Renan Calheiros lembra 'transgressões' da Lava Jato e diz que “não há ninguém acima da lei”

“As transgressões conhecidas da Lava Jato são anteriores ao PGR Augusto Aras. Não há ninguém inauditável ou acima da lei. A Vaza Jato evidenciou que essa auditoria é necessária. A resistência é tão injustificável quanto a nota de R$200″, postou o senador alagoano em sua conta no Twitter

Renan Calheiros (MDB-AL)
Renan Calheiros (MDB-AL) (Foto: UESLEI MARCELINO / REUTERS)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O senador alagoano Renan Calheiros (MDB) apoiou o procurador-geral da República, Augusto Aras, contra a Lava Jato, em suas redes sociais nesta sexta-feira, 31. Aras questionou os métodos usados pela operação Lava Jato.

“As transgressões conhecidas da Lava Jato são anteriores ao PGR Augusto Aras. Não há ninguém inauditável ou acima da lei. A Vaza Jato evidenciou que essa auditoria é necessária. A resistência é tão injustificável quanto a nota de R$200″, postou o senador em sua conta no Twitter.

Aras afirmou que a Corregedoria do Ministério Público Federal (MPF) está apurando possíveis irregularidades cometidas pela força-tarefa. O grupo de Curitiba teria 50 mil documentos num banco de dados paralelo e acesso a dados de 38 mil pessoas.

Resoluções que orientam o trabalho dos procuradores determinam que todos os documentos aos quais investigadores tenham acesso sejam registrados num sistema interno do órgão e que esse registro serve inclusive para o controle do trabalho de procuradores, inclusive pela corregedoria. Os procuradores da Lava Jato, entretanto, negam a acusação.

No dia 28 de junho, Augusto Aras afirmou que a Lava Jato não é uma operação autônoma do MPF. “A Lava Jato, com êxitos obtidos e reconhecidos pela sociedade, não é um órgão autônomo e distinto do Ministério Público Federal (MPF), mas sim uma frente de investigação que deve obedecer a todos os princípios e normas internos da instituição. Para ser órgão legalmente atuante, seria preciso integrar a estrutura e organização institucional estabelecidas na Lei Complementar 75 de 1993”. 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247