Gilmar se declara livre para julgar Eike e critica Janot

O ministro do Supremo Gilmar Mendes apresentou à presidente da Corte, ministra Cármen Lúcia, uma manifestação em que rebate as afirmações do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, que pediu a suspensão do ministro como relator do caso de Eike Batista pelo fato de sua mulher trabalhar para um escritório de advocacia que presta serviços ao empresário; Para Gilmar, o pedido de Janot foi um "ataque pessoal" tanto a ele quanto a sua mulher, Guiomar; Gilmar ainda criticou o fato de que a advogada Leticia Ladeira Monteiro de Barros, filha de Janot, trabalha na Braskem, que faz parte do Grupo Odebrecht

Procurador-geral da República, Rodrigo Janot, e ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes .2
Procurador-geral da República, Rodrigo Janot, e ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes .2 (Foto: Giuliana Miranda)

247 - Gilmar Mendes, ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), apresentou à presidente da Corte, Cármen Lúcia, manifestação rebatendo os argumentos do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, que pediu a suspensão do ministro como relator do caso de Eike Batista, pelo fato de sua mulher trabalhar para um escritório de advocacia que presta serviços ao empresário.

O pedido foi feito por Janot no início do mês, após o ministro determinar a libertação do empresário, que estava preso preventivamente desde janeiro.

As informações são de reportagem de Cristiane Jungblut em O Globo.

"Já na primeira página de sua resposta, Gilmar cita um provérbio português provocativo: 'Ninguém se livra de pedrada de doido nem de coice de burro.' O ministro tem um histórico recente de embates com Janot.

Para Gilmar, o pedido de Janot foi um "ataque pessoal" tanto a ele quanto a sua mulher, Guiomar. "O voluntarismo e a ousadia, estimulados por qualquer tipo de embriaguez, cegueira ou puro despreparo, não devem ser a força motriz de atos processuais. O instituto da arguição de impedimento foi usado como um ataque pessoal ao magistrado e, pior, à sua família", criticou.

O ministro também alegou que a distribuição de casos no tribunal é feita de forma aleatória, e que a sugestão de que ele não estaria apto a julgar Eike mancha a imagem do Supremo.

(...)

Gilmar ainda criticou o fato de que a advogada Leticia Ladeira Monteiro de Barros, filha de Janot, trabalha na Braskem, que faz parte do Grupo Odebrecht.

"A ação do Doutor Janot é um tiro que sai pela culatra. Animado em atacar, não olhou para a própria retaguarda. As verdadeiras vítimas de sua imprudência foram as altas instituições do Supremo Tribunal Federal e da Procuradoria-Geral da República", afirmou, acrescentando que o procurador-geral atuou diretamente na delação da Odebrecht.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247