UnB vai instalar conselhos de segurança nas unidades de Planaltina, Gama e Ceilândia

Medida vai permitir que a comunidade acadmica dos trs campi trate de suas demandas especficas diretamente com o poder pblico

UnB Agência - Os campi de Ceilândia, Planaltina e Gama terão seus próprios conselhos comunitários de segurança. A decisão foi tomada nesta terça-feira 6 pelo Conselho Comunitário Especial de Segurança da Universidade de Brasília (Conseg), motivada pela necessidade de garantir o diálogo entre as comunidades dos campi e o poder público de acordo com as particularidades de cada unidade. O primeiro conselho a ser instalado será o de Ceilândia, que já tem reunião prevista para terça-feira 13.

A proposta de criação de conselhos de segurança nos campi foi encaminhada pela Subsecretaria de Programas Comunitários (Suproc) do Governo do Distrito Federal. “A finalidade é mediar as demandas da comunidade junto às autoridades locais de segurança pública”, explicou o major Paulo André, representante da Suproc, em sua apresentação. “O Estado tem que prover a segurança, mas a constituição diz que ela é direito e responsabilidade de todos”, disse.

A decisão foi bem recebida pelos diretores dos campi. “Cada espaço geográfico tem suas especificidades e deve ter o tratamento de acordo”, afirmou Diana Pinho, diretora da UnB Ceilândia. “A escuta local dá à segurança pública uma maior aproximação dos problemas que existem naquela realidade”, completou.

A decana de Assuntos Comunitários, Carolina Cássia dos Santos, acredita que o maior ganho é a possibilidade de articulação dos atores envolvidos na segurança. “O que nós queremos é estabelecer essa articulação e pudemos ver que há predisposição da segurança pública em fazer parceria conosco, articulada com a nossa segurança interna”, declarou.

Campanha

A garantia de segurança tem sido um dos temas mais cobrados pela comunidade acadêmica e ganhou força no campus Darcy Ribeiro às vésperas da volta às aulas. Após inspeção realizada no Instituto Central de Ciências, o Minhocão, a Reitoria decidiu colocar grades laterais no prédio para impedir o acesso pelas portas de vidro e janelas das salas de aula. A decisão inclui ainda a nomeação de síndicos que ficarão responsáveis pela administração de cada ala.

Na reunião do Conseg, o coordenador de Proteção Patrimonial da UnB, Edmilson Lima, comunicou a decisão e enfatizou que ela tem como objetivo principal impedir atos de vandalismo. “O gradeamento que nós propusemos não é para proibir a entrada de professores, estudantes e servidores, mas é para proteger o patrimônio e controle de acesso”, explicou.

Lima apresentou ainda as principais estratégias para garantir a segurança da universidade. Entre as propostas está uma campanha educativa, que será realizada em parceria com órgãos públicos de segurança, e a inclusão de duplas de vigilantes – um homem e uma mulher – em áreas estratégicas de prédios com maior fluxo de aula.

Medidas

A Universidade de Brasília está preparando a elaboração de um plano de segurança amplo e permanente. Empresas especializadas – uma para áreas externas e outra para áreas internas – serão contratadas, por meio de licitação, para prestar consultoria. Até que o edital seja publicado – o que deve acontecer nos próximos dias, de acordo com chefe de gabinete do reitor, Davi Diniz – o Conseg mediará a criação de plano de ação estratégico em parceria com as polícias Militar e Civil do DF.

Um representante da Polícia Federal será convidado para integrar o conselho, já que é esse órgão que trata de furto de patrimônio nas universidades federais. “Não podemos esperar o edital ficar pronto. Temos de tomar medidas a curto prazo”, afirmou a decana Carolina Cássia dos Santos. “Vamos atuar mais com a parte preventiva”.

Conheça a TV 247

Mais de Brasília

Ao vivo na TV 247 Youtube 247