Santa Cruz: Orlando Diniz faz ilação mentirosa para escapar de punições

Alvo de operação da PF contra escritórios de advocacia, o presidente da OAB, Felipe Santa Cruz, criticou o ex-presidente da Fecomércio-RJ Orlando Diniz ao afirmar que "está clara a intenção de destruir reputações para tentar escapar" de penas. Santa Cruz é advogado do Sesc-RJ, que em ação junto ao TCU, condenou Diniz a devolver R$ 58 milhões à entidade que presidiu

Felipe Santa Cruz e Orlando Diniz
Felipe Santa Cruz e Orlando Diniz (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil | Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Alvo de operação nesta quarta-feira (9) da Polícia Federal contra escritórios de advocacia, o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, Felipe Santa Cruz, havia dito nesta terça (8) que "rechaça com veemência as ilações mentirosas dessa delação fantasiosa" de Orlando Diniz, ex-presidente da Fecomércio-RJ. Santa Cruz é advogado do Sesc-RJ, que em ação junto ao  Tribunal de Contas da União (TCU), condenou Diniz a devolver R$ 58 milhões aos cofres da entidade que presidiu. 

"Ressalta que nunca pediu qualquer tipo de apoio para campanha da Ordem ou negociou qualquer serviço com o senhor Orlando Diniz. Tais mentiras só podem ser interpretadas como retaliação à ação do dr. Felipe Santa Cruz como advogado do SESC e do SENAC/RJ em processo no TCU, justamente pedindo ressarcimento dos danos causados pelo delator às organizações – processo esse em que esse senhor foi condenado a devolver mais de R$ 58 milhões aos cofres do Sesc e do Senac estaduais por um convênio ilegal. Está clara a intenção de destruir reputações para tentar escapar de penas pesadas às quais são submetidos aqueles que, como o pretenso delator, cometem crimes", afirmou Santa Cruz. 

De acordo com as investigações, os escritórios e outras empresas são investigados por desvios de cerca de R$ 355 milhões do Serviço Social do Comércio (Sesc RJ), do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac RJ) e da Federação do Comércio (Fecomércio/RJ) que teriam acontecido entre 2012 e 2018. 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email