Mergulho no colo do centrão pode explicar inutilidade de Moro para Bolsonaro

A explicação para o novo embate com Sergio Moro, que ostentava um silêncio sepulcral, pode estar na guinada de Bolsonaro à política velha. O ex-capitão mergulhou no colo do centrão temendo o processo de impeachment e essa mudança o obriga a desfazer certos acordos tácitos

Ministério da Justiça quer retirar discriminação como agravante para multar empresas
Ministério da Justiça quer retirar discriminação como agravante para multar empresas (Foto: José Cruz - ABR)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Com Sérgio Moro impondo várias condições à permanência no cargo, Jair Bolsonaro fez os cálculos mais imediatos: a serventia de Moro deixou de ser vital. O embate pelo controle da Polícia Federal, escancarado nas notícias de que Moro não abre mão de indicar o comando da corporação, é uma ferida aberta dentro do bolsonarismo.

A reportagem do jornal O Estado de S. Paulo destaca que “na campanha de 2018, Bolsonaro se tornou, por falta de opção, o candidato natural da militância de direita, formada no auge das sessões em que Moro agia de forma implacável nos julgamentos da Lava Jato. A decisão do então juiz de Curitiba de aceitar a pasta unificada da Justiça e da Segurança Pública, dois ministérios em um, foi considerada como um “gol de placa” de Bolsonaro – o deputado do baixo clero nunca fora reconhecido como um estrategista político. Com uma canetada, ele trazia para debaixo de seu guarda-chuva o nome mais popular de um movimento.”

A matéria ainda sublinha: “a semana tem sido intensa. As negociações de Bolsonaro com lideranças do Centrão antecederam o imbróglio envolvendo Moro. Bolsonaro flertou com nomes escrachados nas redes sociais, como Valdemar Costa Neto e Roberto Jefferson. Por muito menos, o presidente foi violentamente atacado por sua militância em janeiro, quando ensaiou tirar a área da Segurança Pública do ministro da Justiça e entregar para o aliado Alberto Fraga, ex-deputado do DEM. “Vai trocar o Moro pelo Fraga?”, foi uma contestação dura enfrentada por Bolsonaro no Twitter.”

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247