Temer, o vira-latas, e uma das maiores humilhações sofridas pelo Brasil

A visita do vice-presidente americano ao Brasil passa à história como um dos episódios de maior humilhação internacional do país; Pence espezinhou o Brasil em plena capital federal, publicamente; em vez de se desculpar pela crise humanitária dos migrantes que escandalizou o mundo, afirmou que o Brasil deveria "fazer mais" e impedir a emigração; Temer e Aloysio Nunes, como dois cães vira-latas, abanaram o rabo para o dono, sorridentes, sem uma palavra de protesto

Presidente Michel Temer cumprimenta vice-presidente dos EUA, Mike Pence, em Brasília 26/06/2018 REUTERS/Adriano Machado
Presidente Michel Temer cumprimenta vice-presidente dos EUA, Mike Pence, em Brasília 26/06/2018 REUTERS/Adriano Machado (Foto: Mauro Lopes)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A visita ao Brasil de Mark Pence, vice-presidente dos EUA, passa à história como um dos episódios de maior humilhação internacional do Brasil. Pence espezinhou o país em Brasília diante de toda a imprensa internacional e chegou ao ponto de afirmar sobre a crise humanitária dos migrantes que escandalizou o mundo com as cenas de crianças (inclusive brasileiras) separadas dos pais por ação do governo Trump: "Por isso, hoje digo ao nosso aliado Brasil: chegou a hora de vocês fazerem mais.” Temer e Aloysio Nunes, como dois cães vira-latas, abanaram o rabo para o dono, sorridentes, sem uma palavra de protesto (aqui).

A postura subalterna do governo Temer contrasta com a altivez do governo venezuelano, que não se intimidou diante das ameaças do enviado imperial. O chanceler venezuelano, Jorge Arreaza, afirmou numa nota no twitter:  "Haja ironia e hipocrisia; o vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, cujo governo racista separa famílias e enjaula crianças inocentes, pretende imiscuir-se nos assuntos de nossa região." 

Ao mesmo tempo em que dizia na cara de Michel Temer que os EUA não aceitarão os imigrantes brasileiros, o vice-presidente Mike Pence anunciou o repasse de US$ 10 milhões para que os imigrantes venezuelanos que cheguem ao Brasil sejam apoiados, como uma forma de provocação ao governo Venezuelano (aqui).

O episódio humilhante está tendo intensa repercussão. Para o jornalista Kennedy Alencar, "essa reprimenda pública reflete a perda do prestígio internacional do Brasil após o governo Lula, época em que o Brasil tinha maior projeção geopolítica" (aqui). Para ele, o governo golpista está colhendo o que plantou: ""O Brasil paga o preço do rumo que escolheu. O tom de Pence mostra que Brasília está em baixa na política externa de Washington".

O jornalista Fernando Brito pontuou numa nota no Tijolaço sob o título "Desaforo em casa" o tamanho do vexame:

"Esperava-se que, durante sua visita ao Brasil, o vice-presidente americano, Mike Pence, balbuciasse algumas meias-desculpas pelo fato de que ao menos 49 crianças brasileiras estivessem presas, separadas de seus pais, imigrantes acusados de clandestinos nos EUA.

Mas, como acontece a quem se comporta como vira-latas, nosso Governo recebeu menos que isso.

Foi 'exortado' a tomar mais medidas contra seus emigrantes e, claro, contra o governo da Venezuela só cria questões migratórias para nós, não para os EUA.

Na diplomacia, como se sabe, só toma 'puxão de orelhas' país que se deixa ser tratado assim.

É o que se ganha com a sabujice.

Mas, para que Michel Temer e seus cortesãos não se sintam injustiçados, informa a Folha que 'Pence elogiou esforços do presidente Temer para fazer reformas ao 'cortar os gastos do governo, liberalizar o mercado de trabalho e abrir o setor energético'.

O que bem poderia ser traduzido como 'queremos seu dinheiro, queremos a sua pobreza, queremos as suas riquezas, mas não mandem seus cucarachas para lá, ok?""

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247