PSL estuda novas punições após Eduardo Bolsonaro retomar liderança do partido na Câmara

“Como pessoas formando um novo partido insistem em ficar? Como não demos publicidade à decisão? Tudo feito em cartório, registrado. Estamos discutindo novas punições", afirma o presidente do PSL, Luciano Bivar

Eduardo Bolsonaro e Luciano Bivar
Eduardo Bolsonaro e Luciano Bivar
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Com a supensão da punição a parlamentares do PSL pela Justiça, o deputado federal Eduardo Bolsonaro retomou a liderança do partido nesta segunda-feira (16), posto que havia sido passado à deputada Joice Hasselmann. O presidente do partido, Luciano Bivar, afirmou que estuda novas punições.

A informação consta no blog da jornalista Andréia Sadi, do G1. Os parlamentares que tinham sido punidos não querem deixar a legenda por receio de perderem o mandato.

“Como pessoas formando um novo partido insistem em ficar? Como não demos publicidade à decisão? Tudo feito em cartório, registrado. Estamos discutindo novas punições. Prefiro ter uma esquerda honesta [na oposição] a essa pressão típica de regimes totalitários”, disse Bivar.

O racha no PSL se arrasta por meses e talvez tenha atingido seu ponto máximo quando, em novembro, Jair Bolsonaro abandonou o PSL e anunciou a criação de seu novo partido, o Aliança pelo Brasil.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247