Pernambuco critica plano federal de atrair turistas para Fernando de Noronha

O governo de Pernambuco criticou a intenção do governo federal de permitir cruzeiros marítimos e provocar uma dúzia de naufrágios artificiais em Fernando de Noronha para, assim, criar novos recifes na área e atrair turistas

Chefe de parque de Noronha é exonerado após reunião de Salles com empresários
Chefe de parque de Noronha é exonerado após reunião de Salles com empresários
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Para o secretário de Meio Ambiente pernambucano, José Bertotti, o modelo aventado não "respeita a natureza". Desde 2013, Noronha não recebe cruzeiros marítimos com regularidade. 

A razão passa por restrições ambientais e logísticas impostas às operadoras para fretar navios. 

Segundo a reportagem do jornal O Estado de S. Paulo, "a administração do arquipélago é feita pela Agência Estadual de Meio Ambiente e pelo Instituto Chico Mendes da Biodiversidade (ICMBio), órgão federal, que no ano passado chegou a ter seu gestor afastado do cargo pelo governo."

A matéria ainda informa que "os barcos que tinham aval para atracar em Noronha tinham capacidade de 150 a 200 passageiros, mas agora o plano, conforme apurou o Estado, é liberar para embarcações com 600 passageiros ou mais, o que pode colocar em xeque a capacidade de suporte do local, patrimônio natural da humanidade. O plano foi mencionado em vídeo do senador Flávio Bolsonaro (sem partido-RJ), acompanhado do presidente do Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur), Gilson Machado."

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247