PT deplora restrição de acesso das mulheres à Câmara

Em nota assinada pelos deputado federais Paulo Pimenta (RS) e Erika Kokay (DF), o PT repudiou "o posicionamento institucional da Câmara dos Deputados no Dia Internacional da Mulher. As medidas repressivas e restritivas adotadas para impedir o acesso das mulheres às dependências da Casa bem como à área do entorno da Câmara são descabidas e incompatíveis com a democracia"; "Utilizou-se o argumento de que haveria uma Sessão Extraordinária para encurtar a Sessão Solene, configurando assim um desrespeito às mulheres"

Em nota assinada pelos deputado federais Paulo Pimenta (RS) e Erika Kokay (DF), o PT repudiou "o posicionamento institucional da Câmara dos Deputados no Dia Internacional da Mulher. As medidas repressivas e restritivas adotadas para impedir o acesso das mulheres às dependências da Casa bem como à área do entorno da Câmara são descabidas e incompatíveis com a democracia"; "Utilizou-se o argumento de que haveria uma Sessão Extraordinária para encurtar a Sessão Solene, configurando assim um desrespeito às mulheres"
Em nota assinada pelos deputado federais Paulo Pimenta (RS) e Erika Kokay (DF), o PT repudiou "o posicionamento institucional da Câmara dos Deputados no Dia Internacional da Mulher. As medidas repressivas e restritivas adotadas para impedir o acesso das mulheres às dependências da Casa bem como à área do entorno da Câmara são descabidas e incompatíveis com a democracia"; "Utilizou-se o argumento de que haveria uma Sessão Extraordinária para encurtar a Sessão Solene, configurando assim um desrespeito às mulheres" (Foto: Leonardo Lucena)

Brasília 247 - Em nota assinada pelos deputado federais Paulo Pimenta (RS) e Erika Kokay (DF), o PT repudiou "o posicionamento institucional da Câmara dos Deputados no Dia Internacional da Mulher. As medidas repressivas e restritivas adotadas para impedir o acesso das mulheres às dependências da Casa bem como à área do entorno da Câmara são descabidas e incompatíveis com a democracia".

"Lamentamos igualmente a pressão para encerrar a Sessão Solene em homenagem ao Dia Internacional da Mulher, durante a qual foi entregue o Prêmio Mietta Santiago. Utilizou-se o argumento de que haveria uma Sessão Extraordinária para encurtar a Sessão Solene, configurando assim um desrespeito às mulheres. O Dia 8 de Março foi secundarizado, as vozes das mulheres parlamentares foram caladas, num total desrespeito ao significado histórico da data", diz.

"Por fim, expressamos nossa preocupação e solicitamos esclarecimentos sobre o anúncio feito na tarde da última terça-feira (6) pelo presidente Rodrigo Maia (DEM-RJ) de que destinará os R$ 230 milhões economizados pela Câmara dos Deputados para o combate às drogas e à violência contra a mulher, por meio de repasse ao Ministério Extraordinário da Segurança Pública. Exigimos que a repartição desses recursos seja publicizada e sua aplicação, fiscalizada", acrescenta.

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247