Governo calcula que cassação de Cunha terá apoio de 75% da bancada do PMDB

Articuladores do governo interino de Michel Temer, que vetou qualquer operação para salvar o mandato do deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), calculam que da bancada de 66 deputados do PMDB na Câmara, pelo menos 50 votarão a favor da cassação do mandato de Cunha; qualquer punição só poderá ser aprovada em definitivo com o voto de ao menos 257 dos 512 deputados

Articuladores do governo interino de Michel Temer, que vetou qualquer operação para salvar o mandato do deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), calculam que da bancada de 66 deputados do PMDB na Câmara, pelo menos 50 votarão a favor da cassação do mandato de Cunha; qualquer punição só poderá ser aprovada em definitivo com o voto de ao menos 257 dos 512 deputados
Articuladores do governo interino de Michel Temer, que vetou qualquer operação para salvar o mandato do deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), calculam que da bancada de 66 deputados do PMDB na Câmara, pelo menos 50 votarão a favor da cassação do mandato de Cunha; qualquer punição só poderá ser aprovada em definitivo com o voto de ao menos 257 dos 512 deputados (Foto: Aquiles Lins)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Brasília 247 - Articuladores do governo interino de Michel Temer, que vetou qualquer operação para salvar o mandato do deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), calculam que da bancada de 66 deputados do PMDB na Câmara, pelo menos 50 votarão a favor da cassação do mandato de Cunha. Informação é da colunista Natuza Nery.

Aprovado no Conselho de Ética, o processo de cassação ainda não tem data para votação no plenário da Câmara. Qualquer punição só poderá ser aprovada em definitivo com o voto de ao menos 257 dos 512 deputados. Eduardo Cunha está com o mandato suspenso e não pode participar de sessões na Casa.

 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247