Gilmar solta advogado que integrou grupo investigado por fraudes tributárias de R$ 500 milhões

O ministro do STF Gilmar Mendes revogou a prisão preventiva do advogado Daniel Ângelo, alvo da Operação Palhares. De acordo com a polícia do Rio, os acusados e as sociedades empresárias que foram ‘constituídas para lavar capitais’ movimentaram aproximadamente R$ 500 milhões

O ministro do STF Gilmar Mendes afirmou que a Lei Anticrime prevê a reavaliação da prisão preventiva a cada 90 dias
O ministro do STF Gilmar Mendes afirmou que a Lei Anticrime prevê a reavaliação da prisão preventiva a cada 90 dias (Foto: Divulgação (STF))
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes revogou a prisão preventiva do advogado Daniel Ângelo, alvo da Operação Palhares, que mirou atuação de advogados que forjavam créditos tributários de milhões de reais e os vendiam pela metade do valor para que empresas reduzissem suas dívidas junto à Receita Federal. De acordo com a polícia do Rio, os acusados e as sociedades empresárias que foram ‘constituídas para lavar capitais’ movimentaram aproximadamente R$ 500 milhões.

Em sua decisão, Mendes informou que a Lei Anticrime prevê a reavaliação da prisão preventiva a cada 90 dias, nos quais a Promotoria deve apresentar fatos concretos e atuais que justifiquem a cautelar contra o investigado, que, segundo o ministro, não ocorreu. Os relatos foram publicados no blog do Fausto Macedo.

“Considerando que o decreto prisional data de janeiro de 2020, coincidindo com o recebimento da denúncia, resta explícita a falta de contemporaneidade dos fatos utilizados como fundamento”, afirmou Mendes. “Antes o exposto, concedo a ordem para revogar o decreto prisional e determinar a imediata expedição de alvará de soltura em favor do paciente, se por outro motivo não estiver preso”, complementa. 

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247