Maia: Câmara sai machucada por salvar Temer

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), mostra sua relação com o Planalto azedou de vez; em entrevista, o deputado faz diversas críticas a Michel Temer e diz que a Câmara sai "machucada" de sua decisão de livrar o peemedebista; "O deputado é cobrado nas bases, nas redes sociais. A gente não pode esconder que a sociedade pediu o afastamento, e a Câmara entendeu que não valeria a pena. A maioria decidiu de forma democrática. A questão é conseguir explicar isso ao eleitor", diz; Maia afirmou ainda que o governo não tem mais votos para aprovar projetos importantes na Casa, e que o Planalto ficou "fragilizado" e "desgastado"  

Brasília - Os presidente da República, Michel Temer, do Senado, Renan Calheiros e da Câmara, Rodrigo Maia durante coletiva de imprensa no Palácio do Planalto (Antonio Cruz/Agência Brasil)
Brasília - Os presidente da República, Michel Temer, do Senado, Renan Calheiros e da Câmara, Rodrigo Maia durante coletiva de imprensa no Palácio do Planalto (Antonio Cruz/Agência Brasil) (Foto: Giuliana Miranda)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Brasília 247 - O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirma que o governo não tem mais votos para aprovar projetos importantes na Casa.

Ele diz que o Planalto ficou "fragilizado" e "desgastado" depois de barrar as denúncias contra Michel Temer.

Para Maia, o presidente precisa melhorar a relação com o Congresso e calar auxiliares que "falam demais". "O Jaburu virou um lugar aonde ninguém quer ir", provoca.

"A Câmara saiu machucada, sem dúvida. Quem não achar isso está enxergando pouco. O deputado é cobrado nas bases, nas redes sociais.

A gente não pode esconder que a sociedade pediu o afastamento, e a Câmara entendeu que não valeria a pena. A maioria decidiu de forma democrática. A questão é conseguir explicar isso ao eleitor."

As informações são de reportagem de Bernardo Mello Franco na Folha de S.Paulo.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247