Rede e Podemos vão ao STF contra projeto que cria fundo eleitoral

Líderes da Rede e do Podemos no Senado optaram por judicializar o processo de votação do projeto que atenua regras de fiscalização de contas partidárias e impõe um limite às multas para partidos que descumprirem a prestação de contas

(Foto: Geraldo Magela/Agencia Senado)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Líderes da Rede e do Podemos no Senado optaram por judicializar o processo de votação do projeto que atenua regras de fiscalização de contas partidárias e impõe um limite às multas para partidos que descumprirem a prestação de contas.

A reportagem do jornal O Globo destaca que o "Líder da minoria no Senado, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), afirmou que aguarda a sanção do presidente Jair Bolsonaro para entrar com recurso no Supremo Tribunal Federal (STF) contra a medida."

O senador disse: "o presidente da República precisa decidir se vai sancionar, vetar ou vetar em partes para termos consciência de qual vai ser o remanescente a ser judicializado. Já é decisão dos partidos entrarem no STF contra a lei."

Segundo a matéria, "Rede e Podemos tentam convencer os senadores do Cidadania a aderirem ao movimento. Na votação na Câmara, foram suprimidos apenas quatro pontos polêmicos do projeto de reforma: a permissão de que os partidos pudessem corrigir erros na prestação de contas até o julgamento na Justiça, outro que aumenta o prazo para a prestação e correção de contas partidárias e um terceiro que permitia vários sistemas para a prestação além do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e um quarto que permitia que partidos fossem multados por erros na prestação só quando houvesse dolo."

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247