Fátima: Legislativo trata diferente manifestantes de esquerda e de extrema-direita

Para a senadora Fátima Bezerra (PT-RN), tudo indica que a Polícia Legislativa vem recebendo orientações para tratar de forma diferente representantes dos movimentos sociais de esquerda e de grupos conservadores e de direita; "Na semana passada, até spray de pimenta foi jogado nos estudantes. Hoje, um grupo de pessoas que não se identificaram entrou na Comissão de Educação unicamente com o objetivo de tumultuar e agora estão fazendo a mesma coisa na Câmara dos Deputados", comparou

Para a senadora Fátima Bezerra (PT-RN), tudo indica que a Polícia Legislativa vem recebendo orientações para tratar de forma diferente representantes dos movimentos sociais de esquerda e de grupos conservadores e de direita; "Na semana passada, até spray de pimenta foi jogado nos estudantes. Hoje, um grupo de pessoas que não se identificaram entrou na Comissão de Educação unicamente com o objetivo de tumultuar e agora estão fazendo a mesma coisa na Câmara dos Deputados", comparou
Para a senadora Fátima Bezerra (PT-RN), tudo indica que a Polícia Legislativa vem recebendo orientações para tratar de forma diferente representantes dos movimentos sociais de esquerda e de grupos conservadores e de direita; "Na semana passada, até spray de pimenta foi jogado nos estudantes. Hoje, um grupo de pessoas que não se identificaram entrou na Comissão de Educação unicamente com o objetivo de tumultuar e agora estão fazendo a mesma coisa na Câmara dos Deputados", comparou (Foto: Gisele Federicce)

247 - A senadora Fátima Bezerra (PT-RN) criticou, nesta quarta-feira 16, a forma seletiva como a Câmara e o Senado têm se posicionado em relação a manifestantes que entram no Congresso Nacional, dependendo do que defendem.

Para a senadora, tudo indica que a Polícia Legislativa vem recebendo orientações para tratar de forma diferente representantes dos movimentos sociais de esquerda e manifestantes de grupos conservadores e de direita.

"Na semana passada, até spray de pimenta foi jogado nos estudantes, que quase não conseguiram entrar numa audiência pública nossa sobre a Medida Provisória 746/2016. Diziam que eles eram baderneiros! Hoje, um grupo de pessoas que não se identificaram entrou no recinto da Comissão de Educação unicamente com o objetivo de tumultuar e agora estão fazendo a mesma coisa na Câmara dos Deputados", afirmou.

Fátima afirmou ainda que é hora de os presidentes das duas Casas tomarem uma posição. "Nós esperamos que a Presidência da Casa tome efetivamente as devidas medidas. Basta de intolerância! Basta de ódio!".

"Se há posicionamentos contrários ao nosso, nós respeitamos, mas que venham para o debate, não pela via do vandalismo, não querendo ganhar no grito, o que é próprio daqueles que realmente não têm argumento para defender suas propostas. Não é mais tolerável, de maneira nenhuma, a gente aceitar esse tipo de situação", indignou-se.

Conheça a TV 247

Mais de Brasília

Ao vivo na TV 247 Youtube 247