Ministra da Agricultura acusa imprensa de crime de lesa-pátria no caso Amazônia

Em evento da Câmara de Comércio Árabe-Brasileira, Tereza Cristina classificou como "exagero" a repercussão dada ao aumento de 83% no número de queimadas na Amazônia, segundo o Inpe. "Ele existe e o Brasil sabe disso, tem preocupação com as queimadas que acontecem todos os anos. Mas é um oportunismo dizer que tem relação com os produtos brasileiros”, declarou a ministra

Tereza Cristina, ministra da Agricultura
Tereza Cristina, ministra da Agricultura (Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil)

Revista Fórum - A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, chamou, nesta segunda-feira (26), de “histeria” a divulgação do aumento de queimadas e desmatamento na Amazônia e culpou a imprensa brasileira pela repercussão mundial. Segundo ela, os jornalistas estão cometendo “crime de lesa-pátria” ao culpabilizar a política ambiental complacente do governo Bolsonaro com a devastação da Floresta Amazônica e crê que boicotes internacionais são possíveis.

“Eu não posso descartar, não sou eu quem faz o boicote. Podem ser eles. Mas não existe nenhuma relação entre um problema na Amazônia, que acontece todos os anos, com o exagero que foi colocado nesse problema. Ele existe e o Brasil sabe disso, tem preocupação com as queimadas que acontecem todos os anos. Mas é um oportunismo dizer que tem relação com os produtos brasileiros”, declarou a ministra, uma das lideranças da Bancada Ruralista, em evento da Câmara de Comércio Árabe-Brasileira.

Ela criticou os países que condenaram o governo Bolsonaro, retiraram recursos e prometeram boicote. Segundo ela, o presidente francês, Emmanuel Macron, é um “oportunista”. “Os recursos que são enviados para o Brasil nem sempre dão para o que é necessário, que acho que é a fiscalização. Se querem preservar a Amazônia, coloquem mais dinheiro aqui para ajudar nessa preservação, mas não pode interferir na soberania do nosso país”, declarou.

Continue lendo na Fórum

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247