demissão do ministro da Justiça, Sérgio Moro, caso Bolsonaro troque a Diretoria-Geral da Polícia Federal. O desenrolar da mais recente crise exporá, ainda mais, o microscópico tamanho de Bolsonaro", diz o líder petista. 

Jair Bolsonaro comunicou Sérgio Moro nesta quinta-feira (23) sobre sua intenção de trocar a diretoria-geral da Polícia Federal, hoje comandada por Maurício Valeixo. Moro então pediu demissão do cargo, e Bolsonaro tentar reverter. 

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247