Festival Afrofuturismo coloca Salvador na rota dos grandes festivais de tecnologia e inovação

Soluções tecnológicas de reparação econômica dos descendentes de africanos escravizados no Brasil pensadas e debatidas nos dois dias de evento

www.brasil247.com - Paulo Rogério Nunes, cofundador da Vale do Dendê e um dos idealizadores do Festival Afrofuturismo
Paulo Rogério Nunes, cofundador da Vale do Dendê e um dos idealizadores do Festival Afrofuturismo (Foto: Fábio Bouzas)


Por Camila França, para o 247 - “Salvador é a capital da inovação e da criatividade. O futuro é construído hoje e precisa ser pensado, discutido e planejado com a presença dos afrodescendentes.” É o que acredita Paulo Rogério Nunes, cofundador da Vale do Dendê e um dos idealizadores do Festival Afrofuturismo Ano IV - Por uma abolição econômica, maior festival de tecnologia, inovação e criatividade negra da América Latina, que acontece no Centro Histórico da capital baiana nesta sexta-feira (18) e sábado (19) e entra para o calendário internacional dos grandes eventos do segmento. 

Realizado pela Vale do Dendê e Sebrae, o  primeiro dia de atividades do Festival Afrofuturismo Ano IV - Por uma abolição econômica reuniu no teatro Gregório de Matos, em Salvador, grandes nomes do cenário empresarial, do empreendedorismo e da economia criativa. Além, claro, das mentes mais brilhantes no campo da tecnologia, inovação e criatividade. 

Com o tema  O Mundo em 2050: Seremos Wakanda ou Blade Runner?, a palestra magna contou com as presenças da escritora, empresária e produtora de conteúdo baiana Bárbara Carine - uma intelectual diferentona e Grazi Mendes, diretora de Diversidade, Equidade e Inclusão na ThoughtWorks, consultoria global de tecnologia. 

Em sua fala, Bárbara Carine explicou a relação dos dois filmes, tema da palestra, com a proposta do evento. “O questionamento fundamental da palestra mobiliza dois grandes filmes que vão na direção do afrofuturismo numa   perspectiva de emancipação científica e tecnológica. Eu acredito que o Pantera Negra traz uma África possível se não fosse o colonialismo e o imperialismo europeu. E traz um outro pólo que é de uma distopia de um mundo, que se a gente seguir sem as preocupações no campo, principalmente da base de produção de novas mercadorias, de produção de novos materiais, de uma dimensão de inovação tecnológica, sem o entendimento de que nós também somos natureza, a gente vai pra uma realidade distópica logo ali, em 2050, no qual a gente consegue ter sustentabilidade nenhuma”, exemplificou.

Parceiro da Vale do Dendê na realização do Festival Afrofuturismo Ano IV - Por uma abolição econômica, o Sebrae destacou a importância de grandes empresas investirem na diversidade. De acordo com Camila Passos, gerente adjunta de Marketing e Comunicação e coordenadora do Comitê de Diversidade e Inclusão do Sebrae, a organização está dando passos para nortear a construção de uma cultura mais diversa, mais humana e mais justa para todos. 

“Internamente estamos abrindo espaços de diálogo, fomentando encontros e trazendo colaboradores para discutir questões de gênero, raça e diversidade de forma muito ampla. Além disso, estamos dialogando também com o nosso público externo, apoiando iniciativas como o afroempreendedorismo, com empresas lideradas por homens e mulheres negros e negras e pessoas LGBTQIAP+”, pontua  Passos.

Nana Baffour, CEO da Qintess, mantenedora da Vale do Dendê e Alexander Smalls, chefe internacional, falaram sobre as crenças limitantes e a importância das referências para ir em busca de seu propósito e o papel da  tecnologia como ferramenta de  transformação social. 

A Qintess tem muita gratidão em contribuir com a visão de Paulo Rogério, que através da Vale do Dendê capacita jovens periféricos e empreendedores afros que têm sonhos grandes, mas que nem sempre têm apoio da cidade, do seu país, mas que encontram na tecnologia, vontade, visão e ambição, o poder de emergir”, complementa Baffour.

Temas como o impacto do algoritmo na vida das pessoas e como  a formação de profissionais brasileiros na área de tecnologia conduziram boas discussões entre os palestrantes e público presente. Além da programação do Teatro Gregório de Matos, a Casa Vale do Dendê abrigou workshops e mesas redondas e no Palacete Tira Chapéu, Carla Akotirene (escritora e intelectual), Samira Soares (Doutoranda em Literatura – UFBA e produtora de conteúdo) a influenciadora e jornalista Ashley Malia conduziram um empoderado bate-papo sobre como as mulheres pretas podem usar as mídias e tecnologias a seu favor.

Novas parcerias

E pensando em encurtar o acesso de pessoas negras ao crédito para o desenvolvimento de seus negócios, nesta sexta-feira (18) o Banco do Nordeste do Brasil e a Vale do Dendê firmaram um acordo de cooperação técnica que visa gerar mais oportunidades para empreendedores negros. “É a primeira vez que a gente assina com uma instituição financeira pública para trocar informações, realizar eventos em conjunto e para que eles divulguem as oportunidades que o banco tem para a nossa rede. Às vezes, a informação não chega da mesma forma, então como o banco tem muitos recursos disponíveis para investir em pequenos empreendedores, faremos essa ponte para que isso aconteça”, celebra Paulo Rogério.

O Superintendente Regional  do Banco do Nordeste, Diego Rocha destacou que crédito é importante, porém, sozinho, não pode promover o desenvolvimento. "Quando encontramos instituições como a Vale do Dendê que se propõe realizar ações estruturantes de estímulo ao empreendedorismo, a gente encontra uma grande parceria. Somos uma instituição que se propõe promover o empreendedorismo,  estimular a criatividade gerando impacto social e melhoria na vida das pessoas. Essa é a nossa missão e, por isso, nos orgulhamos em poder firmar esse acordo”, afirmou Rocha.

Realizado pela Vale do Dendê, este evento conta com o patrocínio da Acelen e da Prefeitura de Salvador, através da Secretaria de Cultura e Turismo, além de parceria com Qintess e Sebrae.

Acesse  https://afrofuturismo.com.br/ e confira a programação para o segundo e último dia de evento.

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista: 

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247