Juiz que foi linha auxiliar de Barbosa pede pra sair

Bruno André Ribeiro, responsável pelas execuções dos mandados de prisão da AP 470, pediu para deixar a Vara de Execuções Penais do Distrito Federal por suposta interferência política no comando do Complexo Penitenciário da Papuda; versão de regalias aos condenados do chamado “mensalão” já foi negada pelo presidente da OAB, Alexandre Queiroz; magistrado tem sido o braço-direito de Barbosa na perseguição ao ex-ministro José Dirceu, adiando seu direito de trabalhar em regime semi-aberto  

Bruno André Ribeiro, responsável pelas execuções dos mandados de prisão da AP 470, pediu para deixar a Vara de Execuções Penais do Distrito Federal por suposta interferência política no comando do Complexo Penitenciário da Papuda; versão de regalias aos condenados do chamado “mensalão” já foi negada pelo presidente da OAB, Alexandre Queiroz; magistrado tem sido o braço-direito de Barbosa na perseguição ao ex-ministro José Dirceu, adiando seu direito de trabalhar em regime semi-aberto
 
Bruno André Ribeiro, responsável pelas execuções dos mandados de prisão da AP 470, pediu para deixar a Vara de Execuções Penais do Distrito Federal por suposta interferência política no comando do Complexo Penitenciário da Papuda; versão de regalias aos condenados do chamado “mensalão” já foi negada pelo presidente da OAB, Alexandre Queiroz; magistrado tem sido o braço-direito de Barbosa na perseguição ao ex-ministro José Dirceu, adiando seu direito de trabalhar em regime semi-aberto   (Foto: Roberta Namour)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – Fiel escudeiro do presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, nas prisões dos condenados da AP 470, o juiz Bruno André Ribeiro pediu para deixar a Vara de Execuções Penais do Distrito Federal. Seu colega Ângelo Pinheiro Fernandes de Oliveira também seguiu sua decisão. Eles serão transferidos até o início de abril. 

Os dois magistrados teriam ficado contrariados com a "interferência política" no comando do Complexo Penitenciário da Papuda, onde cumprem pena condenados petistas José Dirceu e Delúbio Soares. 

O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MP-DFT) pediu nesta terça-feira que a Justiça tome providências para acabar com supostas regalias recebidas por condenados na Ação Penal (AP) 470, no complexo da Papuda, em Brasília. Promotores citaram uma feijoada feita dentro de um dos presídios. O presidente da OAB, Alexandre Queiroz, no entanto, rebateu a versão, baseado em visitas que fez à Penitenciária: "eles tomam banho de sol com outros presos e não recebem tratamento diferenciado".

Bruno Ribeiro tem servido de braço-direito de Barbosa na perseguição ao ex-ministro José Dirceu. Filho de um ex-dirigente tucano em Brasília, o juiz adiou, sem informar o motivo, o depoimento que Dirceu daria sobre o caso em que é acusado de ter usado celular de dentro da Penitenciária da Papuda, marcado para esta terça-feira 25. O episódio – já negado até mesmo pela sindicância interna do presídio – tem prolongado a resposta sobre seu pedido de trabalho externo (leia mais).

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email