Teori aponta indícios contra 'vários deputados'

No acordo de homologação da delação de Alberto Youssef, ministro do Supremo Tribunal Federal, Teori Zavascki escreveu que, ‘dos documentos juntados com o pedido é possível constatar que, efetivamente, há elementos indicativos, a partir dos termos do depoimento de possível envolvimento de várias autoridades detentoras de prerrogativa de foro perante tribunais superiores, inclusive de parlamentares federais’

No acordo de homologação da delação de Alberto Youssef, ministro do Supremo Tribunal Federal, Teori Zavascki escreveu que, ‘dos documentos juntados com o pedido é possível constatar que, efetivamente, há elementos indicativos, a partir dos termos do depoimento de possível envolvimento de várias autoridades detentoras de prerrogativa de foro perante tribunais superiores, inclusive de parlamentares federais’
No acordo de homologação da delação de Alberto Youssef, ministro do Supremo Tribunal Federal, Teori Zavascki escreveu que, ‘dos documentos juntados com o pedido é possível constatar que, efetivamente, há elementos indicativos, a partir dos termos do depoimento de possível envolvimento de várias autoridades detentoras de prerrogativa de foro perante tribunais superiores, inclusive de parlamentares federais’ (Foto: Roberta Namour)

247 – Ao homologar o acordo de delação premiada do doleiro Alberto Youssef na operação Lava Jato, o ministro do Supremo Tribunal Federal, Teori Zavascki, apontou indícios do envolvimento de vários deputados. 

“Dos documentos juntados com o pedido é possível constatar que, efetivamente, há elementos indicativos, a partir dos termos do depoimento de possível envolvimento de várias autoridades detentoras de prerrogativa de foro perante tribunais superiores, inclusive de parlamentares federais”, disse.

Outra delação, do ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Cosa, também está sob tutela da Corte por mencionar entre 35 a 40 parlamentares no esquema.

Para obter a pena máxima de cinco anos, Youssef se comprometeu a identificar todos os “autores, coautores, participes das diversas organizações criminosas de que tenha ou venha a ter conhecimento”. 

Pelo acordo, divulgado nesta quarta-feira (21) por determinação do juiz federal de Curitiba, Sergio Moro, ele também concordou em devolver à União R$ 1,8 milhão em espécie, além de bens como carros e um hotel no município de Aparecida (SP), parte de um hotel em Salvador, seis apartamentos de um hotel em Londrina (PR), um terço de um hotel em Jaú (SP), um imóvel em Camaçari (BA) e outro em Lauro de Freitas (BA).

Ao vivo na TV 247 Youtube 247