Governo Bolsonaro permite comprometer 40% do benefício do INSS com consignado

Aposentados e pensionistas poderão comprometer até 40% de seus benefícios com empréstimo, sendo 35% com consignado. Analista vê risco à saúde financeira do consumidor

Aposentados e pensionistas poderão comprometer até 40% de benefícios com empréstimo
Aposentados e pensionistas poderão comprometer até 40% de benefícios com empréstimo (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Aposentados e pensionistas poderão comprometer até 40% de seus benefícios com empréstimo. São 35% com consignado e 5% com saques em cartão de crédito. A decisão do governo, assinada por Jair Bolsonaro na última quinta-feira (01), foi publicada no Diário Oficial da União nessa sexta-feira (02). Antes, os segurados do INSS podiam comprometer com consignados até 30% do seu rendimento e mais 5% com cartão de crédito, totalizando 35%.

As novas regras entraram em vigor imediatamente por terem sido consequência de uma Medida Provisória e foram enviadas à aprovação do Congresso Nacional.

Em entrevista ao jornal Extra (RJ), o economista e coordenador do MBA em Finanças do Ibmec RJ, Filipe Pires, afirmou que o crédito pode trazer riscos à saúde financeira do consumidor.

"É provável que a gente tenha uma corrida aos bancos para pegar esse empréstimo. A questão é que o brasileiro médio não se planeja e pega mais crédito do que é capaz de pagar. Esse valor mesmo já extrapola a orientação de comprometer apenas 30% da renda com dívidas", disse. 

"Como não é possível adiar essa despesa, talvez as pessoas contratem outra mais cara para subsidiar o pagamento, tendendo ao impagável".

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247