Para Bolsonaro, isolamento social fez aumentar o preço do arroz

"Acabaram com os empregos, aí sobe o preço do arroz, né? Fique em casa, pô. Já pensou se o homem do campo tivesse ficado em casa? Não teria nem a R$ 30, R$ 35 o pacote de cinco quilos", afirmou Jair Bolsonaro durante conversa com apoiadores em Brasília (DF)

Jair Bolsonaro
Jair Bolsonaro (Foto: Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Jair Bolsonaro (sem partido) associou nessa quarta-feira (14) o aumento no preço do arroz à política de isolamento adotada como prevenção à pandemia do coronavírus. O produto acumula alta de pelo menos 17% este ano. 

"Acabaram com os empregos, aí sobe o preço do arroz, né? Fique em casa, pô. Já pensou se o homem do campo tivesse ficado em casa? Não teria nem a R$ 30, R$ 35 o pacote de cinco quilos. Não teria arroz", afirmou ele durante conversa com apoiadores em Brasília (DF).

De acordo com Bolsonaro, o governo federal não vai tabelar preços e o País terá uma supersafra de arroz no fim de dezembro e início do ano que vem. "Agora está vindo uma supersafra de arroz. O homem do campo trabalhou e produziu como sempre. Os empréstimos junto ao Banco do Brasil de pequenos e médios produtores foi enorme", destacou.

Em setembro, o Brasil importou 125,1 mil toneladas do cereal, um aumento de 181,7% na comparação com agosto. Segundo o governo, as importações devem demorar pelo menos um mês para ter efeito sobre o valor do produto, informou o diretor de Política Agrícola e Informações da Conab (Companhia Nacional de Abastecimento), Sérgio de Zen, em entrevista ao 6 Minutos, do portal Uol

"Esperamos que o impacto da alta das importações sobre os preços demore de 30 a 90 dias para bater na gôndola do supermercado”, afirmou. “E no começo do ano, começa a ter entrada de arroz da nova safra brasileira, o que deve fazer os preços se normalizarem".

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email