Fábio ameniza divisão do PMDB: ‘já foi sanada’

O candidato do PMDB a prefeito de São Luís, Fábio Câmara, amenizou o fato de não ter tido o apoio total do seu partido para disputar a eleição municipal. "PMDB é um dos únicos partidos que surgiu como movimento democrático e, quando surge como movimento, vem das ruas, vem do povo. A discussão interna fortalece o partido. (Nossa) candidatura é real", afirmou; segundo ele, o problema da divisão interna "já foi sanado"; e disparou duras críticas ao prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Júnior (PDT), ao dizer que ele "nunca pisou em um ônibus" e "não tem que fazer propaganda"

O candidato do PMDB a prefeito de São Luís, Fábio Câmara, amenizou o fato de não ter tido o apoio total do seu partido para disputar a eleição municipal. "PMDB é um dos únicos partidos que surgiu como movimento democrático e, quando surge como movimento, vem das ruas, vem do povo. A discussão interna fortalece o partido. (Nossa) candidatura é real", afirmou; segundo ele, o problema da divisão interna "já foi sanado"; e disparou duras críticas ao prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Júnior (PDT), ao dizer que ele "nunca pisou em um ônibus" e "não tem que fazer propaganda"
O candidato do PMDB a prefeito de São Luís, Fábio Câmara, amenizou o fato de não ter tido o apoio total do seu partido para disputar a eleição municipal. "PMDB é um dos únicos partidos que surgiu como movimento democrático e, quando surge como movimento, vem das ruas, vem do povo. A discussão interna fortalece o partido. (Nossa) candidatura é real", afirmou; segundo ele, o problema da divisão interna "já foi sanado"; e disparou duras críticas ao prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Júnior (PDT), ao dizer que ele "nunca pisou em um ônibus" e "não tem que fazer propaganda" (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Maranhão 247 - O candidato do PMDB a prefeito de São Luís, Fábio Câmara, amenizou o fato de não ter tido o apoio total do seu partido para disputar a eleição municipal. "PMDB é um dos únicos partidos que surgiu como movimento democrático e, quando surge como movimento, vem das ruas, vem do povo. A discussão interna fortalece o partido. (Nossa) candidatura é real", disse. Segundo ele, o problema da divisão interna "já foi sanado". E disparou duras críticas ao prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Júnior (PDT), ao dizer que ele "nunca pisou em um ônibus" e "não tem que fazer propaganda".

Para reforçar seu argumento de que sua candidatura vem do povo, ele reforçou que começou como funcionário na área de serviços gerais do partido. "São Luís nunca teve prefeito que se assemelha ao povo não só pela cor da pele, mas pela luta. E é isso que nossa candidatura representa", afirmou. A entrevista foi concedida ao JMTV 1ª edição.

Ao comentar sobre o transporte, ele disse que na sua gestão o "VLT vai sair do galpão". Ele prometeu colocar o Bilhete Único (BU) para três horas. "Se nós tirarmos R$ 23 milhões da Comunicação. Nossa comunicação é com eleitor. Prefeito não tem que fazer propaganda. Ele nunca pisou em um ônibus coletivo", disse. 

Mesmo sabendo que a gestão portuária é de responsabilidade do governo estadual, ele prometeu criar Secretaria Portuária Municipal, "porque ela trará recursos". 

 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247