Relação entre Guedes e Rogério Marinho ficou 'irreconciliável', dizem auxiliares de Bolsonaro

Debates sobre possibilidade de o governo furar o Teto dos Gastos gera desestabilização entre membros da atual gestão. Paulo Guedes afirmou que se o Rogério Marinho (Desenvolvimento Regional) tenha falado mal dele é por ser "desleal" e "fura-teto". Titular da Economia já havia dito que revogar o teto levará Jair Bolsonaro para "zona de impeachment"

Ministros Rogério Marinho (Desenvolvimento Regional) e Paulo Guedes (Economia)
Ministros Rogério Marinho (Desenvolvimento Regional) e Paulo Guedes (Economia) (Foto: Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Auxiliares de Jair Bolsonaro disseram que ficou irreconciliável a relação entre os ministros Paulo Guedes (Economia) e Rogério Marinho (Desenvolvimento Regional). A informação é do blog do Gerson Camarotti

Nesta sexta-feira (2), Guedes afirmou não acreditar que o colega Rogério Marinho (Desenvolvimento Regional) tenha falado mal dele. (Se está falando mal) "é despreparado, é desleal e é um fura-teto", disse o titular da Economia (veja aqui). 

Sem uma agenda para a geração de empregos e a retomada do crescimento, o governo Jair Bolsonaro teme desestabilização na condução econômica. Também existe a discussão sobre a possibilidade de se furar o teto de gastos (regra que limita a despesa pública) para criar o Renda Cidadã.

De acordo com um ministro, os debates dentro do contextual atual estão fragilizando a linha liberal do ministro Guedes. "Será preciso um freio de arrumação", disse o auxiliar de Bolsonaro. 

No dia 11 de agosto, Guedes afirmou que auxiliares responsáveis por aconselhar o governo a "furar" a regra do teto de gastos estão levando o Bolsonaro a uma zona de impeachment. "Os conselheiros do presidente que estão aconselhando a pular a cerca e furar teto vão levar o presidente para uma zona sombria, uma zona de impeachment, de irresponsabilidade fiscal", afirmou.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247