Supremo nega pedido de liberdade a Jorge Zelada

A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) rejeitou nesta terça (21) pedido de liberdade feito pela defesa do ex-diretor da Área Internacional da Petrobras Jorge Zelada, condenado a 12 anos e dois meses de prisão pelos crimes de corrução passiva e lavagem de dinheiro nas investigações da Operação Lava Jato

A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) rejeitou nesta terça (21) pedido de liberdade feito pela defesa do ex-diretor da Área Internacional da Petrobras Jorge Zelada, condenado a 12 anos e dois meses de prisão pelos crimes de corrução passiva e lavagem de dinheiro nas investigações da Operação Lava Jato
A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) rejeitou nesta terça (21) pedido de liberdade feito pela defesa do ex-diretor da Área Internacional da Petrobras Jorge Zelada, condenado a 12 anos e dois meses de prisão pelos crimes de corrução passiva e lavagem de dinheiro nas investigações da Operação Lava Jato (Foto: Valter Lima)

André Richter – Repórter da Agência Brasil

A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) rejeitou hoje (21) pedido de liberdade feito pela defesa do ex-diretor da Área Internacional da Petrobras Jorge Zelada, condenado a 12 anos e dois meses de prisão pelos crimes de corrução passiva e lavagem de dinheiro nas investigações da Operação Lava Jato. A decisão foi unânime.

Zelada está preso desde julho de 2015 e foi condenado em um dos processos que responde na Lava Jato por corrupção passiva. De acordo com a denúncia apresentada pelo Ministério Público Federal (MPF), Zelada e Eduardo Musa, ex-gerente da Petrobras, aceitaram receber propina de US$ 31 milhões para favorecer a contratação, em janeiro 2009, de uma empresa de afretamento de navios-sonda.

A defesa do ex-diretor alegou no Supremo que o decreto de prisão assinado pelo juiz federal Sérgio Moro não apresenta fundamentos para manter Zelada preso preventivamente.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247