Órgão nega pedido de Cunha para anular multa de R$ 1 milhão

O Conselho de Recursos do Sistema Financeiro Nacional negou recurso do ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha (MDB-RJ) para anular multa de R$ 1 milhão imposta pelo Banco Central, de acordo com informação publicada pela coluna Expresso; o ex-parlamentar manteve dinheiro não declarado no exterior; Cunha foi denunciado pelos crimes de organização criminosa, corrupção passiva e lavagem de dinheiro; o juiz Sergio Moro condenou o ex-parlamentar a 15 anos de prisão.

Presidente da Câmara, Eduardo Cunha fala com a imprensa sobre a pauta de votação da Casa (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)
Presidente da Câmara, Eduardo Cunha fala com a imprensa sobre a pauta de votação da Casa (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil) (Foto: Leonardo Lucena)

Brasília 247 - O Conselho de Recursos do Sistema Financeiro Nacional negou recurso do ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha (MDB-RJ) para anular multa de R$ 1 milhão imposta pelo Banco Central, de acordo com informação publicada nesta terça-feira (30) pela coluna Expresso. O ex-parlamentar manteve dinheiro não declarado no exterior.

O emedebista está preso desde outubro de 2016 por ordem do juiz Sergio Moro, responsável pelos processos da Operação Lava Jato em segunda instância. O Ministério Público Federal argumentou que o ex-parlamentar representava risco à instrução do processo e à ordem pública se estivesse em liberdade. Segundo os procuradores, também existia a “possibilidade concreta de fuga em virtude da disponibilidade de recursos ocultos no exterior” e da dupla nacionalidade, uma vez que Cunha tem passaporte italiano.

Cunha foi denunciado pelos crimes de organização criminosa, corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Moro condenou o ex-parlamentar a 15 anos de prisão.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247